Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Projeto de reforma e interiores do Estúdio Campetti em uma antiga garagem garantiu conforto, funcionalidade e beleza para o escritório com ares de galeria. 
Fotos: Marcelo Stammer / Divulgação
Projeto de reforma e interiores do Estúdio Campetti em uma antiga garagem garantiu conforto, funcionalidade e beleza para o escritório com ares de galeria. Fotos: Marcelo Stammer / Divulgação | Foto:

Uma garagem que virou casa, mas sem ser reformada foi o ponto de partida para o projeto dos arquitetos Márcia e Tiago Campetti, do Estúdio Campetti. Eles transformaram o ambiente de 95 metros quadrados no novo espaço de trabalho da empresa, mas com um conceito que vai além de um escritório de arquitetura. Há espaço para exposições de arte e fotografia e a linguagem tem pegada industrial contemporânea.

Reforma garantiu circulação de ar mais eficiente. Destaque ainda para o uso de diferentes materiais.
Reforma garantiu circulação de ar mais eficiente. Destaque ainda para o uso de diferentes materiais.

O estúdio fica no “subsolo” de uma antiga casa construída por imigrantes alemães, o acesso foi a única intervenção externa que o imóvel recebeu e um pórtico revestido de cimento transformou a fachada.

Fachada recebeu acabamento em cimento diferenciando-se da linguagem da antiga casa.
Fachada recebeu acabamento em cimento diferenciando-se da linguagem da antiga casa.

Reforma

O espaço é dividido em seis ambientes, além da circulação. “O imóvel localiza-se a meio nível abaixo do solo, nestes casos não é fácil criar ambientes plenamente agradáveis e o projeto exigiu muito planejamento”, lembra Tiago.

Linguagem industrial permeia todo o projeto.
Linguagem industrial permeia todo o projeto.

Foi realizada uma grande reformulação do espaço seguindo três diretrizes: rebaixo do piso no sentido longitudinal, garantindo livre acesso a todos os ambientes, ampliação das aberturas, criando ventilações cruzadas e aumento dos níveis de iluminação natural com criação de espaços comuns que pudessem oferecer convívio e eventos entre profissionais e artistas.

Aberturas proporcionaram luminosidade natural e ventilação.
Aberturas proporcionaram luminosidade natural e ventilação.

Originalmente o espaço era mais fechado, por ser aterrado era suscetível à umidade. As aberturas executadas nas paredes externas e a remoção de divisórias internas criou um eficiente sistema de ventilação cruzada. As aberturas das extremidades são cobertas e podem ficar abertas mesmo em dias chuvosos, oferecendo controle de temperatura e ventilação no ambiente.

Vegetação colocada nos vergalhões traz mais leveza para o projeto.
Vegetação colocada nos vergalhões traz mais leveza para o projeto.

Materiais

“Exploramos uma grande quantidade de materiais, buscando o máximo de cada um e provando que a sofisticação esta na forma como o produto é aplicado. No estúdio encontram-se tijolos aparentes com diferentes superfícies de mármore polido, carpetes e cimento queimado”, elenca o arquiteto.

No acesso um deck construído em tijolo, emoldurado por um pórtico de placas revestidas com cimento. O lounge tem piso de cimento queimado na área de permanência e granito bruto na circulação, além de  revestimento em pastilha de madeiras no teto. O mobiliário mescla a madeira, apoiada sobre suportes de vergalhão que servem como apoio para a vegetação.

Sala de projetos tem iluminação mais potente para o trabalho. As instalações foram feitas de forma aparente, reforçando a linguagem industrial.
Sala de projetos tem iluminação mais potente para o trabalho. As instalações foram feitas de forma aparente, reforçando a linguagem industrial.

A sala de projeto segue a linha bem industrial. Como o teto é baixo para criar um forro, forma utilizados conduítes metálicos e eletrocalhas para alimentar os computadores e criar uma iluminação ampla, difusa e cheia de movimento. O armário de andaime é um elemento que de certa forma traz a lembrança do canteiro de obras para dentro do escritório onde se projeta.

Estante feita com andaime é outra sacada do projeto.
Estante feita com andaime é outra sacada do projeto.

Todo o mobiliário foi desenhado pelos arquitetos, com exceção das cadeiras Eames DAW do lounge, as DSW da cozinha e o sofá Chesterfield verde.

Projeto da cozinha com piso em Silestone em duas cores.
Projeto da cozinha com piso em Silestone em duas cores.

A cozinha foi aberta para garantir mais luz e integração ao ambiente. O destaque desta área é o piso formado por duas chapas inteiras de Silestone laranja em oposição ao monocromático dos móveis pretos e do revestimento das paredes.

Sala de reunião tem toque mais requintado. Destaque para a mesa esculpida em mármore.
Sala de reunião tem toque mais requintado. Destaque para a mesa esculpida em mármore.

A sala de reunião traz o convidado a um ambiente mais íntimo e requintado, o piso de mármore claro destaca a mesa, também de mármore, que surge do piso como uma escultura em um movimento geométrico e não termina até alcançar o teto. As paredes que o envolvem são de tijolos maciços aparentes e discreto painel de MDF com frisos iluminados.

Lavabo com múltiplos materiais é uma forma de apresentar soluções diferentes para os visitantes.
Lavabo com múltiplos materiais é uma forma de apresentar soluções diferentes para os visitantes.

No lavabo duas paredes foram descascadas, tirando a antiga cerâmica e revelando o tijolo original da obra. As outras duas paredes receberam revestimento tridimensional e espelhos bronze. A pia foi feita de mármore esculpido.

A reforma favoreceu a  iluminação natural e isso ficou evidente no acesso, que exibe uma obra de Celestino Dimas.
A reforma favoreceu a iluminação natural e isso ficou evidente no acesso, que exibe uma obra de Celestino Dimas.

Como o pé direito era um condicionante muito forte do projeto, a iluminação foi pensada de forma mais periférica e indireta. Como no hall de acesso onde apenas a obra do artista Celestino Dimas recebe pontos de led por baixo e dois spots ao alto iluminam o desenho e a vegetação sobre o deck.

Exposição fotográfica no lounge.
Exposição fotográfica no lounge.

No lounge as vigas são iluminadas com fita de led e servem de suporte para a eletrocalha que dá suporte aos spots que iluminam as fotografias da exposição dos fotógrafos Arnaldo Belotto, Guilherme da Costa e André Rodrigues.

 

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]