Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
Festival Burning Man acontece desde 1980 em Nevada, nos Estados Unidos, e recebe 70 mil pessoas. Foto: Bob Wick/Flickr/Reprodução
Festival Burning Man acontece desde 1980 em Nevada, nos Estados Unidos, e recebe 70 mil pessoas. Foto: Bob Wick/Flickr/Reprodução| Foto:

Imagine um cenário digno de Mad Max, mas recheado com instalações artísticas tecnológicas. É assim que se parece a paisagem do Burning Man, festival de arte e contracultura norte-americano que todos os anos constrói — e, logo em seguida, destrói — uma cidade inteira, no meio do deserto de Nevada, para sediar o evento. Mas a novidade é que o Brasil agora faz parte da programação, recebendo sua própria edição anual do festival: o Tropical Burn.

Cidade fantasma é erguida e destruída anualmente para sediar evento. Foto: divulgação
Cidade fantasma é erguida e destruída anualmente para sediar evento. Foto: divulgação

A ideia do festival não é ter espectadores, mas pessoas que participem e integrem o evento em uma construção coletiva. A cidade temporária mistura arte, acampamentos temáticos, fantasias, música e performances. No último dia, tudo é queimado: o evento não costuma deixar rastros.

>>> Artista russo mistura catedrais abandonadas com obras modernistas para explorar passado

A festa brasileira acontecerá de 20 a 24 de junho de 2019, em uma praia do Rio Grande do Norte. A Associação Tropical Burn, entidade responsável pela organização, ainda não revelou o local exato do evento, mas adianta que fica a 112 km de Natal (RN) e 111 km de João Pessoa (PB).

Edição de 2018 do Burning Man teve como atração uma bola espelhada gigante. Foto: divulgação
Edição de 2018 do Burning Man teve como atração uma bola espelhada gigante. Foto: divulgação

Além de Nevada, o Burning Man tem versões locais espalhadas por todos os outros continentes. O único outro país da América Latina a produzir o festival é a Argentina, que teve sua primeira edição em 2016 e recebeu cerca de 300 participantes — bem diferente dos 70 mil que visitaram a última edição do evento original.

Tema da edição: “divine mother”

O tema do ano promete tanto inspiração como abstração: “divine mother” é o que resume a premissa. “O ventre feminino é o lugar onde é gerada toda a existência. É onde cada um de nós teve seu começo. Assim também começa a trajetória do Tropical Burn, uma nova história em uma Nova Era, onde a energia feminina pulsa positivamente no interior da Mãe Terra e nutre todo o Cosmos”, afirma a organização.

>>> Bairro de Nápoles vira destino turístico graças a livros de Elena Ferrante

Dentro desse tema, os participantes têm três formas diferentes participar: como artista, com um acampamento temático ou como voluntário.

Além do Brasil, outros x países recebem suas próprias versões do Burning Man. Foto: divulgação
Além do Brasil, outros x países recebem suas próprias versões do Burning Man. Foto: divulgação

Na primeira opção, a ideia é sair da caixinha e apresentar um projeto artístico para o público — já que, na hora da compra do ingresso, todos devem escolher um projeto para apoiar. No acampamento temático, o mote é promover experiências sensoriais — com música, gastronomia ou entretenimento. Já o último tipo de ingresso dá o direito de participar de todas as experiências, mas que inclui algumas responsabilidades voltadas à logística do próprio festival.

Informações como preço dos ingressos, atrações e programação serão divulgadas em breve no site oficial.

Veja mais sobre o Burning Man:

LEIA MAIS

Cidade para 70 mil ?habitantes? é construída e destruída todos os anos em deserto dos EUA

 

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]