Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Homenagem ao brasileiro Jean Charles de Menezes em Londres, dias após a sua morte em um  metrô na capital britânica | AMP/RT/KS/ALESSIA PIERDOMENICO
Homenagem ao brasileiro Jean Charles de Menezes em Londres, dias após a sua morte em um metrô na capital britânica| Foto: AMP/RT/KS/ALESSIA PIERDOMENICO

A família do brasileiro Jean Charles de Menezes, morto há 10 anos pela polícia de Londres ao ser confundido com um homem-bomba, vai apresentar uma ação criminal em um tribunal europeu nesta quarta-feira (10) contra os oficiais envolvidos na operação.

Jean Charles levou sete tiros na cabeça quando embarcava no metrô na estação de Stockwell, no sul de Londres, no dia 22 de julho de 2005.

A operação policial ocorreu um dia depois de um atentado contra a rede de transporte da capital britânica ter sido abortado. A polícia confundiu o brasileiro com Hussein Osman, um dos quatro militantes islâmicos que planejaram o ataque.

O serviço de segurança britânico estava sob o mais alto nível de alerta já que duas semanas antes quatro muçulmanos britânicos tinham matado 52 pessoas em explosões no ataque mais mortal de tempos de paz no Reino Unido.

“Durante 10 anos a família vem lutando por justiça para Jean, porque acreditamos que os oficiais da polícia têm que ser julgados pela morte dele”, disse Patrícia Armani Da Silva, prima de Jean Charles, em comunicado. “A morte de Jean é uma dor que nunca vai embora.”

Apesar dos repetidos apelos por parte da família para que os oficiais envolvidos sejam condenados, promotores afirmaram não haver evidências suficientes para processar os envolvidos.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]