Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Aplicativo conecta instituições beneficentes de Curitiba e RMC a quem quer ajudar com doações
| Foto: Divulgação

Um grupo multidisciplinar de professores e estudantes universitários da Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e da Universidade Estadual do Paraná (Unespar) criou o aplicativo gratuito para iOS e Android NÓS (Nosso Olhar Solidário), que conecta instituições beneficentes sérias e em necessidade a pessoas que querem ajudar. Cada organização tem uma demanda diferente, mas no geral aceita-se doações em dinheiro, fraldas, alimentos, móveis, eletrodomésticos, roupas, entre outros.

Siga a HAUS no Instagram!

A ideia surgiu durante o auge da pandemia da Covid-19 no Brasil, em abril, quando 30 alunos e professores dos cursos de Design, Engenharias, Medicina, Letras, Artes Visuais e Administração das universidades em questão sentiram a vontade de ajudar a comunidade, mas não sabiam exatamente o que fazer para auxiliar.

| Divulgação

A solução foi então um aplicativo sem fins lucrativos que funciona por georreferenciamento (localiza quem precisa de ajuda por proximidade geográfica) e lista as instituições e o que elas necessitam. A plataforma foi lançada em junho.

"Hoje temos 126 instituições cadastradas em Curitiba e na Região Metropolitana da capital paranaense, entre hospitais, escolas, asilos, rede de apoio aos animais. No momento em que elas se voluntariam para participar do aplicativo, existe uma verificação de idoneidade. Nós aplicamos um protocolo que checa as informações das ONGs e de seus gestores em bases cadastrais da Receita Federal e do Poder Judiciário", esclarece a designer Eunice Liu, que leciona na UTFPR e é uma das coordenadoras do projeto NÓS.

Além do trabalho voluntário de diversos professores e alunos, foram investidos R$ 28,7 mil de quatro editais da UTFPR.

| Divulgação

Depois de se cadastrar no aplicativo, basta entrar em contato com a instituição e combinar o horário e local de entrega das doações.

Segundo Eunice, os desafios atuais do aplicativo é manter a rede de voluntários, promover parcerias com empresas públicas e privadas que possam ajudar a manter o projeto e buscar investidores anjos para expandir para outras cidades e regiões do Brasil.

| Divulgação
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]