Os irmãos Fernando e Humberto Campana, referência máxima do design brasileiro, em uma de suas maiores exposições, em 2017, no Museu Oscar Niemeyer.
Os irmãos Fernando e Humberto Campana, referência máxima do design brasileiro, em uma de suas maiores exposições, em 2017, no Museu Oscar Niemeyer.| Foto: Leticia Akemi/Gazeta do Povo

Os irmãos Fernando e Humberto Campana, sem dúvida alguma a dupla mais importante do design mundial, anunciaram em evento digital exclusivo com a Ôda Design Club, de Curitiba, nesta segunda-feira (15) a construção de um museu a céu aberto para celebrar a arte e o design do Brasil e da Itália no sítio da família Campana em Brotas, no interior do estado de São Paulo, cidade em que a dupla nasceu.

"Esse é meu sonho atual. Há um ano, com a pandemia, parei de viajar. Adorava correr o mundo. Daí me vi bloqueado. O que eu posso fazer? Tenho um sítio no interior de São Paulo, onde plantamos 15 mil mudas de árvores nativas. Mas ele tava meio abandonado. Daí tivemos a ideia de fazer instalações verdes. Um lugar tipo um micro-Inhotim, um lugar onde possa fazer diálogo com natureza, arte, design, arquitetura, uma escola de ambientalismo para educar as pessoas, uma escola de tradições manuais. Então estamos criando esses pavilhões", confidencia o designer Humberto Campana, fazendo referência ao centro de arte mineiro Inhotim, que é referência internacional.

Os irmãos Fernando e Humberto Campana, referência máxima do design brasileiro, em sua exposição no Museu Oscar Niemeyer (MON), em 2017.
Os irmãos Fernando e Humberto Campana, referência máxima do design brasileiro, em sua exposição no Museu Oscar Niemeyer (MON), em 2017.| Leticia Akemi/Gazeta do Povo

O designer conta que a intenção é dar esse espaço de presente para a cidade e abrir ao público. Ainda não existe uma data de conclusão do projeto, porém. Ao todo o plano da dupla Campana é dar vida para 12 pavilhões. O número tem uma explicação com raiz na história pessoal dos irmãos. "Porque havia a Etrúria [hoje região da Toscana, Lazioo e Umbria], na Itália. Haviam 12 grandes cidades etruscas. E minha vó tinha origem lá da Toscana. Então quero fazer 12 pavilhões, criando esse sonho, criando essa ligação entre Brasil e Itália", confidencia.

Segundo Humberto, três pavilhões estão em construção. Em um deles, existem diversos vasos altos de concreto, com até 2,5 metros de altura, que suportam espécies de agaves que crescem como um chapéu, com diâmetro de 1,5 metro.

Pavilhão dos Irmãos Campana com vasos gigantes de agaves.
Pavilhão dos Irmãos Campana com vasos gigantes de agaves.| Instituto Campana/Ôda Design Club/Reprodução

Em outro, uma grande área arredondada é delimitada por uma cerca viva de 700 mandacarus com até 4 metros de altura. "Foi feita agora. E tem um outro ainda, feito de tijolo, em que eu quero criar um horto botânico bem no centro com árvores brasileiras", explica.

Cerca viva de cactos mandacarus de até 4 metros de altura são um dos destaques de outro pavilhão assinado pelos Irmãos Campana em Brotas.
Cerca viva de cactos mandacarus de até 4 metros de altura são um dos destaques de outro pavilhão assinado pelos Irmãos Campana em Brotas.| Instituto Campana/Ôda Design Club/Reprodução

Livro inédito dos Campana chega à Curitiba

O evento on-line foi o lançamento oficial do livro "35 revoluções" em Curitiba. A obra retrata a ocupação dos irmãos Fernando e Humberto Campana no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro (MAM RIO), com curadoria de Francesca Alfano Miglietti, inaugurada em março de 2020, e que é a maior exposição já feita pela dupla em seus 35 anos de trajetória.

Livro reflete sobre os 35 anos de carreira dos Irmãos Campana.
Livro reflete sobre os 35 anos de carreira dos Irmãos Campana.| Ôda Design Club/Reprodução

Em Curitiba, o livro está à venda na Ôda Design Club. Clique aqui para ver. A obra reúne projetos inéditos e instalações, concebidos especialmente para o espaço no Rio de Janeiro, e uma ampla seleção de peças de design e esculturas desenvolvidas ao longo das últimas décadas. O livro conta ainda com textos de curadores, jornalistas, galeristas e artistas, que contribuem com reflexões sobre a trajetória dos irmãos.

Os irmãos Fernando e Humberto Campana terão um museu a céu aberto com instalações próprias.
Os irmãos Fernando e Humberto Campana terão um museu a céu aberto com instalações próprias.| Leticia Akemi/Gazeta do Povo
Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]