Kim Jong-nam, meio-irmão do ditador norte-coreano Kim Jong-un
Kim Jong-nam, meio-irmão do ditador norte-coreano Kim Jong-un| Foto: TOSHIFUMI KITAMURA/AFP

Kim Jong-nam, o meio-irmão do ditador norte-coreano Kim Jong-un, morto na Malásia em 2017, era um informante da CIA, a agência de inteligência dos Estados Unidos, disse o jornal Wall Street Journal nesta segunda-feira (10).

Citando uma fonte anônima "com conhecimento da questão", o jornal disse que muitos detalhes da relação entre Kim Jong-nam e a CIA não estão claros.

De acordo com a pessoa entrevistada pelo jornal, Kim Jong-nam viajou para a Malásia para se encontrar com o seu contato da CIA, embora esse pode não ter sido o único motivo da viagem.

Kim Jong-nam morreu na Malásia, em fevereiro de 2017, após duas mulheres jogarem uma substância no rosto dele no aeroporto de Kuala Lumpur. Ele começou a apresentar sintomas logo depois e morreu em cerca de 20 minutos, enquanto ia para o hospital.

Acredita-se que a substância que o matou tenha sido VX líquido, uma arma química de uso proibido. A Malásia liberou da prisão as duas mulheres, uma vietnamita e uma indonésia, em maio e março deste ano.

"Vários ex-oficiais dos EUA disseram que o meio-irmão, que viveu fora da Coreia do Norte durante muitos anos e não tinha uma base de poder conhecida em Pyongyang, dificilmente poderia oferecer detalhes do funcionamento interno do país", disse o jornal.

Esses ex-oficiais também disseram ao jornal que Jong-nam quase certamente teria estado em contato com serviços de segurança de outros países, particularmente da China.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]