i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Subsídio estatal

Cobrança de mensalidade em universidades públicas diminuiria desigualdade social

  • PorLuan Sperandio, especial para a Gazeta do Povo
  • 25/04/2019 19:46
Prédio da Reitoria da UFPR - Universidade Federal do Paraná (Arquivo Gazeta do Povo)
Prédio da Reitoria da UFPR – Universidade Federal do Paraná (Arquivo Gazeta do Povo)| Foto:

Todos pagam pelas instituições públicas de Ensino Superior, mas somente alguns têm acesso ao serviço educacional que elas oferecem. Essa problemática foi levada à Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, onde se debate a cobrança de mensalidades nas universidades estaduais. A questão está sendo abordada na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Universidades Paulistas, instalada nesta quarta-feira (24).

O deputado estadual Daniel José (Novo), vice-presidente da Comissão de Educação da Casa, defende a medida. Ele argumenta que o próprio conceito de universidade pública, gratuita e estatal deveria “deixar de existir”.

Os contrários à mudança argumentam que a CPI surge logo após o primeiro ano de recuperação da capacidade financeira das universidades, e que, após quatro anos, a USP teve “superávit” em 2018. Já a Unicamp teve déficit orçamentário menor que o previsto, e o rombo na Unesp foi de “apenas” R$ 200 milhões. Desde 2013 as instituições chegaram a gastar mais de 100% do que recebem em impostos para se financiarem com o pagamento de salário de servidores e aposentados. Houve, contudo, melhora significativa, e em 2018 esse gasto caiu para 90,02%.

A despesa com essas universidades estão entre as maiores do Governo Estadual, chegando em 2016 a R$ 10,3 bilhões, quase 0,6% do PIB do Estado de São Paulo, o mais rico da federação. Todavia, dois terços dos beneficiários destes recursos estudaram em colégios privados no Ensino Médio, uma composição social significamente mais elitizada que a do restante do estado.

Assim, a gratuidade universal das universidades públicas funciona, na prática, como um grande programa de transferências de renda dos mais pobres para os mais ricos: no estado de São Paulo, enquanto o gasto por aluno no ensino médio é de apenas R$ 363 mensais, nas universidades estaduais ele chega a R$ 5,5 mil.

A instituição de mensalidades para os estudantes mais abastados pode, portanto, não apenas diminuir o subsídio estatal a essas camadas mais ricas da sociedade, mas também serviria como uma possível fonte de receita para essas instituições, que hoje passam por uma difícil crise fiscal.

O reitor da USP, Vahan Agopyan, que se opõe à instituição de cobrança nas universidades, afirma que estudos já feitos na instituição mostram que o dinheiro advindo de eventuais mensalidades representariam 8% do orçamento — um percentual nada desprezível. Considerando o orçamento da Universidade para 2019, equivalente a cerca de R$ 5,7 bilhões, a cobrança representaria algo na ordem de R$ 450 milhões.

Financiando os ricos

Um estudo conduzido pelo próprio deputado Daniel José, e pelo mestre em economia da UFRJ Daniel Duque, concluiu que haveria um impacto positivo das mensalidades progressivas sobre a desigualdade. Como há cerca de 160 mil estudantes nas instituições paulistanas, dentro de um universo de 45 milhões de habitantes no Estado, o efeito seria pequeno, mas significativo: o coeficiente de Gini de São Paulo, utilizado para medir a desigualdade social, cairia de 0,4851 para 0,4848 com a instituição de mensalidades, uma queda de cerca de 1%.

O mesmo vale para o panorama nacional: estudo do Instituto Mercado Popular, conduzido pelo mesmo Daniel Duque e pelo doutor em economia pela Universidade da Califórnia Carlos Goés teve como objeto as universidades públicas sob administração do governo federal. O gasto com elas representou 63% de toda a despesa com educação da União em 2014.

Entre as conclusões do levantamento, evidenciou-se que para cada estudante em uma universidade pública, em média, seria possível manter quatro estudantes de ensino médio ou fundamental na escola. Essa priorização do Ensino Superior público, em um país em que mais da metade da população não termina o 2º grau, expõe o caráter de regressão social desta despesa pública: um gasto que beneficia os brasileiros de maior renda.

