Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
Feira livre em Curitiba
Feiras livres estão liberadas para funcionar durante a quarentena.| Foto: Aniele Nascimento/Arquivo/Gazeta do Povo

Pouco mais de 24 horas depois de anunciar o decreto que colocou sete regionais da saúde em quarentena rigorosa - incluindo a capital Curitiba -, o governo do Paraná decidiu fazer ajustes em parte das medidas anunciadas. O novo decreto, 4951/20, que segundo o poder público atualiza as regras para os municípios, na prática amplia um pouco as permissões.

Em relação ao comércio, passam a ser autorizadas a funcionar nesses 14 dias de duração da quarentena as feiras livres e lojas de conveniência, desde que sem venda de bebida alcoólica. Há mudança ainda no que se refere ao sistema de transporte público. Os ônibus poderão circular respeitando restrições de ocupação: 65% nos horários de pico (das 5 h às 8 h e das 15h30 às 19h30) e 55% nos demais momentos do dia.

RECEBA notícias do Paraná pelo WhatsApp

Na primeira versão das normas elaboradas pelo governo estadual, na terça-feira (30), as feiras livres haviam sido incluídas entre as atividades suspensas. As lojas de conveniência também, pelo texto original, estariam fechadas por duas semanas, com exceção das que ficam nas rodovias.

Durante a tarde desta quarta-feira (1º) Curitiba já havia determinado em decreto municipal que os veículos do transporte coletivo só podem carregar passageiros sentados enquanto durar a quarentena, ou seja, inicialmente por 14 dias. As empresas que desrespeitarem a medida levam multa.

Todas as demais medidas do decreto anterior, 4942/20, seguem vigorando até o dia 15 de julho. Estão incluídas na quarentena as regionais de saúde de Cascavel, Cianorte, Cornélio Procópio, Região Metropolitana de Curitiba, Londrina, Foz do Iguaçu e Toledo. Ao todo, são atingidos 134 municípios do Paraná.

12 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]