Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

vida sobre rodas

Mesmo com salários de quase R$ 300 mil por ano, poucos querem ser caminhoneiros nos EUA

Os Estados Unidos enfrentam uma enorme escassez de motoristas de caminhão. Faltam 51 mil profissionais para atender à demanda. E a situação deve piorar nos próximos anos

  • Heather Long
  • Washington Post
Ryan Kitchel segura seu filho em frente ao seu caminhão. Kitchel se sente feliz por ter conseguido mudar para uma empresa que o leva para casa nos fins de semana e paga bem. | Ryan Kitchel/Arquivo Pessoal
Ryan Kitchel segura seu filho em frente ao seu caminhão. Kitchel se sente feliz por ter conseguido mudar para uma empresa que o leva para casa nos fins de semana e paga bem. Ryan Kitchel/Arquivo Pessoal
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Os Estados Unidos enfrentam uma enorme escassez de motoristas de caminhão. Joyce Brenny, diretora da Brenny Transportation, em Minnesota, aumentou o salário dos motoristas em 15% este ano para tentar atrair mais motoristas. Muitos de seus funcionários agora ganham 80 mil dólares por ano (quase R$ 300 mil), mas ela ainda não consegue encontrar pessoas suficientes para o trabalho. 

Cerca de 51 mil motoristas adicionais são necessários para atender à demanda de empresas como a Amazon e o Walmart, que estão enviando mais mercadorias para todo o país, de acordo com as Associações Americanas de Transporte por Caminhões (ATA). A escassez de motoristas já está levando a atrasos nas entregas e a preços mais altos para os produtos que os americanos compram. A ATA prevê que é provável que a situação piore nos próximos anos. 

Muitas empresas de caminhões estão tão desesperadas por motoristas que estão oferecendo bônus contratuais e aumentos salariais. Então por que mais norte-americanos não querem esse emprego? Nós perguntamos aos motoristas de caminhão de vários lugares e com diferentes tempos de experiência para descobrir seus pontos de vista. 

A maioria deles disse que a resposta é simples: o estilo de vida é difícil. Você mal vê sua família, você raramente toma banho e recebe pouco respeito de motoristas, policiais ou grandes varejistas. Michael Dow disse que se divorciou duas vezes por causa de caminhões. Donna Penland disse que engordou 27 quilos em seu primeiro ano como motoristas por ter de ficar sentada o dia todo e pela falta de comida saudável na estrada. 

Alguns motoristas disseram ao Washington Post que ganham US$ 100 mil por ano (R$ 371 mil), mas muitos disseram que seu pagamento anual é inferior a US$ 50 mil (as estatísticas do governo dizem que o salário médio do setor é de US$ 42 mil — equivalente a R$ 156 mil). Quanto aos bônus, o motorista Daniel Gollnick disse que eles são uma "piada" por causa de todas as condições enfrentadas. 

Apesar das dificuldades, metade disse que recomendaria o trabalho para amigos e familiares, principalmente porque, como disse Gollnick, "é o dinheiro mais fácil que você pode obter sem um diploma universitário". Aqui estão as perspectivas dos motoristas sobre a crise de caminhões dos Estados Unidos.

Michael Dow: "Me divorciei duas vezes por causa da profissão" 

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/05/30/Mundo/Imagens/Cortadas/truckers-2ca46fd6-6350-11e8-99d2-0d678ec08c2f-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg
Os irmãoes Jeffrey Dow (E) e Michael Dow abriram uma empresa de transportes de carga em 2018Michael DowMichael Dow

Michael Dow, de Dallas, é caminhoneiro há mais de duas décadas. Ele e seu irmão fundaram uma empresa, a Dow Brothers Transportation, este ano. Eles esperam mais do que dobrar seu salário. 

Idade: 48 anos 

Renda anual: US$ 45.000 

Por que as pessoas não querem esse emprego? "O pagamento está muito defasado. Eu ganho menos agora do que há 20 anos se for ajustada a inflação e o custo de vida. Eu percebi isso uma vez, e estava ganhando US$ 14 ou US$ 15 por hora dirigindo para grandes transportadoras. Pessoas que trabalham grelhando hambúrgueres estão exigindo US$ 15 por hora". 

