Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Vencedor do “Oscar da arquitetura”, Gottfried Böhm morre aos 101 anos
| Foto: Raphael Behinder

Oitavo vencedor do Pritzker Architecture Prize, mais importante prêmio mundial da arquitetura, o arquiteto alemão Gottfried Böhm faleceu no último dia 9 de junho (quarta-feira).

Nascido em uma família de arquitetos, Böhm começou a trabalhar na empresa de seu pai, Dominikus, após estudar Engenharia e Escultura na Technische Hochschule e na Academia de Belas Artes de Munique, respectivamente. Depois de trabalhar na Alemanha e nos Estados Unidos e após o falecimento de seu pai, Böhm assumiu, em 1955, a liderança do escritório, que tinha sede em Colônia.

Siga a HAUS no Instagram

Nesse período inicial, que se estendeu até a década de 1960, Böhm seguiu o legado de seu pai e trabalhava exclusivamente com igrejas. Mas ao contrário dele, no entanto, se afastou do estilo expressionista e passou a explorar superfícies geométricas limpas, muitas vezes materializadas em tijolo vermelho com pequenos elementos de vidro, como lembra Isabella Baranyk. "Para o arquiteto, cones, pirâmides e cilindros empilhados criam uma representação clara e direta do sagrado", completa.

 Interior da Igreja da Peregrinação de Neviges.
Interior da Igreja da Peregrinação de Neviges. | Laurian Ghinitoiu

Sua preocupação com o espaço urbano e a inspiração nas formas tradicionais são visíveis ao longo de toda a sua carreira. "O futuro da arquitetura não está tanto em continuar a preencher a paisagem, mas em trazer de volta a vida e a ordem às nossas cidades", disse certa vez.

Em 1986, Böhm se tornou o primeiro arquiteto alemão a receber o Pritzker Prize. Na ocasião, o júri considerou que "sua obra bastante evocativa combina muito do que herdamos de nossos ancestrais com aquilo que adquirimos recentemente."

Interior da Igreja da Peregrinação de Neviges.
Interior da Igreja da Peregrinação de Neviges.| Laurian Ghinitoiu/Reprodução

A maior parte de sua produção, como a Igreja da Peregrinação de Neviges, foi construída na Alemanha. Mas o Brasil também conta com exemplares assinados por Böhm e sua família: a Catedral São Paulo Apóstolo e a Igreja Matriz São Luiz Gonzaga, localizadas nas cidades catarinenses de Blumenau e Brusque, respectivamente.

Igreja de São Luís Gonzaga, em Brusque (SC).
Igreja de São Luís Gonzaga, em Brusque (SC). | Angelina Wittmann

A rotina de Böhm foi registrada em "Concrete Love: The Böhm Family" (2016), filme premiado dirigido por Maurizius Staerkle-Drux que documenta as relações do falecido arquiteto com sua família e colegas e as inspirações por trás de seus trabalhos.

*Com informações do Archdaily Brasil

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]