i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Efeito home-office

Apartamento ou casa? Pandemia muda mapa da procura por imóveis em Curitiba

  • PorEloá Cruz
  • Tribuna do Paraná
  • 20/08/2020 11:05
Expansão do home-office valorizou iimóveis antes preterido por apartamentos
Expansão do home-office valorizou iimóveis antes preterido por apartamentos| Foto: Rede Imóveis / divulgação.

A pandemia do coronavírus aumentou a procura por casas, sejam de frente para a rua ou em condomínios, em Curitiba. As casas, que antes da pandemia tinham pouca procura em relação aos apartamentos, ganharam fôlego. E a explicação é o impacto do coronavírus na vida das pessoas.

As principais notícias do Paraná no seu WhatsApp

Com boa parte das pessoas trabalhando em casa, no chamado home office, já não há mais necessidade de se morar perto de onde era o emprego. Assim, muita gente está aceitando morar em bairros mais distantes, porém, com mais espaço. É o que explica o vice-presidente de vendas do Sindicato da Habitação e Condomínios (Secovi-PR), Luciano Tomazini.

“As famílias acabaram percebendo que o espaço dos apartamentos é pequeno, as pessoas usavam a habitação somente para dormir e passavam grande parte do dia fora. Agora, com todo mundo reunido, houve essa necessidade de buscar um espaço maior, de se ter pelo menos um quintal”, explica Tomazini.

Com a possibilidade de continuar com o sistema home office ainda pelos próximos meses ou pelos próximos anos, a mudança para uma casa é vista como investimento em qualidade de vida. “As casas de frente para a rua estavam com uma menor quantidade de negócio e na pandemia voltaram a crescer. A venda de imóveis em condomínio fechado também cresceu, aliando a segurança com a possibilidade de ter uma área de convívio maior para a família”, explica o vice-presidente do Secovi. Ou seja, a busca pela área de lazer privativa tornou-se o principal atrativo entre quem decidiu mudar de casa nos últimos meses.

Além da busca por espaço, um novo comportamento também tem sido notado entre quem decidiu mudar do apartamento para a casa na quarentena. Por causa da falta da necessidade de morar próximo do trabalho, muitas famílias decidiram até mudar de bairro. “As pessoas acabam se regionalizando na cidade. Quando mudam, ficam sempre na mesma região, difícil migrarem. Então, essa questão de proximidade é muito enraizada. A grande maioria troca por algo próximo de onde elas vivem, mas durante a pandemia isso parou um pouco”, explica Tomazini.

Pandemia atraiu investidores para o mercado imobiliário

Com o mercado financeiro com baixa rentabilidade e a taxa de juros baixíssima, a mais baixa da história, o mercado imobiliário tem sido uma boa alternativa também para investidores. “O investimento em locação têm sido um atrativo hoje por causa de uma série de associação de fatores, não só a pandemia. Não vale a pena hoje em dia deixar o dinheiro parado, tem que circular”, explica o coordenador de vendas da Rede Imóveis, Marlon Moser.

A taxa Selic, que a taxa básica de juros da economia, segue a 2% ao ano em agosto — a menor desde 1999, quando entrou em vigor o regime de metas para a inflação. E com a taxa Selic baixa, aplicações financeiras, como a poupança e os investimentos de renda fixa, são afetados negativamente. Em contrapartida, a Selic baixa favorece o setor de venda imobiliária. Os juros da compra de imóveis passam a ficar mais baixos.

De acordo com o economista Lucas Dezordi, a Selic deve se manter inferior a 0,41% ao mês nos próximos anos. Dados do Inespar afirmam que o mercado imobiliário vem apresentando uma rentabilidade especial, uma vez que a valorização média dos residenciais, no acumulado dos últimos 12 meses, foi de 5,49%. Os aluguéis residenciais tiveram variação de 8,52% no mesmo período.

2 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 2 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • R

    RPM

    ± 5 horas

    Essa pandemia não vai durar pra sempre, depois vão mudar novamente para apto, porque é mais seguro?

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    Jota

    ± 3 dias

    Morar numa casa é muito melhor, se proprietário melhor ainda. O terreno vai valorizando ao contrário da laje.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

Fim dos comentários.