A probabilidade de um jovem com renda familiar per capita de R$ 250 ao mês estudar em uma universidade pública é de apenas 2%. Para os jovens cuja renda familiar per capita é de R$ 20 mil mensais, essa chance salta para 40%. Estudantes de universidades públicas também têm uma renda familiar per capita duas vezes maior do que aqueles que não vão para a universidade, e a representação proporcional da classe alta nas universidades públicas é quase o dobro daquela observada na sociedade como um todo.

Além disso, estudos mostram que para cada ano adicional de estudo, adultos têm um aumento de renda entre 6,5% e 10%. Entretanto, como a maior parte dos que recebem o privilégio de estudar em uma universidade pública possuem maior renda, essa disparidade entre gastos na educação ajuda a perpetuar desigualdades.

Na prática, o Estado brasileiro faz uma transferência de renda direta e indireta ao subsidiar integralmente os estudos de Ensino Superior até mesmo para os ricos: direta, quando os faz economizar com as despesas inerentes à estrutura de uma universidade. Para um curso de quatro anos, cada aluno é subsidiado em, pelo menos, R$ 90 mil reais, sendo essa quantia comumente maior devido a reprovações, greves que atrasam o calendário escolar, evasão, entre outros fatores. Tudo isso onera principalmente os mais pobres, que proporcionalmente pagam mais impostos. Já a transferência indireta corresponde aos ganhos salariais que o futuro graduado terá ao longo de sua vida em virtude do diploma universitário.

O economista Marcos Lisboa é enfático ao dizer que “é uma política pública burra custear o ensino de quem pode arcar com ele”. E mais: de quem já cursaria uma graduação mesmo se não houvesse qualquer subsídio estatal. Isso porque 35% dos estudantes das universidades federais possuem pais com diplomas, indicando a tendência de cursarem o Ensino Superior independentemente de pagarem por isso, haja vista a perspectiva de ganhos salariais futuros e a pressão social de manter a formação dos pais.

Dessa forma, calcula-se que um terço das vagas oferecidas nas universidades públicas não possui qualquer retorno social, mas representa uma despesa anual entre 159 a 212 bilhões de reais.

Por causa da gratuidade uma parcela considerável dos egressos optam pela universidade pública, mas teriam condições de arcar com mensalidades em instituições privadas. Portanto acabam ocupando vagas que poderiam ser destinadas à população de menor renda, que, por sua vez, acaba enfrentando um vestibular mais concorrido. Isso estimula, inclusive, a evasão no ensino médio, já que a última etapa da educação básica não dá maiores retornos salariais em relação à conclusão apenas do Ensino Fundamental. Assim, é economicamente vantajoso passar pelos três anos finais do ensino médio somente quando há a expectativa de ingressar em uma universidade ou ensino técnico em seguida.

Não é à toa que a evasão escolar do ensino médio é de 11%, segundo dados do Censo Escolar: faltam estímulos para continuar na escola quando não há expectativa de continuidade posterior dos estudos.

Priorizar ensino básico traria maiores retornos sociais

Entre as diversas soluções possíveis para reduzir a regressividade social na despesa pública com educação, tem-se a alternativa de mudar o foco das universidades públicas para outros níveis de ensino.

Como demonstrou o James Heckman, vencedor do Nobel de Ciências Econômicas em 2000, o ensino primário tende a trazer maiores taxas de retorno social. Isso porque o cérebro das crianças, ainda em desenvolvimento, possui maior capacidade de absorção e resposta aos estímulos, o que torna o aprendizado mais duradouro. Quanto mais cedo forem realizados os investimentos em capital humano, por mais tempo o indivíduo beneficiário terá de usufruir de sua formação, tornando-o mais rentável ao longo da vida.

Por conseguinte, retornos ao investimento em educação, em termos econômicos para a sociedade e cognitivos para as crianças, são maiores quando esses investimentos são direcionados à educação de base.

A prática brasileira, contudo, está em descompasso com o melhor indicado pela literatura especializada: a cada 100 crianças, apenas metade sabe ler aos 8 ou 9 anos. Ao final do ensino médio, somente 7,3% aprendem o nível adequado de matemática e menos de 27% o de português. O país também figura entre os últimos colocados no exame do Pisa: em 2016 os estudantes brasileiros alcançaram, entre 70 países, apenas a 63ª colocação em ciências, 59ª em leitura e 66ª em matemática.

