Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Vista aérea da sede do escritório de Curitiba que foi o primeiro edifício brasileiro a receber a certificação LEED Zero Carbon.
Vista aérea da sede do escritório de Curitiba que foi o primeiro edifício brasileiro a receber a certificação LEED Zero Carbon.| Foto: Lex Kozlik

A sede do escritório De Paola & Panasolo Sociedade de Advogados, em Curitiba, acaba de se tornar oficialmente o 1º edifício do Brasil a zerar a emissão de gases do efeito estufa no período de um ano, utilizando fontes de energia renováveis e meios de transporte alternativos. A garantia vem da certificação LEED Zero Carbon, concedida recentemente pelo U.S. Green Building Council ( USGBC).

Segundo dados atestados pela certificação, o escritório deixou de emitir por ano aproximadamente 6,9 toneladas de gases nocivos ao meio ambiente.

Siga a HAUS no Instagram

Os sócios Leonardo Sperb de Paola e Alessandro Panasolo com as três certificações LEED alcançadas pelo escritório.
Os sócios Leonardo Sperb de Paola e Alessandro Panasolo com as três certificações LEED alcançadas pelo escritório.| Lex Kozlik

O escritório também pode se orgulhar de um outro importante marco. Com essa nova certificação, o prédio é um dos poucos no mundo e também o primeiro no Brasil com tripla certificação LEED. A saber, LEED Platinum, LEED Zero Energy e LEED Zero Carbon.

“Esse é o reconhecimento de que o escritório alcançou o mais elevado padrão de sustentabilidade. Não se trata apenas de neutralizar nossa pegada de carbono, de gerar toda a energia consumida em nossas instalações, de reciclar todos os resíduos, de utilizar produtos de limpeza biodegradáveis, mas também de propiciar a toda equipe, clientes e parceiros, um ambiente de trabalho e de convivência com total conforto, saúde e bem-estar”, comenta Leonardo Sperb de Paola, sócio do escritório.

Casa da década de 1970 é a sede do escritório.
Casa da década de 1970 é a sede do escritório.| Lex Kozlik

O escritório fica em uma casa de 581 m² que foi construída na década de 1970 para abrigar uma família. Em 2015, ela foi reformada e ampliada para a instalação do escritório. O imóvel tem sete salas de trabalho, duas salas de reuniões, recepção, lobby, auditório, oito banheiros, duas cozinhas, uma sala técnica, uma copa e uma sala de arquivos. O espaço abriga 11 pessoas atualmente.

Economia de R$ 20 mil por ano

Segundo André Belloni, sócio da Petinelli, empresa de engenharia e consultoria em sustentabilidade, as soluções de eficiência e geração de energia renovável garantem ao De Paola & Panasolo uma economia de R$ 20 mil por ano em energia. Para se chegar a esse resultado, a primeira premissa foi reduzir o consumo de energia, com 100% da iluminação por lâmpadas de LED e todo o sistema de ar-condicionado com tecnologia Inverter.

O sócio da Petinelli explica que essas medidas garantem que a intensidade de consumo de energia da edificação seja bastante baixa, apenas 31 kWh/m² ao ano. “Isso é menos da metade do que é consumido em edifícios de escritórios similares. Investir em eficiência energética é importante porque reduz a necessidade de compra de painéis fotovoltaicos”, esclarece.

Consumo de energia da edificação é de apenas 31 kWh/m² ao ano, menos da metade do que é consumido em escritórios similares.
Consumo de energia da edificação é de apenas 31 kWh/m² ao ano, menos da metade do que é consumido em escritórios similares.| Lex Kozlik

Para a geração da própria energia, foi implantado sistema fotovoltaico de 90 m², com 56 módulos, no telhado da edificação principal, com potência instalada de 14,8kWp e capacidade de geração de 17,8Mwh por ano. “O escritório investiu recursos próprios para a colocação do painel, o que será recuperado em menos de cinco anos de funcionamento do sistema”, ressalta Belloni.

O escritório tem ainda comando de iluminação externa por fotocélula (para desligamento durante o dia) e timer (para desligamento durante a noite); metais e louças sanitárias de baixa vazão para redução do consumo de água potável; separação de lixo reciclável e compostagem de resíduos orgânicos; e cisterna para captação da água da chuva, que é utilizada para limpeza das dependências, reduzindo significativamente o consumo da rede pública, o que, nesse período excepcional de seca, contribui para a economia de água.

Soluções de bem-estar

Outras intervenções foram feitas para promover a saúde e o bem-estar dos ocupantes, como a instalação de sistema de ventilação mecânica em ambientes e corredores onde não havia janelas ou que estavam muito distantes delas. “Isso contribuiu significativamente para melhorar a renovação e qualidade do ar, com filtragem fina de partículas”, diz Belloni.

Outro aspecto que resulta em mais conforto aos ocupantes é a integração do ambiente interno com o externo. A maioria dos cômodos têm janelas amplas com vista para o bosque de aproximadamente 400 m², que conta com dezenas de árvores nativas e é visitado por animais silvestres. “Essa solução oferece mais conforto aos ocupantes e, segundo estudo internacional da California Energy Commision, favorece a concentração e aumenta a produtividade entre 10% e 25%, comparado ao desempenho de funcionários que trabalham em locais sem acesso visual às áreas externas”, frisa Belloni.

Vista aérea da sede do escritório de Curitiba que foi o primeiro edifício brasileiro a receber a certificação LEED Zero Carbon.
Vista aérea da sede do escritório de Curitiba que foi o primeiro edifício brasileiro a receber a certificação LEED Zero Carbon.| Lex Kozlik

“Esperamos que esse projeto inspire outras iniciativas, já que prova que as construções verdes são possíveis e viáveis. A partir dele, estamos cumprindo nossa responsabilidade como cidadãos em construir uma sociedade melhor”, diz Alessandro Panasolo, sócio do escritório De Paola & Panasolo.

2 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]