Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Foto: Carlos Renato Fernandes
Foto: Carlos Renato Fernandes| Foto:

Apresentar o perfil de Curitiba por meio de ícones da paisagem urbana e das espécies de animais encontrados na capital é o objetivo do livro “Curitiba Biocidade”, lançado no último dia 19 de outubro. De autoria dos fotógrafos paranaenses Carlos Renato Fernandes e Hudson Garcia, a obra reúne 238 imagens distribuídas ao longo de 220 páginas.

O livro é o primeiro em co-autoria da dupla, que se conhece há cerca de 20 anos e já fotografou junta por diversas vezes. “O Carlos já era fotógrafo quando eu ainda estava começando. Ele foi uma espécie de professor para mim”, conta Garcia.

Para organizar o livro, Carlos e Hudson dividiram os trabalhos. O primeiro deles ficou responsável por captar as imagens de símbolos do urbanismo curitibano, enquanto o segundo se dedicou à registrar o meio ambiente da capital.

Foto: Carlos Renato Fernandes
Foto: Carlos Renato Fernandes

Passado e presente

Assim, é possível conhecer a cidade desde os seus primórdios, por meio de imagens antigas recuperadas nos acervos da Casa da Memória e do Museu Paranaense. A paisagem urbana contemporânea, por sua vez, é destacada nas imagens de obras conhecidas, como a Rua 24 Horas, a Prefeitura Municipal, o Castelo Batel, o Museu Oscar Niemeyer e as estações-tubo.

Os parques, bosques e jardins públicos da cidade, como o Bosque do Alemão, o Parque Barigui e o Passeio Público, também estão contemplados no livro, juntamente com as fotografias que retratam os animais e a vegetação características da capital.

Foto: Carlos Renato Fernandes
Foto: Carlos Renato Fernandes

“Mostramos a grande extensão de áreas verdes em Curitiba e sua fauna urbana: aves, mamíferos e invertebrados”, conta Garcia. Para que isto fosse possível, o fotógrafo contou com o auxílio de pesquisadores da fauna e da flora curitibanas.

Fernandes acrescenta, ainda, que as fotografias foram feitas em épocas distintas, buscando trazer sempre a melhor luz e o melhor momento. “Nas minhas fotografias, o céu ao fundo costuma ser azul, o que muitas vezes é difícil em Curitiba”, brinca.

*Especial para Gazeta do Povo

LEIA TAMBÉM

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]