Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

confidencialidade

Atriz pornô propõe devolver dinheiro para anular sigilo sobre suposta relação com Trump

Stephanie Clifford diz ter tido um relacionamento com o líder norte-americano em entre 2006 e 2007. O advogado da atriz ofereceu US$ 130 mil para que ela possa divulgar detalhes do suposto caso

  • São Paulo
  • Folhapress
O acordo que proíbe a atriz de divulgar detalhes sobre o suposto caso foi assinado em 28 de setembro de 2016, dez dias antes da eleição presidencial | MANDEL NGAN/
AFP
O acordo que proíbe a atriz de divulgar detalhes sobre o suposto caso foi assinado em 28 de setembro de 2016, dez dias antes da eleição presidencial MANDEL NGAN/ AFP
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

O advogado da atriz pornô Stephanie Clifford, que usa o nome artístico Stormy Daniels, ofereceu devolver os US$ 130 mil (R$ 424 mil) que ela recebeu em um acordo de confidencialidade para não divulgar detalhes da suposta relação que teve com Donald Trump.

Segundo a informação divulgada pela rede de TV CNN, Michael Avenatti, que representa a atriz, enviou um carta ao advogado pessoal de Trump, Michael Cohen, com a oferta.  

Para Avenatti, a devolução do dinheiro daria fim ao acordo e permitiria que Clifford divulgasse os detalhes do caso, incluindo fotos e mensagens que ela tenha recebido do atual presidente americano -Trump nega ter tido relações com ela.  

O advogado pediu que seja indicada até sexta-feira (16) uma conta de Trump para que ele faça o depósito.  

Os US$ 130 mil foram pagos pelo próprio Cohen a Clifford como parte do acordo assinado em 28 de setembro de 2016, dez dias antes da eleição presidencial. O documento proíbe a atriz de divulgar detalhes sobre Trump.  

Os dois lados travam atualmente uma batalha jurídica devido ao acordo. O advogado do presidente conseguiu uma medida judicial que proíbe Clifford de falar sobre o assunto.  

Em resposta, Avenatti entrou na Justiça afirmando que o documento não tem validade legal porque é assinado apenas por Cohen, sem o nome de Trump. 

O relacionamento entre os dois teria acontecido entre meados de 2006 e o início de 2007, quando Trump já era casado com Melania e seu filho mais novo, Barron, era recém-nascido.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Mundo

PUBLICIDADE