Vai viajar? Reunimos cinco dicas para manter suas plantas saudáveis (e vivas)

Entender a necessidade de cada espécie e usar as técnicas certas fazem toda a diferença para a vitalidade das plantinhas

Foto: Pexels.

por Camila Machado

11/01/2019

compartilhe

Sabe aquela ideia de morar em uma selva de pedras? Não é mais uma regra para quem está nos grandes centros. A necessidade do verde por perto invadiu os apartamentos e não é de hoje. E essa característica, de transformar as moradas em urban jungle, tem trazido um dilema: “vou viajar, mas quem vai cuidar das plantinhas?”.

HAUS reuniu cinco dicas para você colocar em prática nos dias de ausência e garantir a saúde e a vitalidade delas. Confira!

Foto: Pexels.

1 – Entenda a necessidade de cada planta

Compreender o quanto de água – e de luz – cada espécie precisa é o primeiro passo para organizar os cuidados com as plantas. “Não adianta dar um monte de água no dia da partida. As plantas absorvem somente a quantidade de que precisam, e água demais pode apodrecer as raízes e até matar a plantinha”, explica o paisagista André Luís de Morais, da Esal Flores.

No caso das plantas de interiores há, basicamente, três tipos de rega. “Plantas como as espadas e lanças de São Jorge, cactos e suculentas precisam de água uma vez por semana. Já as de média rega, três vezes por semana, são a maioria, como as marantas, asplênios, begônias, entre outras. Há ainda as de rega intensa, que precisam de água quase que diariamente. Dessa última, são exemplos as samambaias, as carnívoras e lírios”, explica Patrícia Belz, proprietária da Borealis – Plantas da Casa. Segundo ela, escolher e agrupar as plantas que têm regas similares facilita na hora de organizar a tarefa.

>>> 8 ervas e plantas para energizar diferentes ambientes da casa

2 – Escolha um local arejado

Separadas as espécies, é a hora de definir onde elas vão ficar no período de férias. Escolha um lugar fresco, bem iluminado, mas sem luz direta. “Muitas plantas de sombra têm folhas sensíveis e queimam no sol direto”, explica Patrícia.

Além disso, proteger do vento também é importante. “Muito vento faz com que as plantas percam água. Também é preciso evitar deixar uma muito próxima a outra o que, pela umidade, pode ocasionar pragas”, acrescenta André.

3 – Capilaridade, bacia de rega e gotejadores

Agora, é a hora de planejar a rega e algumas técnicas funcionam muito bem. Uma delas é a feita por capilaridade. “Em uma panela ou bandeja, de preferência rasa e não muito alta, coloque água. Depois, use fios de barbantes para unir às plantas ao recipiente com água. Deixe a bandeja mais alta do que as plantas. Funciona!”, garante Patrícia.

Outro método é colocar água em uma bandeja, preenchendo menos da metade do recipiente, e alocar as plantas. “Elas vão absorver a água de que precisam durante os dias. É possível que quando o morador tenha retornado, não haja mais água no recipiente! É assim mesmo e dá certo”, complementa.

Ela também dá uma boa dica para plantas cultivadas em vasos grandes e em pendentes. “Encha uma garrafa com água e enterre ela na terra, com a boca para baixo”, ensina.

>>> Sete projetos ensinam a trazer o paisagismo para pequenos ambientes

Finalmente, há como regar as plantas com os gotejadores. Eles são mais indicados para espécies sensíveis e que precisam de um cuidado extra.

4 – Proteção

Proteger a terra do vaso ajuda a manter a umidade da planta, evitando que ela perca água. Tal proteção pode ser feita com casca de pinus (facilmente encontrada em floriculturas) ou até mesmo com um jornal encharcado em água.

5 – Voltou e elas não estão saudáveis?

Quando retornar de viagem, cheque se as plantinhas estão saudáveis. “Repare na cor e na estrutura das folhas. Corte as amareladas. Se as pontas das folhas estiverem secas, falta água. Regue!”, explica André.

Mas cuidado, pois de nada adianta dar água a mais uma vez que as plantas passaram ‘sede’ por alguns dias. “Utilize um palitinho de churrasco (desses compridos) para furar a terra até o final da raíz, pois, provavelmente, o torrão da planta deverá estar muito seco. Se você regar assim, ela pode absorver superficialmente a água, que não vai chegar em toda a raíz. Então, fure a terra e regue de forma que a água saia por baixo do vaso. Saiu? Pronto! Ela já irá retornar. Uma ajuda com adubo também pode funcionar”, finaliza Patrícia.

Serviço

Borealis – Plantas em Casa: Rua Brigadeiro Franco, 1.193, anexa ao Botanique Café; Esal Flores: Rua 24 de Maio, 1.839 – Rebouças.

LEIA TAMBÉM

Frutas sempre à mão: descubra quais frutíferas podem ser cultivadas em vasos

 

 

Receba nossas notícias por e-mail

Inscreva-se em nossas newsletters e leia em
seu e-mail os conteúdos de que você mais
gosta. É fácil e grátis.

Quero receber

8 recomendações para você