Você conseguiu um aumento? "Consegui, porque eu saí e comecei minha própria empresa este ano. As taxas [de frete] nunca foram tão boas em mais de 20 anos. Espero que a falta de motorista continue. Motoristas qualificados como eu não são baratos agora. Estou esperando ganhar US$ 85.000 a US$ 120.000 este ano". 

Você recomendaria este trabalho? "Eu tenho um filho de 21 anos nas forças armadas que está prestes a sair. Com toda a honestidade, eu não quero que ele entre nesta indústria porque é uma vida difícil. Eu não recomendo a ninguém que tenha uma família. Meus filhos estão na faixa dos 20 anos agora, eu não estava presente na maior parte da vida deles. Eles me disseram que gostariam que eu tivesse ficado mais em casa. Eu me divorciei duas vezes por causa da minha profissão. Para ter uma perspetiva real, converse com a esposa de um caminhoneiro".

Daniel Gollnick: "Eu vejo esses anúncios de grandes bônus para caminhoneiros, mas é uma grande piada"

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/05/30/Mundo/Imagens/Cortadas/truckers-1d487aaa-6350-11e8-99d2-0d678ec08c2f-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg
Daniel Gollnick ganha US$ 45 mil por ano, menos do que gostariaDaniel GollnickDaniel Gollnick

Daniel Gollnick, de Melrose, Wisconsin, dirige para uma empresa que o leva para casa todas as noites. Ele costumava dirigir pelo país em um caminhão que tinha uma cama improvisada, mas sua namorada não gostava que ele ficasse longe tanto tempo. 

Idade: 28 anos 

Renda anual: US $ 45.000 

Você recebeu um aumento ultimamente? "Conseguimos um aumento de US$ 1 este ano. A maioria dos caminhoneiros estava recebendo US$ 17,50 por hora. Agora estamos ganhando US$ 18,50. Isso mal cobre inflação. Eu vejo aqueles anúncios de grandes bônus para motorista, mas é uma grande piada". Trabalhei para algumas das principais empresas de transporte de cargas: a Roehl Transport e a Melton Truck Lines, que ofereciam bônus de entrada, mas o que não lhe dizem é o que depende para conseguir esse bônus de US$ 1 mil. Às vezes você precisa ter certificações para transportar cargas perigosas ou precisa ser qualificado para dirigir em bases militares ou portos. E você precisa atender a requisitos de uso de combustível, mas eles geralmente dão a você os caminhões mais antigos que gastam mais combustível, dificultando a obtenção do bônus de entrada". 

Você recomendaria este trabalho? Eu digo aos amigos que estão trabalhando em empregos que pagam salário mínimo para que eles obtenham sua CDL [Licença de Motorista Comercial, que leva algumas semanas]. É o dinheiro mais fácil que você pode obter sem ter um diploma universitário, mas é uma indústria difícil. Você vai ficar sozinho muito tempo". 

O setor está em crise? "Não há caminhoneiros suficientes. Eu tenho feito viagens extras, porque estamos com falta de motoristas. Mas percebi que não estou realmente pegando mais carga física. Estou apenas pegando em mais lugares".

Donna Penland: "Ganhei 27 quilos por causa da vida sedentária"

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/05/30/Mundo/Imagens/Cortadas/truckers-3454634e-6350-11e8-99d2-0d678ec08c2f-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg
Donna Penland era corretora e depois dos 40 se tornou caminhoneiraDonna PenlandDonna Penland

Donna Penland, de Houston, decidiu obter sua licença de motorista 18 meses atrás. Depois que seu namorado foi demitido, eles quiseram experimentar como é fazer transporte por caminhão. A dupla dirigiu um caminhão, ou seja, eles se intercalavam na direção para que o veículo estivesse rodando quase 24 horas por dia. Eles acabaram se separando, mas Penland continuou dirigindo sozinha. 

Idade: 50 anos 

Renda anual: “US$ 50.000 é  o que você vai receber quando trabalha para uma grande empresa. Se você quer ganhar mais dinheiro do que isso, você tem que encontrar uma pessoa independente com dois ou três caminhões que realmente aprecie você como um motorista e então eles compartilham lucros com você". 