A despeito dos resultados, o investimento por aluno no ensino superior brasileiro segue sendo três vezes maior que no ensino básico. Essa mesma relação entre os países que integram a OCDE — um grupo de economias desenvolvidas, que possuem resultados educacionais superiores —, é de 1,8 vez.

'Lobby' barra soluções

Instituir a cobrança de mensalidades nas universidades públicas para aqueles que podem pagar, com bolsas condicionais à renda familiar per capita do estudante ingressante, não é tarefa fácil politicamente.

O ex-ministro da Educação do governo Temer, Mendonça Filho, por exemplo, expôs em entrevistas diagnóstico similar ao deste texto em relação ao caráter socialmente regressivo da não cobrança de mensalidade em universidades, mesmo entre os estudantes de maior renda. Todavia, a medida não chegou a estar entre as ações de sua gestão no MEC.

Outro parâmetro que indica a rejeição eleitoral de qualquer mudança nesse aspecto foi observado nas Eleições 2018. À época, o candidato Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou que sua equipe estava estudando a cobrança para os alunos com melhores condições, inclusive em nível de graduação. Diante da repercussão negativa, descartou a possibilidade.

O único candidato que defendeu em campanha a medida foi João Amoedo, do Novo. Em seu programa de governo constava buscar “novas fontes de recursos não-estatais”.

Uma forma de viabilizar politicamente um sistema de mensalidades seria criá-lo com base em um critério de progressividade de acordo com a renda do ingressante. Para tanto, bastaria cruzar as informações de renda do pretendente à vaga com as declarações à Receita Federal.

Seria, inclusive, um incentivo para uma melhor gestão das universidades, com um provável aumento de controle dos alunos sobre a qualidade do ensino e infraestrutura das universidades.

Além disso, um eventual benefício seria a redução da evasão de alunos, que é uma fonte significativa de desperdício de recursos: cerca de 13% dos estudantes das universidades públicas em 2011, segundo um estudo do Grupo de Trabalho sobre Evasão e Retenção, abandonam seus cursos. Já a dissertação de mestrado da economista da USP, Denise Leyi Li, demonstrou que a adesão ao Sisu elevou a probabilidade de evasão no primeiro ano da graduação em 4,5 pontos percentuais.

A possibilidade de cobrança de mensalidade em cursos de especialização em universidades públicas foi objeto de uma PEC na Câmara dos Deputados em 2017. Na ocasião, a proposta de Emenda à Constituição que permitiria a cobrança por cursos de extensão e pós-graduação obteve 304 votos favoráveis, sendo rejeitada por apenas quatro votos, uma vez que eram necessários 308.

No entanto, naquele mesmo ano, os Ministros do Supremo Tribunal Federal julgaram que a cobrança nessa modalidade de ensino seria permitida constitucionalmente.

Na legislatura passada, tramitou o PLS 782/2015, que propunha o estabelecimento de uma cobrança de anuidade para estudantes de instituições públicas do Ensino Superior cuja renda familiar fosse superior a trinta salários mínimos. A medida, segundo o texto, atingiria apenas quem possui renda superior a 99% dos brasileiros, mas seu arquivamento evidenciou a dificuldade política desse tipo de proposta.

De boas intenções...

A ideia do Estado-providência, para aqueles que o defendem, trata-se de possibilitar ajudar os mais pobres: com recursos obtidos por meio de impostos, o poder público deve sustentar uma rede de escolas, hospitais, moradia e previdência, entre outros serviços que podem variar de um país para outro. Nesse sentido, ao dispor sobre como será organizado o orçamento nas finanças do Estado brasileiro, a Constituição de 1988 estabelece que uma de suas funções é a redução das desigualdades sociais.

No entanto, como o que importa não são as intenções das ações, mas sim suas consequências, nada garante que todas as medidas inseridas no aparato que compõe o Estado de bem-estar social priorizarão a ponta mais economicamente vulnerável da população, reduzindo, de fato, a desigualdade.

É o que ocorre no caso brasileiro: em vez de ajudar os mais pobres, nosso Estado contribui diretamente para uma grande fração da desigualdade — e quem reconhece isso é o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, uma fundação do próprio Governo Federal.

