Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
A arquiteta Larissa Gnoatto transformou a varanda do seu apartamento em um cantinho natalino com décor minimalista.
A arquiteta Larissa Gnoatto transformou a varanda do seu apartamento em um cantinho natalino com décor minimalista.| Foto: Priscilla Fiedler/Gazeta do Povo

Não ignore o Natal. Essa é a dica principal de todos os arquitetos e designers ouvidos pela reportagem. Se você reconhece o menino Jesus como seu salvador, então é hora de festejar seu renascimento em nossos corações. Mas se você não é muito ligado nessa parte espiritual ou se não professa a fé cristã, apegue-se pelo menos à fraternidade e à união familiar que o Natal inspira. “É um momento de unir e aproveitar a família”, resume a designer de interiores Yara Mendes.

Siga a HAUS no Instagram

Comece pelo pinheirinho

| Priscilla Fiedler/Gazeta do Povo

Na dúvida de como decorar a casa, invista primeiro em um pinheirinho alto e largo. Apostar na árvore como elemento protagonista é a sugestão basilar do arquiteto Rodolfo Fontana, com a experiência de quem já passou pela Universidade de Illinois e pela Parsons, nos Estados Unidos, e pela Escola de Arquitetura de Bordeaux, na França. “Não queira comprar um monte de enfeites para encher a árvore de Natal de primeira. Os enfeites você compra ao longo da vida. Eles precisam ter significado para você”, indica.

Depois disso, observe o estilo do ambiente que receberá a decoração natalina e tente casar as duas linguagens. Se você preferir, você pode ser mais minimalista. Mas se não for fã da ideia, esse é um dos momentos em que a regra do menos é mais pode ser totalmente engavetada. “É hora de abusar. Afinal, são apenas 30 dias. E nesse abusar, use sua criatividade. Coloque laços ou enfeites em todas as maçanetas, por exemplo. Coloque guirlandas retas (os festões) nos pórticos. São demarcações que fazem toda a diferença”, aponta Rodolfo.

Luz e Faça Você Mesmo

natal
| Priscilla Fiedler/Gazeta do Povo

Para destacar ainda mais a árvore de Natal, a arquiteta Larissa Gnoatto sentencia que a iluminação é a grande questão chave. “Quanto mais iluminada for a árvore, melhor. E também porque isso remete ao verdadeiro significado do Natal, que é a chegada da luz ao mundo, de Jesus”, explica.

E, por último, mas não menos importante, Natal é uma época em que é preciso ter um pouco de Do It Yourself (Faça Você Mesmo). Faça laços, recolha pinhas e passe sprays dourados, como aconselha Rodolfo. “Exige tempo e organização, mas vale a pena. Se você estiver em dúvida de em qual tipo de decoração investir, faça pequenos núcleos por ambientes. Isso causa mais impacto e dá mais profundidade para a cenografia”, lembra o arquiteto. A reportagem convidou Larissa, Rodolfo e Yara para criar ambientes natalinos para inspirar a sua decoração. Confira algumas ideias!

Na varanda

natal
| Priscilla Fiedler/Gazeta do Povo

A arquiteta Larissa Gnoatto transformou a varanda integrada do seu apartamento de 168 m² no Campo Comprido, em Curitiba, em um cantinho natalino bem minimal. A árvore é a protagonista no espaço social integrado que tem contornos decorativos bastante contemporâneos, com materiais naturais, mobiliário de design brasileiro, tons mais neutros com off-white e cinza, e muitas texturas. “A intenção foi valorizar a cor tradicional do Natal, o vermelho, que se destaca no ambiente mais sóbrio, e o verde aparente da árvore. Por isso, não quis carregar muito na quantidade de enfeites”, avalia a profissional.

Memórias e histórias de Natal

| Priscilla Fiedler/Gazeta do Povo

O arquiteto Rodolfo Fontana, em qualquer viagem que faça durante o ano, procura sempre uma loja de Natal permanente para ir atrás de enfeites. Por isso sabe apontar de onde veio cada um dos objetos que forram a árvore de 2,7 metros de altura da família no hall de entrada do apartamento de 700 m² dos pais no Água Verde. Como os ursinhos ingleses, o carrossel de Gramado, os cristais britânicos, as bolas transparentes e douradas do Mickey. Para o ambiente, que tem painéis de imbuia, mármore, um tapete assinado por Antonio Meneghetti e portas do elevador de latão dourado, ele prefere o vermelho bordô clássico, que remete ao sangue de Cristo, e investe muito em laços feitos a mão por ele e pela família, principalmente pela mãe, Ana Dalgiza Fontana. Todo ano eles criam laços diferentes, que são reutilizados. Tem laços na árvore com até 10 anos de vida. Rodolfo gosta de colocar uma pequena máquina de laser apontada para uma das paredes a fim de dar movimento e profundidade à cenografia. Além de serem recepcionados pela árvore gigantesca, o hall do apartamento abriga uma cômoda inglesa com vasos tipo Émile Gallé, de motivos florais, típicos do Art Nouveau, e cadeiras que estão na família há 20 anos, da antiga sala de jogos da casa anterior. As almofadas também foram bordadas pela própria mãe de Rodolfo.

natal
| Priscilla Fiedler/Gazeta do Povo

Cozinha, o coração da casa antes e durante o Natal

natal
Na cozinha, coração desse apartamento, pequenos objetos e os tradicionais biscoitos de natal trazem o clima festivo.| Priscilla Fiedler/Gazeta do Povo

A designer de interiores Yara Mendes aprendeu com o “tio” João Batista, como ela chamava o hoje internacionalmente conhecido Artigas, o pai do modernismo paulista, que a cozinha é o coração da casa. E foi esse o protagonismo que ela deu para a cozinha de um casal com dois filhos, um menino e uma menina, em um apartamento de 278 m² no Campo Comprido. A vontade dos proprietários era poder cozinhar vendo e interagindo com os convidados, e não de frente para a parede estéril. Yara caprichou. Fez a sala mais clara, integrada com o espaço gourmet, e escureceu a cozinha para ressaltar a beleza natural dos alimentos e dos eletrodomésticos. A madeira é a mesma em toda a área social. “Natal é sobre viver em família, e nada melhor do que fazer bolachas natalinas (de gingerbread) em casa”, defende. Yara trouxe diversos símbolos natalinos para a bancada e para os armários. E escapou do vermelho tradicional, preferindo decorações brancas que lembram neve, o elemento que habita a imaginação de todo habitante dos trópicos, como a pequena árvore iluminada, as casinhas, as velas e as pelúcias, todos da loja Seu Nicolau. As bolachas são da Verart’s Decora.

| Priscilla Fiedler/Gazeta do Povo
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]