i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Pandemia

Casa sem contato: sensores e tecnologias para a vida diária em ambientes fechados

  • PorHAUS
  • 04/05/2020 19:59
Foto: Bigstock
Foto: Bigstock| Foto:

Conforme a pandemia da Covid-19 avança pelo mundo, cada vez mais se buscam alternativas e soluções que permitam realizar as tarefas e atividades diárias sem que, para isso, seja preciso tocar em superfícies - uma das principais formas de contágio pelo novo coronavírus.

Siga a HAUS no Instagram!

Por volta do último mês, as buscas na Amazon por produtos como dispensadores, torneiras e termômetros automáticos cresceram em até 2.000%, por exemplo, incentivadas por empresas e moradores que desejam estar preparados para receber suas equipes e viver suas casas reduzindo ao máximo o risco de propagação viral.

Em geral, estas não são tecnologias inéditas, nem algo sobre o qual raramente se tenha ouvido falar ou experimentado nos contatos da vida fora do isolamento. Mas, sem dúvida, passaram a atrair muito mais a atenção e o investimento por parte de quem quer se preparar não apenas para combater o coronavírus, mas para garantir um ambiente mais saudável e com menores chances de contaminação por ele ou outros vírus e bactérias também no pós-pandemia.

Conheça quatro tecnologias que permitem a automação de objetos e ambientes e que vão das casas aos escritórios e fábricas.

Controle por voz e smartphones

Imagem: Bigstock
Imagem: Bigstock

Se a "vida está no celular", como se diz habitualmente, com a casa não seria diferente. Por meio de aplicativos é possível controlar do acionamento e intensidade da iluminação ao ar-condicionado e sistemas de segurança, passando pela abertura de cortinas e destravamento de portas. Sim, neste caso a solução não dispensa o toque, mas, apesar dele, contribui para evitar o contágio, uma vez que o acionamento é feito por meio de um aparelho individual e não compartilhado, como ocorre com interruptores e controles remoto, por exemplo.

Já os assistentes virtuais, como a Amazon Alexa, por sua vez, permitem tais acionamentos somente pelo controle de voz, eliminando por completo a necessidade de toque.

Sensores de movimento

Foto: Bigstock
Foto: Bigstock

Dos modelos mais simples aos mais sofisticados, os sensores de movimento são comumente utilizados para a abertura e fechamento de portas, especialmente em ambientes comerciais, e acionamento da iluminação. Aqui, além de acender e apagar as luzes durante a permanência ou passagem por determinado ambiente, eles contribuem para reduzir o consumo de energia (quem nunca esqueceu uma luz acesa ao deixar um cômodo?).

Banheiros inteligentes

Foto: Bigstock
Foto: Bigstock

Sensores e sistemas automáticos são uma realidade também nos banheiros. Vasos sanitários que ativam a descarga automaticamente por movimento ou temporizadores, dispenseres de sabão que dispensam o acionamento mecânico, torneiras que são abertas por aproximação das mãos ou por botões instalados no chão e ativados com os pés já são realidade em muitos espaços, e tendem a ganhar cada vez mais relevância nos banheiros, sejam públicos ou privados.

Acesso via bluetooth

Imagem: Reprodução
Imagem: Reprodução

Controles de acesso também estão na lista das soluções que deverão ser fortemente impactadas em um mundo que buscará cada vez mais pela menor necessidade de contato físico. Sendo assim, telas ou teclados nos quais se digitam senhas ou se passam crachás tendem a dar lugar a soluções que eliminem as barreiras físicas. Uma delas é a utilização de sinal bluetooth para permitir o acesso, tecnologia que teve a startup americana Proxy como pioneira no seu desenvolvimento.

*Via Archdaily Brasil.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.