Isso ocorre porque toda essa estrutura precisa ser custeada, e, analisando os dados, verifica-se que no complexo sistema tributário nacional os 10% mais pobres pagam proporcionalmente 44,5% mais impostos do que os 10% de maior renda. Ainda assim, grande parte das políticas sociais financiadas com esse dinheiro não beneficiam os brasileiros com menor renda: levantamento do Banco Mundial estimou que o Brasil gasta 12,1% do PIB com os 40% mais pobres, havendo um benefício desproporcional aos mais ricos.

Dessa forma, há diversas ações patrocinadas pelo Estado brasileiro que, embora vendidas por burocratas como tendo finalidade “social”, dificilmente têm outro resultado que não o aumento da concentração de renda. A gratuidade das universidades públicas é um dos melhores exemplos.

Como o Nobel em Ciências Econômicas Douglass North (1993) sentenciou na obra “Custos de transação, Instituições e Desempenho Econômico” ao tratar da despesa pública no Ensino Superior em países em desenvolvimento: “um Estado culto corrigiria essa má aplicação de recursos”.

A obra é de 1990, mas o debate público brasileiro está preso a princípios abstratos de uma universidade “pública-gratuita-e-de-qualidade”, ignorando que o status quo apenas tem beneficiado os filhos dos mais ricos e ajudado a prolongar desigualdades econômicas.

32 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 32 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.

  • A

    André

    ± 0 minutos

    Essa é a solução pra diminuir a desigualdade social? Cobrar mensalidades de universidades públicas?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • L

      Luiz Gustavo Ukan Gribner

      ± 446 dias

      Na minha opinião, não deveria ser cobrado mensalidades de todos os alunos, somente daqueles que entraram na categoria ampla concorrência e só por escola pública, os que entraram por baixa renda deveriam ser omitidos dessa cobrança, pois, seria ilógico dizer que cobrando de todos diminuiria-se a desigualdade social. Eu faço parte da UTFPR e não teria condições de arcar com uma mensalidade, visto que entrei pela categoria de baixa renda. Já meus colegas que entraram por ampla concorrência, nitidamente teriam condições.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

      • P

        Paula Borgo

        ± 523 dias

        Deve-se sim cobrar mensalidade de alunos em universidades públicas. Outra medida que poderia ser adotada por universidades públicas, em alguns cursos como medicina por exemplo, é o aluno, após formado, trabalhar um ano em benefício do Estado. É o caso da AMAN, lá o aluno se forma em quatro anos e depois trabalha no Exército.

        Denunciar abuso

        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

        Qual é o problema nesse comentário?

        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

        Confira os Termos de Uso

        • C

          Celso Souza

          ± 523 dias

          Demorou... Deveria sim privatizar já ! TEM Q botar os ********** dos professores comunistas trabalhar pela CLT.

          Denunciar abuso

          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

          Qual é o problema nesse comentário?

          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

          Confira os Termos de Uso

          • S

            Siloto

            ± 523 dias

            Nada mais justo que os princípios da administração sejam atendidos! Tratar iguais com igualdade! Mas ocorre o inverso!

            Denunciar abuso

            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

            Qual é o problema nesse comentário?

            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

            Confira os Termos de Uso

            • A

              ARMINDO VILSON ANGERER

              ± 523 dias

              Para reforçar: hoje alunos que estudam nos melhores colégios privados ocupam as vagas dos cursos consideramos mais concorridos. E os pobres tem que se contentar em estudar em cursos menos concorridos. Alguns argumentariam que as "cotas" resolveu isso! Ora basta uma pesquisa séria e esse seria um papel importante da imprensa, fazer uma avaliação junto ao corpo docente, perfil dos alunos entrantes e saintes e a resposta seria natural. Tenho para mim, que as cotas diminuiu em muito a estão desigualdade social, no entanto o nível dos formandos caiu! O que interessa ao Brasil!

              Denunciar abuso

              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

              Qual é o problema nesse comentário?

