Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Ideia do escritório holandês Shift Architecture prevê comércio em quadras desmontáveis e com controle de acesso para prevenir a contaminação pelo novo coronavírus.
Ideia do escritório holandês Shift Architecture prevê comércio em quadras desmontáveis e com controle de acesso para prevenir a contaminação pelo novo coronavírus.| Foto: Divulgação

São incontáveis os setores da economia que sofrem com as restrições de circulação de pessoas impostas pela pandemia da Covid-19. Para proteção da saúde e para evitar colapsos nos hospitais centenas de milhares de pessoas estão adaptando sua rotina para trabalho, estudo e até mesmo lazer dentro de cada.

Siga HAUS no Instagram

Pequenos comerciantes locais, como feirantes e outros, sentem muito essa situação e um escritório de arquitetura de Roterdã, na Holanda pensou em uma alternativa para apoiar a comercialização segura de produtos de necessidade básica.

| Divulgação

Os arquitetos do Shift Architecture Urbanism defendem que, disseminando e diluindo os grandes mercados de rua e as grandes concentrações de pessoas, é possível atuar na macroescala, fornecendo alimentos frescos e saudáveis.

O conceito de microcomércio de rua que poderia ser implementado nos espaços públicos das cidades, como praças, por exemplo. Com certeza virá a pergunta: mas e as aglomerações? Eis o pensamento dos arquitetos: “espalhando a estrutura dos mercados de rua no tempo e no espaço, seria possível diminuir o número de viagens para o centro da cidade, minimizando o contato físico entre as pessoas e reduzindo a carga sobre os super e hipermercados.”

| Divulgação

Basicamente isso significa que, “em vez de você ter de se deslocar até o supermercado mais próximo, a feira virá até o seu bairro.” A lógica lembra um pouco as feiras de rua brasileiras, mas a diferença está na lógica do fluxo de pessoas.

Do lado esquerdo, a aglomeração que acontece em centros comerciais tradicionais. Do lado direito a possibilidade de espaçamento entre as pessoas com a proposta do escritório.
Do lado esquerdo, a aglomeração que acontece em centros comerciais tradicionais. Do lado direito a possibilidade de espaçamento entre as pessoas com a proposta do escritório.

O desenho proposto pelos arquitetos holandeses cria uma grade de 16 por 16 metros, com banquinhas de mercado em três dos quatro lados. As divisões poderiam ser coladas ou pintadas no chão, deixando uma lateral livre para o acesso e duas saídas opostas. Cada célula de quatro metros quadrados pode comportar uma única pessoa por vez, mantendo um afastamento até maior do que o recomendado. Além disso, apenas seis pessoas podem acessar a praça simultaneamente. Para minimizar o tempo dentro da praça de comércio, as barraquinhas poderiam preferir a venda de pacotes fechados em vez de produtos a granel.

1 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]