Uber revela como será sua primeira base para “carros” voadores

Com proposta futurista, skyports da Uber deverão transformar o cenário urbano ao servir de base para a mobilidade aérea

por HAUS

compartilhe

Depois de revolucionar a mobilidade urbana terrestre, a Uber planeja inovar, também, no que se refere ao transporte aéreo. No II Encontro Anual da Uber Elevate, realizado nos últimos dias 8 e 9 de maio em Los Angeles, Estados Unidos, a gigante da mobilidade apresentou o conceito que norteará os projetos dos seus skyports, uma espécie de heliponto que deverá dar suporte ao Uber Air, futuro serviço de transporte aéreo da companhia.

Os projetos foram escolhidos a partir de um concurso realizado pela Uber, que selecionou seis deles, e assinados por empresas de arquitetura e engenharia. O objetivo é o de que eles sirvam como base de pouso e decolagem para as aeronaves do tipo eVTOL (veículo elétrico de decolagem e pouso vertical).

LEIA MAIS 

>>> Mobilidade urbana de Curitiba ainda é modelo, mas ficará para trás sem novas tecnologias

>>> “Cidades do futuro já estão em construção”, diz especialista em mobilidade

Os projetos dos skyports, assim como o Uber Air, ainda estão em fase de protótipo. De acordo com a Uber, os primeiros testes deverão ser realizados em 2020 para que a Uber Air comece a operar três anos depois.

Conheça os seis projetos dos skyports da Uber, que têm na proposta futurista seus principais destaques.

Imagens: Divulgação/Uber

Inspirado na forma de uma colméia e no padrão de voo das abelhas, o “Uber Hover”, assinado pelo escritório Humphreys & Partners Architects, utiliza materiais sustentáveis em sua construção e acomoda cerca de 900 passageiros por nível, por hora.

A mesma inspiração norteia o projeto “Colméia”, do The Beck Group. Escalonável, ele acomoda 150 decolagens e aterrissagens por hora – esta capacidade, no entanto, pode ser ampliada para até 1 mil a cada hora.

Desenvolvido pelo Pickard Chilton e Arup, o projeto da “Sky Tower” traz uma série de módulos que podem ser combinados vertical e horizontalmente, de acordo com a paisagem da cidade em que for construído. Cada torre tem capacidade para acomodar 1,8 mil passageiros por hora e receber cerca de 180 pousos e decolagens.

Assinado pelo escritório de design Gannett Fleming, o skyport batizado “The Paw” (“A Pata”, em tradução livre) conta com múltiplas plataformas de aterrissagem e comporta o pouso e decolagem de 52 veículos elétricos por hora.

Com linhas geométricas e permeabilidade visual, o protótipo do skyport assinado pela Boka Powell apresenta embarque e desembarque escalonados em diferentes níveis de altura.

Com uma proposta que lembra uma pista de pouso elevada, o projeto “Connect”, da Corgan, é baseado nas redes rodoviárias. Assim, os diferentes módulos são interligados e permitem que os veículos possam circular entre eles.

LEIA TAMBÉM

8 recomendações para você