Oito dicas para acertar na escolha do sofá e do tapete

Guia prático para orientar a compra e informações que prometem fazer a dupla tapete+sofá funcionar bem na sua sala

Tons parecidos, pertencentes à mesma família cromática, ajudam a harmonizar o ambiente. A opção é deixar a cor para os detalhes, como as almofadas da foto. Jab Forniture/Divulgação

por textos: Eloá Cruz

18/03/2016

compartilhe

1. Conforto é imprescindível
Quando se pensa em sofá, o conforto é um dos critérios mais importantes. Preste atenção na altura do assento (se é fácil de sentar e levantar), se tem braço para servir de apoio, na altura do encosto, na forma como o móvel abraça o corpo, no material que o recobre. E se o sofá for colocado em uma sala de tevê, é bom verificar se há como instalar uma chaise ou pufe.

2. Escolha do material
Isso depende do lugar onde ficará o móvel, a cidade onde você mora, se você tem ou não crianças em casa. O couro, por exemplo, é excelente, pois facilita a limpeza e é resistente à água, mas é frio e liso, tornando-se desconfortável em dias quentes. Outros materiais indicados são suede e linhos, de grande durabilidade.

3. Tamanho ideal
O tamanho do sofá depende das dimensões do ambiente. Em um cômodo grande, com mais de 40 m², sofás de 2,4 metros funcionam muito bem. Já para lugares com até 20 m², o móvel precisa ser menor. A recomendação é que sobre 40 cm entre a lateral do sofá e a parede (para não parecer espremido no canto), além de prever espaço para a circulação.

4. Estrutura de boa qualidade
Faça a manutenção do sofá a cada 10 anos. A espuma ou o tecido precisam ser trocados, pois  deterioram com o tempo e a impermeabilização é recomendável principalmente para quem tem crianças ou animais em casa. Entre as estruturas mais encontradas, tanto a de madeira reflorestada, quanto a de metal, têm boa durabilidade.

5. Cores e texturas
Como você tende a ter um sofá por mais tempo, cuide ao escolher sua cor e textura. Cores como preto, branco, cinza e tons de fendi são mais fáceis de ser combinados com o restante da decoração. Aí vale brincar um pouco no tapete.  Os tapetes sintéticos, normalmente de náilon, são os mais usados, adequam-se a qualquer ambiente e decoração e podem ser fabricados sob medida em diversos modelos e cores. Para deixar o ambiente mais fresco, o ideal é escolher os tapetes com fibras mais baixas e de cores claras, que ampliam e dão a sensação de um local mais arejado.

A composição trabalha o contraste entre tapete sóbrio e sofá colorido. A ligação se dá pelos outros elementos da decoração, que conversam com os dois tons.  Jab Forniture/Divulgação

A composição trabalha o contraste entre tapete sóbrio e sofá colorido. A ligação se dá pelos outros elementos da decoração, que conversam com os dois tons.
Jab Forniture/Divulgação

6. Saber ousar
Para ser ousado, sem deixar o ambiente pesado, escolha um sofá com um desenho diferente. A cor pode ficar no tapete, já que tons fortes em peças grandes chamam muita atenção e podem fazer você enjoar rápido da decoração.

7. Combinar tudo não é regra
Combinar o sofá com o tapete e cortina não é regra. Se a proposta é usar um sofá como destaque em um ambiente, ele deve ser de uma cor diferente ou com um design diferente. Da mesma forma, o tapete não deve combinar com a cortina. “Se os três estiverem na mesma tabela de cor, como tons de cinza, o ambiente fica harmonioso. Porém, se tivermos um espaço mais neutro e um sofá na cor amarelo, também fica bom, pois ele se destacará”, diz Caetano Nigro, da Bender Arquitetura.

8. Lugar de tapete
Eles aparecem em praticamente todos os cômodos, porém, a escolha do material torna-se essencial nesse momento. Em quartos e salas, os tapetes podem ajudar a criar um ambiente confortável e acolhedor. Já em ambientes como banheiros e cozinhas, o ideal é escolher peças antiderrapantes e que isolem a temperatura do piso frio.

Receba nossas notícias por e-mail

Inscreva-se em nossas newsletters e leia em
seu e-mail os conteúdos de que você mais
gosta. É fácil e grátis.

Quero receber

8 recomendações para você