              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

              Confira os Termos de Uso

              • A

                ARMINDO VILSON ANGERER

                ± 523 dias

                A muito tempo pessoas de bem bem, cultas e esclarecidas sabem que a cobrança de mensalidades na Universidade pública é uma alternativa justa, racional e de igualdade social! Os poucos reitores que são contra a ideia o são por ideologia e também porque isso geraria maior trabalho e responsabilidade. Quanto um reitor argumento que as mensalidades poderiam representar apenas 5, 6...10% do orçamento, está ai de novo um argumento falho e ignorante! Mensalidade, verba pública e doações deveria ser a tríade da receita da Universidade pública em todo o mundo!

                Denunciar abuso

                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                Qual é o problema nesse comentário?

                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                Confira os Termos de Uso

                • M

                  Marcos Gonçalo dos Santos

                  ± 523 dias

                  Precisamos consertar essa injustiça com os mais pobre.

                  Denunciar abuso

                  A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                  Qual é o problema nesse comentário?

                  Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                  Confira os Termos de Uso

                  • P

                    Pedro tenvia

                    ± 523 dias

                    Cobrar mensalidades dos que podem e oferecer um fies aos que não podem pagar, para que assim quando concluir o curso o egresso possa retribuir a ajuda. Em segundo lugar, a cobrança, faria com que os vermelhinhos, estudantes profissionais de humanas repensassem a estratégia de ocupar as faculdades para praticar política.

                    Denunciar abuso

                    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                    Qual é o problema nesse comentário?

                    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                    Confira os Termos de Uso

                    • F

                      Fernanda Fernandes

                      ± 525 dias

                      Quando entrei na UFMG em 2002 havia uma cobrança destinada a auxiliar os estudantes de baixa renda e assistidos por programas sociais. Era semestral, mas dois anos depois foi extinta. Não há possibilidade de implantar algo semelhante nas universidades?

                      Denunciar abuso

                      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                      Qual é o problema nesse comentário?

                      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                      Confira os Termos de Uso

                      • S

                        Sergio Manabe

                        ± 525 dias

                        Cobrança de mensalidade de quem efetivamente pode pagar, sendo gratuito para quem não pode pagar, é justo!!! Porém, existe proibição constitucional de cobrar: "Art. 206. O ensino será ministrado com base nos seguintes princípios: IV - gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais". E a Súmula Vinculante 12 do STF diz: "A cobrança de taxa de matrícula nas universidades públicas viola o disposto no art. 206, IV, da Constituição Federal". Entendo que cobrar de quem pode, só seria possível com uma Emenda Constitucional e, mesmo assim, talvez seja considerada cláusula pétrea, por ser direito e garantia individual (Educação gratuita).

                        Denunciar abuso

                        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                        Qual é o problema nesse comentário?

                        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                        Confira os Termos de Uso

                        • M

                          Maria da Graça Vargas aguiar

                          ± 525 dias

                          Texto muito bem fundamentado....aida bem que começaram a pensar nessa questão

                          Denunciar abuso

                          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                          Qual é o problema nesse comentário?

                          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                          Confira os Termos de Uso

                          • F

                            Fabricio Maoski

                            ± 525 dias

                            Particularmente acho que essa medida é justa, especialmente para famílias que tem renda extremamente alta. Acho que poderia haver uma regressividade no valor, ou seja, paga mais quem ganha mais e não paga nada (e até recebe) quem precisa. E acho ainda que essa medida poderia ser conjugada com o aumento de cotas para estudantes de escolas públicas, de forma que o sistema fique socialmente mais justo.

                            Denunciar abuso

                            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                            Qual é o problema nesse comentário?

                            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                            Confira os Termos de Uso

                            • E

                              Eduardo RFS

                              ± 525 dias

                              Excelente texto, esse jornalista valoriza muito o jornal. Parabéns.

                              Denunciar abuso

                              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                              Qual é o problema nesse comentário?

                              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                              Confira os Termos de Uso

                              • A

                                ADRIANA M

                                ± 525 dias

                                Também é importante ressaltar que vários países desenvolvidos, como Alemanha, Áustria, Dinamarca, Finlândia, Suécia, Noruega, Luxemburgo, Islândia, República Tcheca e Faança mantém a oferta de cursos universitários gratuitos. E não parece que a desigualdade social nestes países tenha piorado por causa disso.

                                Denunciar abuso

                                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                Qual é o problema nesse comentário?