Você recebeu um aumento? "Eu trabalho para a Martin Transportation agora. Eles não oferecem bônus de contrato, mas eu trabalho em uma rota dedicada à Coca-Cola, e a Coca-Cola está oferecendo bônus porque eles precisam de motoristas. Então eu ganhei um bônus de US$ 3.500. Mas eles não foram apenas os US$ 3.500. Recebi também US$ 500 depois de 30 dias e mais US$ 1.000 depois de 60 dias”. 

Você recomendaria este trabalho? "Não. Não para a maioria dos meus amigos. É preciso um tipo específico de pessoa, porque você basicamente renuncia à sua vida pelo trabalho. Você se dedica a esse caminhão. A maioria das pessoas são motoristas o tempo todo, porque é onde você ganha mais dinheiro. Isso significa que você vai de costa a costa e de fronteira a fronteira. Você deve ter um dia de folga a cada sete dias dirigindo, mas as empresas preferem que você fique fora por 60 dias e tirar apenas alguns dias de folga. Eu ganhei 27 quilos porque é uma vida sedentária. Você apenas dirige, dorme, dirige, dorme. As empresas não o tratam como um humano. Você é apenas uma máquina que faz dinheiro para eles". 

Este é um bom trabalho para as mulheres? "Eu acho que é uma boa profissão para as mulheres, mas há muitas barreiras a serem quebradas. Os caras te tratam como se você fosse idiota e não soubesse de nada. E as empresas quase sempre estão pedindo para você fazer coisas que são ilegais - trabalhar horas extras ou despejar lixo ilegalmente".

Boris Strbac: "Eu não deixaria meus filhos sequer pensarem em fazer isso" 

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/05/30/Mundo/Imagens/Cortadas/truckers-3c1f7dd4-6350-11e8-99d2-0d678ec08c2f_20180530094320-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg
Boris Strbac está no ramo de transportes há quase duas décadasBoris StrbacBoris Strbac

Boris Strbac, de Milwaukee, é o gerente de Star Trucking. Ele emprega 35 motoristas e é um ex-motorista que já trabalhou para outras empresas e por conta própria. 

Idade: 45 anos 

Você recomendaria este trabalho? "Nunca. Eu não deixaria meus filhos sequer pensarem em fazer isso. Este é um trabalho muito, muito duro. Além disso, as pessoas não respeitam os motoristas de caminhão. Somos tratados como bandidos na estrada por outros motoristas e policiais. A maioria da polícia trata motoristas como criminosos. Somos presos por coisas estúpidas. Um dos meus motoristas ganhou uma notificação porque não tinha fluido de para-brisa suficiente. Essa violação fica no registro do motorista e no histórico da minha empresa por três anos." 

O setor está em crise? "Estamos vendo uma demanda recorde este ano e o maior pagamento por milha. A razão é que não há motoristas suficientes. Todo o setor está uma bagunça. E vai ficar muito mais interessante em breve. Ninguém sabe o que fazer sobre a falta de motoristas. As pessoas estão apostando em caminhões sem motorista, mas eles não vão chegar tão cedo".

Lee Klass: “Você pode dar adeus à sua vida social”

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/05/30/Mundo/Imagens/Cortadas/truckers-42e5457c-6350-11e8-99d2-0d678ec08c2f-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg
Lee Klass dirige caminhões há mais de 40 anosLee KlassLee Klass

Lee Klass, de Portland, Oregon, dirige há quatro décadas. Ele é dono de seu caminhão e faz os trabalhos que quer. Ele diz que o problema real não é a falta de motoristas - mas sim da falta de motoristas experientes. 

Idade: 70 anos 

Renda anual: pouco menos de US$ 50.000 

Como as empresas podem atrair mais motoristas? "Menos regras, mais dinheiro". 

O que mudou em relação à direção de caminhões em 40 anos? "Há uma grande rotatividade na direção de caminhões. Dezenas de milhares de pessoas estão deixando a profissão. É uma vida difícil e há muitos regulamentos agora. Há muito mais monitoramento eletrônico do que quando eu comecei. Para pessoas que têm problemas com autoridade, e eu certamente era um desses, este era um bom trabalho. Você ficava por sua própria conta. Desde que suas cargas fossem entregues, ninguém te incomodava. Agora você é monitorado. Assim que você para, você recebe uma mensagem de a empresa perguntando: 'Por que você parou?' E o governo está rastreando você com o dispositivo de registro eletrônico". 

