7 projetos pensados para as crianças que são um convite à brincadeira

As soluções da arquitetura e do design fazem das áreas de brincar um acesso ao universo criativo e ao desenvolvimento dos pequenos

Foto: Renata D’Almeida/Divulgação

por Sharon Abdalla

10/10/2019

compartilhe

Brincar. Este é o verbo que talvez melhor defina a infância, até mesmo porque está mais do que provado que, além da mera diversão, o ato estimula o desenvolvimento das crianças em diversos níveis. Tendo isto em mente, não são poucos os projetos de arquitetura que fazem de suas soluções uma ode à brincadeira e um convite ao universo criativo que ela proporciona.

Para celebrar a semana da criança, HAUS selecionou sete projetos que têm o brincar na essência. Confira e inspire-se!

Na serra

Foto: Leo Costa/Divulgação

Uma família fez da varanda da casa de fim de semana, localizada na cidade de Itaipava (RJ), um local dedicado à brincadeira dos filhos e demais crianças que visitam o imóvel na companhia dos amigos da família. O espaço, emoldurado pelo verde da serra e que tem abertura para os quartos dos pequenos, não necessitou de nenhuma mudança estrutural ou de revestimentos para comportar tal funcionalidade. A única inserção do projeto, assinado pela Oba Arquitetura, foi a de uma persiana de teto, que protege a área da incidência solar sem comprometer a iluminação do espaço.

Fotos: Leo Costa/Divulgação

O mobiliário solto, na escala das crianças, setoriza o ambiente. Há uma mesinha para desenhos e jogos, um cantinho para fantasias, uma minicozinha e muitos nichos e prateleiras para que os brinquedos sejam guardados e organizados.

Alugado e divertido

Foto: Renata D’Almeida/Divulgação

Morar em um imóvel alugado não significa que não seja possível investir em um espaço lúdico para as crianças. Com marcenaria em MDF revestido com fórmica, o projeto assinado pela arquiteta Andrea Chapira, da Uêbaa Design, foi elaborado para garantir a diversão e dar asas à imaginação de três irmãos que gostam de fazer apresentações e shows para a família. Assim, o palquinho e a arara de fantasias são a principal atração do cômodo, que conta até com futons para acomodar a plateia.

Fotos: Renata D’Almeida/Divulgação

Os tapetes garantem conforto para as brincadeiras no chão, revestido em madeira, e decoram o espaço propositalmente deixado livre para que as crianças possa esparramar os brinquedos. A paleta em tons claros, por sua vez, foi um pedido dos clientes.

Diversão liberada

Foto: Leo Costa/Divulgação

Casa de avós costuma ser sinônimo de liberdade para os pequenos e no projeto assinado pela Oba Arquitetura este fato está muito presente. A brinquedoteca foi instalada em um cômodo do imóvel a pedido dos avós, que queriam receber os netos, afilhados e amigos em casa.

Foto: Leo Costa/Divulgação

O pé-direito generoso do cômodo permitiu a instalação de uma casinha alta, em madeira, com um escorregador – um pedido do avô. Na parte de cima dela, o estofamento permite que os pequenos tirem uma soneca, enquanto na parte de baixo uma minicozinha remete à profissão dele, que é chef. O colorido, característico da infância, está presente no mobiliário e nos elementos decorativos, em contraste com a parede branca do ambiente.

Dentro e fora

A mudança da configuração familiar trouxe alterações ao projeto da casa assinada pela Kali Arquitetura inicialmente para um jovem solteiro. O casamento e a chegada dos dois filhos fizeram com que ele solicitasse aos profissionais a transformação da garagem em uma grande brinquedoteca. Como o cômodo não interfere na decoração e no ritmo da residência, eles optaram por fazer das cores, especialmente do amarelo vibrante, uma aliada da nova proposta.

Foto: Marcelo Donadussi/Divulgação

Além de nichos para guardar os brinquedos, o espaço conta com parede lousa, TV e muita área livre para que as crianças possam se divertir no espaço, cujo piso recebeu revestimento vinílico, que é mais suave ao toque e tem fácil manutenção.

Fotos: Marcelo Donadussi/Divulgação

No jardim, por sua vez, a diversão é garantida por um playground que remete às casas na árvore. Executada em deck de madeira de reflorestamento com desenho do escritório de arquitetura, ela conta com duas áreas, uma térrea e outra superior, e dois escorregadores, o que permite aos irmãos brincarem simultaneamente.

No alto

Foto: Ricardo Bassetti/Divulgação

Atire a primeira pedra quem nunca quis fazer de um sótão o seu espaço para brincadeiras. Os netos de um casal que mora em São Paulo alcançou este objetivo com o projeto realizado pelos seus avós e assinado pela BZP Arquietura.

Fotos: Ricardo Bassetti/Divulgação

Não bastasse o azul do tapete em EVA e o verde quase limão de uma das paredes, um adesivo que imita uma estante com livros é responsável por potencializar o colorido do ambiente, presente também no tom laranja dos móveis da minicozinha. Ao lado dela, a parede de lousa convoca à liberdade criativa, possibilitada também pela mesa central – que também serve de apoio para lanches.

Cantinho da bagunça

Foto: Felipe Amaral/Divulgação

Outro projeto que dá uma nova função a uma área do imóvel é o assinado pelo AS Design Arquitetura, que transformou uma edícula na brinquedoteca de dois meninos. Com piso forrado em tatame de EVA, que garante conforto e segurança aos pequenos, o espaço tem dois pontos focais: a piscina de bolinha e outra de areia colorida azul, cor dominante no espaço, que também traz pitadas de cinza.

Foto: Felipe Amaral/Divulgação

Uma estante, uma mesinha e uma cabana triangular complementam a decoração do espaço, sendo que a forma desta última conversa com a das montanhas pintadas como cenário de uma das paredes.

“A casa” na árvore

Foto: João Caranca/Reprodução

O escritório português de carpintaria e arquitetura em madeira, Madeiguincho, levou o conceito de casa na árvore para um outro nível. Construído na vila de Cascais, o espaço de 15 m² foi construído a pedido de um avô que pretendia oferecê-lo aos netos e tem na simplicidade seu principal destaque.

Fotos: João Caranca/Reprodução

Distante dos brinquedos e dos demais estímulos comuns ao universo infantil, a casa tem no pequeno tatame em EVA a única referência lúdica. A base da casa, bastante elevada em relação ao solo, está apoiada em três árvores do lote, sendo que uma delas, um cedro, atravessa seu interior. Grandes recortes em vidro e madeira potencializam a entrada da luz natural e tiram proveito do nascer e do pôr do sol.

LEIA TAMBÉM

Quatro papéis de parede para colorir e deixar o quarto das crianças decorado e divertido

Reforma de quarto de bebê mostra que obras são possíveis até mesmo em imóveis alugados

Inspire-se com seis projetos criativos para quartos divididos pelos irmãos

Sete quartos infantis para estimular a organização e imaginação das crianças

 

 

Receba nossas notícias por e-mail

Inscreva-se em nossas newsletters e leia em
seu e-mail os conteúdos de que você mais
gosta. É fácil e grátis.

Quero receber

8 recomendações para você