                                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                Confira os Termos de Uso

                                1 Respostas
                                • M

                                  Maria da Graça Vargas aguiar

                                  ± 525 dias

                                  Verdade, mas são países ricos, excetuando a República Tcheca. No nosso caso é imprescindível trabalharmos com prioridades.

                                  Denunciar abuso

                                  A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                  Qual é o problema nesse comentário?

                                  Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                  Confira os Termos de Uso

                              • C

                                CARLOS_PG_45

                                ± 525 dias

                                Sou a favor de cobrar mensalidade e de valor considerável conforme a renda da família, pois os ricos estudam em faculdades públicas e os mais pobres nas particulares com recursos financiados pelo governo ou não estudam pois não conseguem pagar.

                                Denunciar abuso

                                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                Qual é o problema nesse comentário?

                                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                Confira os Termos de Uso

                                • A

                                  ADRIANA M

                                  ± 525 dias

                                  Dizer que há evasão no ensino médio em razão da falta de perspectiva na continuidade dos estudos é falácia. Há inúmeros exemplos de profissionais oriundos de famílias humildes e de baixa renda que, com muito esforço pessoal e estudo, superaram todas as barreiras.

                                  Denunciar abuso

                                  A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                  Qual é o problema nesse comentário?

                                  Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                  Confira os Termos de Uso

                                  • D

                                    Decio mango

                                    ± 525 dias

                                    Parece que o pais omeca a acordar

                                    Denunciar abuso

                                    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                    Qual é o problema nesse comentário?

                                    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                    Confira os Termos de Uso

                                    • E

                                      Eden Lopes Feldman

                                      ± 525 dias

                                      Sempre uma excelente análise por este repórter . E realmente, lendo os dados, fica impossível de reconhecer que o ensino superior é um subsídio as pessoas de alta renda. Que podem fornecer um ótimo padrão de ensino para seus filhos no ensino básico e médio, que garante uma grande vantagem nos vestibulares. Quanto as cotas, são apenas um disfarce para o baixo padrão do ensino público.

                                      Denunciar abuso

                                      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                      Qual é o problema nesse comentário?

                                      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                      Confira os Termos de Uso

                                      • J

                                        Jose Jailtom Pereira Ribeiro

                                        ± 525 dias

                                        Discordo totalmente dessa decisão. Solução simples e prática seria melhorar o ensino básico e fundamental das escolas públicas, obrigar por meio de EC que parlamentares matriculem seus filhos, parentes e etc nessas instituições. Ou então, realiza seleção para a universidade entre alunos oriundos da rede pública com o histórico de ter estudado sua vida toda apenas nela. Partindo do pressuposto de que se seu filho estufou a vida inteira em escola particular que assim continue no ensino superior. Simples!

                                        Denunciar abuso

                                        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                        Qual é o problema nesse comentário?

                                        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                        Confira os Termos de Uso

                                        • J

                                          Jorge Dias

                                          ± 525 dias

                                          Privatiza Já! Simples assim.

                                          Denunciar abuso

                                          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                          Qual é o problema nesse comentário?

                                          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                          Confira os Termos de Uso

                                          • C

                                            CARLOS FELIX

                                            ± 525 dias

                                            As universidades públicas, estaduais e federais, são os maiores estabelecimentos de ensino da ideologia socialista comunista, que premia com acesso aqueles que pagam as melhores escolas e cursinhos privados ou se valem das tais cotas sociais, cujos resultados, já ensejam melhores análises e critérios. Tem que haver sim, mensalidades. Chega de sustentar cursos que nada ou quase nada, garantem aos seus egressos no mercado de trabalho e ao seus sustentos. Claro, há as 820 mil ONGs e outros tantos Movimentos Sociais e Sindicatos que abrigam alguns.

                                            Denunciar abuso

                                            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                            Qual é o problema nesse comentário?

                                            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                            Confira os Termos de Uso

                                            • B

                                              bombastus

                                              ± 525 dias

                                              Privatização já. Invistam em educação básica e cursos técnicos sem ideologias capengas. Universidades não são para todos. São para quem quer investir na carreira e estudar mais e não para comprar diplomas.

                                              Denunciar abuso

                                              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                              Qual é o problema nesse comentário?

