i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Física

Professora da UFPR ganha prêmio científico por pesquisa sobre raios cósmicos

  • 08/09/2020 09:00
Rita de Cássia: paixão pela física levou-a a estudar a força de estrelas que estão há milhões de anos-luz da Terra.
Rita de Cássia: paixão pela física levou-a a estudar a força de estrelas que estão há milhões de anos-luz da Terra.| Foto: Arquivo pessoal

“Não aceite as coisas como elas são, tente entender como elas funcionam”. Esse era o conselho que Rita de Cássia dos Anjos ouvia da mãe, uma técnica de enfermagem, quando era criança. Mais do que um simples conselho, a recomendação foi levada como um aprendizado para a vida. E assim a caçula de oito filhos decidiu estudar física, a ciência que estuda as propriedades da matéria e da energia, estabelecendo relações entre elas. Ao contrário de muitos estudantes que têm pavor dos cálculos, equações e termos pouco familiares, Rita se apaixonou pela física. Seguindo o conselho da mãe, quis entender diversos fenômenos, inclusive, alguns que acontecem a 160 milhões de anos-luz da Terra.

Que tal receber notícias do Paraná pelo WhatsApp?

Foi a curiosidade acerca de fenômenos espaciais que levou Rita de Cássia a ser uma das sete pesquisadoras em todo o Brasil a receber o prêmio Programa Para Mulheres na Ciência 2020, promovido pela L’Oréal Brasil, Unesco Brasil e Academia Brasileira de Ciências (ABC). Aos 36 anos, a professora do Departamento de Engenharia e Exatas da Universidade Federal do Paraná (UFPR) em Palotina, no Oeste do estado, foi a vencedora da premiação na área de Ciências Físicas. Ela receberá uma bolsa-auxílio no valor de R$ 50 mil para desenvolver sua pesquisa.

O objeto de estudo da pesquisadora são raios cósmicos de altíssima energia, uma força que vem de estrelas a 160 milhões de anos-luz do nosso planeta. Algo que soa complexo para um ouvinte leigo, mas, como professora, Rita tem toda a paciência para explicar. “Esses raios cósmicos, na verdade, são elementos químicos que vêm do espaço e chegam à Terra com uma energia altíssima. Para se ter uma ideia, se colocarmos a energia contida em cada partícula numa bola de tênis, ela será capaz de atingir uma velocidade de 60 quilômetros por hora”, afirma, em entrevista à Gazeta do Povo.

O estudo teve início no doutorado que ela cursou no Instituto de Física de São Carlos (IFSC), da Universidade de São Paulo (USP), e foi intensificado a partir de uma avaliação do Observatório de Raios Cósmicos Pierre Auger, na Argentina, da qual Rita faz parte desde 2014. Foi observada uma correlação entre os raios cósmicos de alta energia e as galáxias Starburst, que têm intensa formação estelar, ventos fortes e alta luminosidade. “O que eu pretendo estudar nesse projeto são alguns modelos que possam confirmar que esse tipo de galáxia é um bom candidato a ser fonte aceleradora de partículas”, diz.

Da biologia para a astrofísica

Rita de Cássia dos Anjos nasceu no município de Olímpia, norte do estado de São Paulo. Inicialmente, pensava em cursar Biologia, inspirada pela mãe que trabalhava na área de saúde. De família humilde, estudou em escola pública até que, próxima da idade de fazer vestibular, uma das irmãs resolveu pagar um cursinho para ajudá-la a ingressar na faculdade. Foi ali que descobriu a física. “Na escola eu não aprendi física de verdade. Quando eu fiz cursinho, aí sim eu tive contato real com a física e me apaixonei”, relembra.

Ainda dividida entre a física e a biologia, encontrou em pouco tempo a solução para o dilema: a Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp) abriu no campus de São José do Rio Preto o curso de Física Biológica, campo no qual se estudam os processos físicos que governam os sistemas vivos. Rita fez o vestibular, passou, mas ainda não estava totalmente realizada. “Durante o curso percebi que o que eu gostava mesmo era a física”, revela. Concluiu a faculdade e, em seguida, iniciou o mestrado, esse sim na área de Física na USP São Carlos, onde também cursou o doutorado.

No doutorado Rita mergulhou de vez no campo da astrofísica, ramo da ciência que estuda o universo através da aplicação de leis e conceitos da física. Tornou-se membro do Observatório de Raios Cósmicos Pierre Auger, na Argentina, e do Observatório Cherenkov Telescope Array, referências mundiais no estudo de raios cósmicos. No ano passado tornou-se pós-doutora pelo Centro Harvard-Smithsonian para Astrofísica, instituição ligada à conceituada Universidade de Harvard, nos Estados Unidos.

Há seis anos, Rita trocou o interior paulista por Palotina, município paranaense de aproximadamente 32 mil habitantes no Oeste do estado. De acordo com ela, a oportunidade surgiu quando estava concluindo o doutorado e um casal de amigos pediu que ajudasse a divulgar um concurso público para professor da UFPR. “Decidi fazer o concurso também, e passei. Apresentei a banca do doutorado e vim para cá”, conta a pesquisadora.

Física em braile e divulgação da ciência

Se para muita gente mudar-se para uma cidade pequena é sinônimo de sossego, para Rita está bem longe disso. Além das aulas na UFPR e dos projetos de pesquisa, ela também participa de outros projetos, que visam melhorar a formação de professores da rede pública, divulgar a ciência em diferentes níveis escolares e incentivar a participação feminina no campo da pesquisa.

