Evo Morales
O ex-presidente da Bolívia, Evo Morales, em El Alto, 10 de novembro de 2019.| Foto: Enzo de Luca/Presidência da Bolívia/AFP

O governo da presidente interina da Bolívia, Jeanine Ãnez, divulgou nesta quarta-feira (20) um vídeo o qual alega ser uma conversa telefônica entre o ex-presidente Evo Morales, exilado no México, e um sindicalista identificado como Faustino Yucra Yarwui, gravada há de três dias.

No vídeo, a voz identificada como sendo a de Morales orienta o interlocutor a bloquear cidades para que não entre comida. “Irmão, que não entre comida nas cidades, vamos bloquear, um cerco de verdade. Quando me expulsaram do Congresso em 2002, bloquearam e agora me expulsam da Bolívia, e há um bloqueio. Vamos vencer”, diz ao líder sindical.

"Divida o sindicato em quatro ou cinco grupos... Se se concentra um, ele se cansa, as pessoas abandonam, mas se forem grupos, grupos, se revezarem. Vamos aguentar o bloqueio (…) Se a Assembleia rejeitar minha renúncia, tentarei voltar, mesmo que me detenham".

Para o ministro de Governo, Arturo Murillo, a gravação é uma prova de que o ex-presidente está "fazendo terrorismo" e que sua postura é um crime de "lesa-humanidade". Ele garantiu a veracidade do telefonema, mas não deu detalhes de como o vídeo foi obtido. O jornal El Deber afirmou que a gravação foi encontrada em um celular durante uma operação de desbloqueio de rota realizada pela polícia. Ouça o áudio (em espanhol) a seguir.

2 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]