Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Exposição abre ao público no dia 22 de fevereiro, no Aquário do MON, com entrada gratuita.
Exposição abre ao público no dia 22 de fevereiro, no Aquário do MON, com entrada gratuita.| Foto: Divulgação

“Pensar o passado para compreender o presente e idealizar o futuro”. A frase creditada ao historiador grego Heródoto é válida para diversos aspectos da vida social e privada, e não seria diferente quando falamos das nossas cidades. E é justamente essa provocação que a mostra “40+40: Baggio+Schiavon, 40 anos de arquitetura”, propõe a seus visitantes.

Em cartaz no aquário do Museu Oscar Niemeyer (MON) a partir de 22 de fevereiro, a mostra apresenta uma visita aos últimos 40 anos do urbanismo curitibano ao mesmo tempo em que exalta o diálogo entre ele e a produção do escritório Baggio Schiavon Arquitetura (BSA), idealizador e responsável pela mostra.

Siga a HAUS no Instagram

Com curadoria de Consuelo Cornelsen e tendo HAUS como patrocinadora, a exposição integra uma série de ações que irão marcar as comemorações aos 40 anos do escritório de arquitetura, que está entre os mais longevos ainda em atividade na capital paranaense e tem mais de 1,1 mil projetos executados aqui e em outras cidades país afora.

Exposição interativa traz linha do tempo que resgata o passado e projeto o futuro do urbanismo.
Exposição interativa traz linha do tempo que resgata o passado e projeto o futuro do urbanismo. | Divulgação

“Durante estes 40 anos, nossa interferência na paisagem urbana da cidade foi muito grande, pois trabalhamos muito com o mercado imobiliário, projetando edifícios residenciais e comerciais. Um edifício marca muito a cidade, ele é uma escultura. Trabalhamos sempre buscando uma estética bacana, o enquadramento do edifício com o entorno, com a paisagem urbana daquele local”, aponta Manuel Baggio, sócio fundador do BSA. “[A proposta é] contextualizarmos a nossa produção dentro do urbanismo que foi a base da implantação dos edifícios que nós projetamos, e sempre muito em harmonia [com a cidade], tentando criar espaços público-privados ou privados-públicos, retirar muros, integrar calçadas, trabalhar com fruição pública, fachada ativa e gentileza urbana”, reforça Flávio Schiavon, também sócio fundador do escritório.

Entre eles estão edifícios facilmente reconhecidos na cidade, como o Metropolitan Building e o Evolution Towers, para citar alguns. A visita pela história e detalhes de todos eles, e de outros que compõem a trajetória do escritório, se dará em meio a uma “Curitiba” interativa, instalada dentro da área de exposição no museu.

Além da mostra, o livro “40+40: Baggio+Schiavon, 40 anos de arquitetura” será lançado e irá catalogar todos os projetos contemplados na exposição, compondo um registro histórico da produção assinada pelo escritório, que acaba se confundindo com a da própria cidade. “Optou-se por fazer uma espécie de linha do tempo, desde a primeira obra, mostrando a trajetória do escritório”, explica Schiavon.

O inovador Neo Superquadra, no Centro Cívico.
O inovador Neo Superquadra, no Centro Cívico.| Paula Moraes

“O maior investimento foi o tempo dedicado e compartilhado com toda a equipe de produção. O envolvimento da BSA, o amor e a paixão em cada detalhe. É uma imersão na cidade e a celebração de 40 anos de trabalhos realizados. É criar emoção e sentimentos. É a sensação de pertencimento, de poder conhecer a história e transformá-la”, descreve a curadora da mostra ao destacar o caráter interativo da exposição, que irá convidar os visitantes à reflexão, à proposição de ideias e à ação de diferentes maneiras.

+40

Como toda história deixa lições, os profissionais e visitantes da exposição serão instigados a refletir, discutir e propor ações e soluções de arquitetura e urbanismo para a Curitiba do futuro, assim como para outras localidades do globo. Isso se dará a partir do fio condutor relacionado ao enfrentamento de questões que irão predominar e impactar quando o assunto é a vida nos centros urbanos e o futuro das cidades. A saber: mudanças climáticas, tecnologias de ruptura, novos materiais construtivos, desenho urbano, big data e comportamento humano; coworking e coliving; e arquitetura extraterrestre.

O Evolution Towers, localizado no coração da cidade.
O Evolution Towers, localizado no coração da cidade. | Paula Moraes

Essa troca se dará na mostra, por meio de interações digitais realizadas pelos visitantes, e também de forma mais aprofundada e colaborativa no fórum que será realizado no dia 31/03. A programação completa será divulgada em breve.
“Não teria sentido [apenas] resgatar o passado, o que passou. O mundo mudou e todos teremos que nos envolver para construirmos um melhor, o mundo que queremos para nossos descendentes. As questões estão aí, visíveis. Queremos cidades mais humanas, onde a prioridade seja o homem e o planeta”, reforça Cornelsen.

HAUS é patrocinadora oficial da exposição e do livro “40+40: Baggio+Schiavon, 40 anos de arquitetura”, além de contribuir com a concepção dela e também do fórum.

Serviço:
“40+40: Baggio+Schiavon, 40 anos de arquitetura”

Exposição
Data: a partir de 22 de fevereiro
Local: Aquário do Museu Oscar Niemeyer
R. Mal. Hermes, 999 – Centro Cívico

Fórum
Data: 31 de março, 19h
Local: Auditório Poty Lazzarotto (MON)
Entradas gratuitas

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]