Um desses projetos é o Física em Braile, que busca aprimorar o ensino e a aprendizagem de ciências exatas para deficientes visuais. “Como a gente vai ensinar física e química para essas pessoas se não existe material didático adaptado, nem formação de professores? Hoje há cursos de libras, mas não tem braile. O professor não sabe como ensinar e o aluno não tem como acompanhar”, argumenta Rita ao explicar como nasceu o projeto. Um dos resultados desse trabalho foi a criação de um site reunindo material pedagógico e artigos que ajudam no ensino a deficientes visuais.

A pesquisadora também ministra oficinas de física para professores do ensino médio. “Eu percebi que o campus de Palotina tem uma interação muito grande com as escolas da cidade. Isso me estimulou a promover atividades que incentivem a formação continuada dos professores.” E tem ainda o projeto Rocket Girls: Meninas na Astronomia e na Astronáutica, que, com o suporte do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ), apoia atividades de astronomia e robótica, incentivando mulheres a ingressar em carreiras científicas.

Diversidade nos ambientes de pesquisa

Das sete pesquisadoras contempladas neste ano pelo Programa Para Mulheres na Ciência, Rita de Cássia é a única negra. Uma realidade que ela vem acompanhando ao longo de toda a carreira acadêmica e que espera ajudar a mudar. “Na minha área sempre fui a única negra. No campus onde trabalho são aproximadamente 140 professores e, que eu me recordo, somos eu e mais um negro apenas. É muito pouco, por isso é importante mostrar que a diversidade é nossa riqueza e que ela precisa estar presente em todos os ambientes de pesquisa”, defende.

Para ela, ainda existem obstáculos a serem superados no acesso de grande parte da população à universidade. “Eu entrei porque pude fazer cursinho, minha irmã trabalhou para pagar. Mas muitas famílias não têm essa condição. Quando têm uma oportunidade, elas precisam ser muito boas, precisam ser exemplo para as outras. Então, eu espero também servir como exemplo, mostrar que é possível se destacar e fazer a diferença.”

Mulheres na Ciência

O Programa Para Mulheres na Ciência é promovido desde 2006 e, internacionalmente, já tem 22 anos. O objetivo da premiação é a transformação do ambiente científico, favorecendo a equidade de gêneros, nos cenários brasileiro e global. Na edição nacional, sete jovens pesquisadoras são contempladas com bolsas-auxílio no valor de R$ 50 mil, nos campos das Ciências da Vida, Ciências Físicas, Ciências Matemáticas e Ciências Químicas. O júri foi composto por 14 pesquisadores, membros da Academia Brasileira de Ciência, um representante da L’Oréal e um da Unesco. Os critérios de escolha foram a qualidade e impacto do projeto e o trabalho desenvolvido anteriormente pela candidata. Mais de 100 cientistas brasileiras já foram premiadas.

15 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 15 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • C

    Correa

    ± 2 horas

    Dra Rita de Cássia, um exemplo para todos os brasileiros sofridos e desesperançados. Parabéns, bola pra frente!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    Raphael

    ± 4 dias

    Parabéns!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Afra Maria Miceli

    ± 5 dias

    Muito esforço, trabalho, superação. Parabéns doutora Rita de Cássia, brasileira que dá orgulho aos brasileiros.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • N

    Neanderthal

    ± 5 dias

    Parabéns muito merecido! Quem sabe um dia a professora ainda traga um Nobel para o Brasil! Parabéns orgulho para o Brasil.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    JC Rocha

    ± 5 dias

    Parabens!!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Antonio Carlos Bueno Camargo Silva

    ± 5 dias

    Parabéns para Rita de Cássia. Tão raro termos notícias como essa que nos traz muitas felicidades. Continue cara cientista.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • L

    LEONARDO RIBAS GOMES

    ± 5 dias

    Sensacional. Parabéns Rita. Precisamos de pessoas com curiosidade e vontade. Um exemplo a ser reconhecido, aplaudido e divulgado.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • C

    Celito Medeiros

    ± 5 dias

    Quando jovem eu tinha grande curiosidade sobre os Raios presentes nas chuvas. Minha avó de origem guarani, ficou encantada por eu amar raios e trovões. Para ela era força divina. Eu não vejo raios sem ser em momentos de chuvas e tempestades. Expliquei a atmosfera é rica em Oxigênio, Hidrogênio e Nitrogênio. São todos gênios que se unem em duas partículas de Hidrogênio com uma de Oxigênio formando Água pelo explosivo Nitrogênio e ouvimos o Bum!... Uma força de núcleos de altíssima potência, assim temos duas formas de chuva, da precipitação e a renovável natural pelos raios. Este estudo da profa. doutoranda Rita me fez voltar no tempo!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Marçal

    ± 5 dias

    Dá orgulho ver uma brilhante pesquisadora brasileira ainda em atividade no país. Temos hoje uma debandada de cérebros (matéria de hoje no Estadão) potencializada pela falta de corretas diretrizes governamentais e pelo papel anticientífico q o pr tem. Parabéns a nossa valente pesquisadora.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Marcelo

    ± 5 dias

    Bobagem. Quero saber de cura do covid-19

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    1 Respostas
    • A

      Afonso Celso Frega Beraldi

      ± 5 dias

      Vai pesquisar e apresente o resultado. Ou você não tem conhecimento e estudo pra isso?

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    Jorge Dias

    ± 5 dias

    Isso prova que cotas raciais não são necessárias.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    2 Respostas
    • J

      João Mauricio

      ± 5 dias

      Vc não sabe os "perrengues" que ela passou e teve que aguentar para chegar aonde chegou. E isso não irá facilitar a vida dura dela, por ser mulher e negra.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • R

      RICK

      ± 5 dias

      Trate a exceção como regra.

      Denunciar abuso

      A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

      Qual é o problema nesse comentário?

      Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

      Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    JP

    ± 5 dias

    Parabéns pelo esforço e pelas conquistas!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]