                                              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                              Confira os Termos de Uso

                                              • P

                                                Poppys

                                                ± 525 dias

                                                Privatiza essa bagaça!

                                                Denunciar abuso

                                                A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                                Qual é o problema nesse comentário?

                                                Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                                Confira os Termos de Uso

                                                • R

                                                  RENATO VOLPI JUNIOR

                                                  ± 525 dias

                                                  Tem que cobrar sim. Já passou da hora. Quem não puder paga no futuro ão longo da vida como puder. Nem que descontentamento da aposentadoria

                                                  Denunciar abuso

                                                  A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                                  Qual é o problema nesse comentário?

                                                  Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                                  Confira os Termos de Uso

                                                  • C

                                                    Carlos Indio do Brasil de Paula Neves.

                                                    ± 525 dias

                                                    Como cidadão que paga impostos, sou sim a favor da cobrança de mensalidade nas universidades públicas. Essa situação já deveria ter mudado há muito tempo, não é à toa a situação de insolvência do Estado brasileiro. Quem, comprovadamente não tiver condições de pagar em função de uma situação social desfavorável, que receba então uma bolsa. Outra questão, é o retorno para a sociedade na forma de serviços, de quem não paga. No mínimo muito justo.

                                                    Denunciar abuso

                                                    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                                    Qual é o problema nesse comentário?

                                                    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                                    Confira os Termos de Uso

                                                    • C

                                                      C R Berger

                                                      ± 525 dias

                                                      Sou a favor da cobrança de mensalidades, apoiado em declaração de renda da família. Os que podem que paguem pelo ensino e pela alimentação. Que a renda seja administrada pela própria instituição Os de baixa renda não pagarão anuidade e terão alimentação gratuita. E se possível, bolsa de estudo, incluindo vale transporte.

                                                      Denunciar abuso

                                                      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                                      Qual é o problema nesse comentário?

                                                      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                                      Confira os Termos de Uso

                                                      • C

                                                        Cidadão Brasileiro

                                                        ± 525 dias

                                                        Ao invés de se pensar em mensalidades, melhor seria instituir compromisso de serviço civil, a ser firmado na matrícula, e com bolsa-auxílio de subsistência, aos recém-formados. Não faltariam médicos em cantões, jovens engenheiros acompanhando obras, administradores para ajudar a verificar contas públicas e licitações, bachareis de direito, fisioterapeutas, dentistas, etc. para assistir juridicamente o pessoal carente.

                                                        Denunciar abuso

                                                        A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                                        Qual é o problema nesse comentário?

                                                        Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                                        Confira os Termos de Uso

                                                        • N

                                                          Neto

                                                          ± 525 dias

                                                          A idéia parece ser muito justa. E quanto à alternativa de aumentar a cota para estudantes de escolas públicas?

                                                          Denunciar abuso

                                                          A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                                          Qual é o problema nesse comentário?

                                                          Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                                          Confira os Termos de Uso

                                                          • C

                                                            CLAUDIA CHOCIAY

                                                            ± 525 dias

                                                            Irônico é observar que , mesmo assim, boa parte dos jovens que estão saindo das universidades, seguem desempregados. Com cota, sem cota, quando vão pro mercado de trabalho hoje, são absorvidos pelo desemprego. Muitos mudam de área ou se sustentam nós país, os mesmos que anos antes, pagaram as melhores escolas privadas aos seus filhos. Por outro lado, muitos do que fizeram FIES hj não conseguem devolver ao governo o investimento público neles depositados porque, justamente, não encontram trabalho. Cobrar mensalidade da maioria ( a maioria bem estudada ) resolve? E quem vem de um ensino público deficiente? Como encarar um ensino superior? Muitas variantes a se analisar.

                                                            Denunciar abuso

                                                            A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                                            Qual é o problema nesse comentário?

                                                            Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                                            Confira os Termos de Uso

                                                            • A

                                                              Antonio de Azevedo

                                                              ± 525 dias

                                                              O MEC É COMUNISTA! ESTÁ ACABANDO COM A EDUCAÇÃO DO PAÍS.

                                                              Denunciar abuso

                                                              A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

                                                              Qual é o problema nesse comentário?

                                                              Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

                                                              Confira os Termos de Uso

                                                              Fim dos comentários.