[Em dezembro, o governo dos EUA exigiu que todos os motoristas de caminhão tivessem dispositivos de registro eletrônico que rastreiam suas horas e garantem que não dirijam mais de 11 horas durante um período de 14 horas. Os motoristas devem fazer um intervalo de 10 horas].

Você recomendaria este trabalho? "Você pode dar adeus à sua vida social".

Ryan Kitchel: "É mais do que ficar atrás de um volante e dirigir"

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/05/30/Mundo/Imagens/Cortadas/truckers-4ae1879a-6350-11e8-99d2-0d678ec08c2f-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg
Ryan Kitchel e seu filho em frente ao caminhão que ele dirigeRyan KitchelRyan Kitchel

Ryan Kitchel, de Greensboro, na Carolina do Norte, é caminhoneiro há dois anos. Ele costumava trabalhar em serviços de emergência, mas queria uma mudança. Ele está em casa a maioria dos fins de semana, mas durante a semana ele dirige por toda a Costa Leste com caminhões que transportam aço, telhados e muito mais. 

Idade: 36 anos 

Renda anual: US$ 100.000 

Você recebeu um aumento ultimamente? "Eu ganho um dinheiro decente. Recebo uma porcentagem [do custo de carregamento]. Mas ganho o mesmo que meu pai ganhava nos anos 70". 

O que é frustrante em ser um motorista de caminhão? "Meu pai era um motorista de caminhão. Havia um nível diferente de respeito para os motoristas de caminhão e mais camaradagem. Os motoristas de carro hoje não entendem o que fazemos. Eles nos cortam o tempo todo e não percebem que essa é a nossa pista de parada. Precisamos desse espaço". 

Por que mais pessoas não estão se tornando caminhoneiros? "Eu costumava treinar motoristas. Muitos caras não percebem tudo o que está envolvido em caminhões. É mais do que ficar atrás de um volante e dirigir. Você tem que ser capaz de arrumar sua papelada. Você tem que prestar atenção no seu entorno. Você tem que manter o caminhão e o reboque em dia. Você tem que observar todos ao seu redor, porque os carros não estão atentos". 

Você recomendaria este trabalho? "Sim. Em que outro trabalho você vai fazer o mínimo de treinamento e ganhar US$ 50.000?"

Donald Rich: "As empresas não querem contratá-lo até que você tenha seis meses de experiência"

/ra/pequena/Pub/GP/p4/2018/05/30/Mundo/Imagens/Cortadas/truckers-5166e376-6350-11e8-99d2-0d678ec08c2f-ID000002-1200x800@GP-Web.jpg
Donald Rich obteve sua licença como motorista de caminhão neste anoDonald RichDonald Rich

Donald Rich, de Yountville, Califórnia, passou 20 anos como cozinheiro no Exército. Depois de se aposentar, ele começou a trabalhar em restaurantes, mas o salário era tão ruim que sua esposa o encorajou a se tornar um motorista de caminhão. Ele obteve sua licença em fevereiro e foi contratado imediatamente. 

Idade: 53 anos 

Receita anual: US$ 60.000 (esperada) 

O que você gosta até agora sobre esta profissão? "Ela paga o dobro do que os restaurantes. E há potencial para fazer muito mais. O primeiro ano é o mais difícil. Muitas empresas de caminhões não querem contratá-lo até que você tenha pelo menos seis meses de experiência". 

Outras empresas tentaram atraí-lo? "Sim. Outras empresas já tentaram me contratar. Já recebi ligações de oito ou nove empresas. Algumas me dizem para ficar onde estou e adquirir mais experiência".

Por que o setor está em crise? "Há muito tempo perdido em caminhões. A indústria poderia ser muito mais eficiente. Você acaba ficando do lado de fora de um negócio por seis ou oito horas esperando alguém descarregar seu caminhão. As empresas não se importam, mas você está perdendo centenas ou milhares de dólares de pagamento potencial, porque você tem que apenas esperar". 

Você recomendaria este trabalho? "Sim. Isso lhe dará uma renda para sobrevivência. Mas pode não ser para você caso você não goste de pequenos espaços fechados e queira tomar banho mais do que duas vezes por semana".

Vídeo: Trump assume o volante de um caminhão de 18 rodas na Casa Branca

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Mundo

PUBLICIDADE