Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
  • Ícone FelizÍcone InspiradoÍcone SurpresoÍcone IndiferenteÍcone TristeÍcone Indignado
moda curitibana
As peças do Projeto Zero Um resgatam elementos do passado das designers e trazem inspiração japonesa.| Foto: Divulgação

Sustentáveis, seasonless, funcionais e o melhor de tudo: autorais! Marcas que buscam causar pouco impacto ambiental e que trazem inovações estéticas com mais consciência estão em destaque no cenário da moda. Então, para você ficar por dentro das tendências locais, a Pinó selecionou seis marcas de moda autoral locais que valem a pena conferir.

Reptilia

moda autoral
A Reptilia trabalha com o conceito de slow fashion, que une moda e sustentabilidade. | Divulgação

Desenvolvida desde 2014 por Heloisa Strobel Jorge, a Reptilia investe no conceito slow fashion, que alia design e estética à sustentabilidade, bem como funcionalidade e responsabilidade por toda a cadeia produtiva das roupas. Como resultado, a marca trabalha com matéria-prima brasileira e fornecedores certificados de baixo impacto ambiental.

Os tecidos utilizados são de fibras naturais ou sintéticos com tecnologias voltadas à confortabilidade. Além disso, o design é pensado para uso independente do gênero, com caimento para homens e mulheres de diferentes tamanhos. Nesse sentido, a marca aproxima os consumidores da criação no ateliê, onde todas as peças são produzidas.

“A ideia é mostrar ao público como a gente faz as peças, para que as pessoas entendam o valor, o trabalho e criem uma relação de afeto com a roupa”, destaca Heloisa.

Os valores variam de R$ 68, para alguns acessórios, até peças mais complexas, por R$ 600.

Fash & CO

moda autoral
A criadora da FASH & CO, Mariana Barbosa, ganhou o 2º lugar no Prêmio Empreendedora Curitibana em 2019. | Divulgação

Em 2017, Mariana Barbosa, curitibana formada em Design de Moda e Administração, foi pioneira ao compartilhar no Instagram em tempo real a criação da sua empresa. A ideia era promover ajuda mútua. Assim, lançou a FASH & CO em setembro de 2018: um e-commerce de bolsas e sapatos femininos produzidos em couro.

Desde então, desenha modelos que sejam atemporais, autênticos e com design memorável. Todos os produtos são fabricados em pólos calçadistas no Rio Grande do Sul. Em 2019, ela ganhou o 2º lugar no Prêmio Empreendedora Curitibana. As bolsas custam em torno de R$ 400 e os sapatos R$ 200, em média.

Arbol

moda curitibana
Slow fashion e reasonless: esses são os lemas da ARBOL, criada em 2016.| Divulgação

A ARBOL nasceu durante uma peregrinação da fundadora Lívia Moro no Caminho de Santiago de Compostela. Ali, descobriria algo que mudaria para sempre sua maneira de ver moda: é possível viver melhor com muito menos.

Acima de tudo, isso se tornou a inspiração para a essência da marca de moda autoral. Com o slogan: "ter menos, ser mais", desde 2016 trabalha no formato slow fashion e seasonless – sem estação, na tradução livre.

As coleções-cápsula privilegiam o uso de matérias-primas naturais e nacionais. Além disso, trazem modelagem de alfaiataria clássica com releituras e elementos de estilo criados para serem usuais, práticos e com design consistente, bem como apra transcender estações e tendências. Os preços variam de R$150 para acessórios a R$ 1.500.

Projeto Zero Um

moda curitibana
As peças do Projeto Zero Um resgatam elementos do passado das designers e trazem inspiração japonesa. | Divulgação

Patrícia Hirozawa e Vanessa Gabardo se conheceram na faculdade de moda. Em seguida, decidiram explorar suas vontades criativas e começaram a pensar em uma moda autoral mais consciente e autoral, cujas roupas fossem projetadas a favor de quem veste.

Assim, surgiu o Projeto Zero Um, que produz peças que resgatam elementos do passado das designers. Atualmente, trabalham com uma alfaiataria esportiva, referências do streetwear e da modelagem japonesa. Além disso, as cores, texturas e imagens do dia a dia são potencializadas nos tecidos.

As peças são modeladas e confeccionadas em um ateliê local e os lançamentos acontecem aos poucos, ao longo do ano, com uma grade de tamanho que vai do PP ao XG. Os tecidos utilizados são quase todos de fornecedores nacionais. A variação de preços do Projeto Zero Um fica entre R$ 190 e R$ 430.

Estúdio363

Estúdio363
Também com foco em baixo impacto ambiente, o Estúdio363 | Divulgação

Fundado pela designer Karin Candido, em 2017, o Estúdio363 foi desenvolvido com foco em baixo impacto ambiental, acima de tudo. Em síntese, são peças criativas, descomplicadas e fáceis de usar.

Por outro lado, Karin está por trás da confecção e estamparia manual das peças, inspirada na arte abstrata, bem como em diferentes técnicas – carimbos e desenhos feitos à mão livre, por exemplo. Os principais produtos da marca são camisetas e vestidos, sobretudo à base de algodão orgânico e viscose, produzidos no Brasil, opções pensadas no consumo sustentável. Os valores das peças variam de R$ 89 a R$ 319.

Toró

moda autoral
A Toró é mais uma marca de moda autoral curitibana e oferece peças feitas especialmente para o clima local. | Divulgação

Lançada em 2019, a Toró foi a solução encontrada por Anne Neubauer e Sarah Hartmann para que os dias cinzas e chuvosos não interferissem na rotina. Criada em Curitiba, cidade reconhecida por mudanças climáticas repentinas e chuvas imprevistas, a Toró trabalha com chapéus e bolsas, bem como capas de nylon impermeável. Além disso, tem estilo urbano, cores vibrantes e design atemporal, para que as peças sejam usadas mesmo sem chuva. Dobradas, as capas ficam compactas para facilitar o transporte. As peças custam de R$ 98, os chapéus, a R$ 289, as capas.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros

Máximo de 700 caracteres [0]