i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
argentina

Buscas por submarino entram em etapa crítica com risco de falta de oxigênio

Nesta quarta, equipes acreditavam que um novo sinal da tripulação tinha sido detectado; a Marinha, no entanto, descartou a informação

    • Da Redação, com agências
    • 22/11/2017 09:06
    Equipes buscam pelo submarino ARA San Juan, desaparecido desde a última quarta-feira (15) | EITAN ABRAMOVICH/AFP
    Equipes buscam pelo submarino ARA San Juan, desaparecido desde a última quarta-feira (15)| Foto: EITAN ABRAMOVICH/AFP

    Após sete dias de buscas pelo submarino ARA San Juan, a Marinha da Argentina afirmou nesta quarta-feira (22) que a situação entrou em uma etapa crítica. A imprensa do país também definiu os esforços de busca como "sem precedentes". A tripulação, que desapareceu na última quarta-feira (15), estava preparada para um viagem de 10 dias e tinha suprimentos para uma quinzena. A quantidade de oxigênio, no entanto, poderia suprir os tripulantes durante apenas sete dias - o que se encerraria hoje.

    Nesta quarta-feira (22), duas fontes disseram ao jornal argentino "Clarín" que novos sinais tinham sido detectados por equipes de apoio. A Marinha, mais tarde, no entanto, relatou que a informação foi descartada, de acordo com o jornal.

    A partir da suspeita do sinal, as equipes tinham definido um novo perímetro de busca. Segundo o jornal, uma frota comandada pela corveta (navio de guerra) Drummond já estava sendo encaminhado ao local onde o teria sinal detectado.  

    O ponto, a 300 quilômetros da costa da cidade de Puerto Madryn, coincide com a área indicada pela Marinha dos Estados Unidos, que disse ter localizado com um de seus aviões uma "mancha de calor" a 70 metros de profundidade. 

    A embarcação

    O ARA San Juan saiu de Ushuaia, no extremo sul do país, e estava em um exercício de vigilância na zona econômica exclusiva da Marinha argentina. A embarcação se dirigia de volta à sua base em Mar del Plata, ao norte, quando as comunicações foram interrompidas.

    No domingo, a Marinha da Argentina já tinha dito que não estava trabalhando com a questão da sobrevivência dos 44 tripulantes que o ARA levou a bordo, devido ao abastecimento de oxigênio e alimentos da tripulação.

    Buscas

    As Forças Armadas argentinas têm empregado todo tipo de embarcações e aviões nas buscas, de barcos científicos e corvetas a aviões de guerra, além de ter aceitado a ajuda nas buscas, inclusive, de navios pesqueiros.

    Brasil mobilizou três embarcações da Marinha, o navio polar almirante Maximiano, que se deslocava para Estação Antártica Comandante Ferraz; a fragata Rademaker, que regressava de uma operação com a Armada do Uruguai, e o navio de socorro submarino Felinto Perry, que desatracou da base almirante Castro e Silva, localizada no Rio de Janeiro.

    A Argentina aceitou ajuda ainda dos Estados Unidos para enviar o avião explorador da NASA P-3. O Reino Unido também ofereceu apoio nas buscas pelo ARA San Juan e disponibilizou um avião Hércules que opera nas ilhas Malvinas (Falklands, para os britânicos).  

    Outros países que manifestaram ajuda ao governo argentino foram Uruguai, Chile, Peru, e África do Sul, segundo informações do jornal argentino “Clarín”. 

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.