i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Infraestrutura

Governo lista as piores rodovias federais do Paraná e diz quais receberão obras

Levantamento indica que 5% estão péssimas e 17% estão ruins. Trechos pedagiados não foram avaliados

  • PorKatia Brembatti
  • 13/10/2018 12:56
Equipes percorreram as rodovias avaliando as condições do pavimento e da sinalização. | Antônio More / Arquivo Gazeta do Povo
Equipes percorreram as rodovias avaliando as condições do pavimento e da sinalização.| Foto: Antônio More / Arquivo Gazeta do Povo

Uma vistoria feita pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) indicou que metade das rodovias federais que cruzam o Paraná e são de responsabilidade da União está em condições consideradas boas. O mesmo levantamento aponta que 5% dos trechos estão péssimos e que a situação é ruim em 17% dos casos. No geral, a nota do Paraná ficou em 7,9 – 13ª colocação entre os estados. Não foram avaliadas as rodovias pedagiadas, seja no Anel de Integração (gerido pelo sistema estadual), seja nas concessões federais.

O levantamento foi feito por equipes do próprio DNIT. O órgão governamental ainda reconheceu que as condições das rodovias pioraram no último ano e a culpa seria do contingenciamento de recursos, que reduziu os gastos em manutenção das estradas. Nos últimos quatro anos, a média do orçamento do Ministério dos Transportes para o setor rodoviário caiu 28%, passando de R$ 9,66 bilhões, entre 2011 e 2014, para R$ 6,97 bilhões, de 2015 a 2018.

No Paraná, os principais problemas estão nas BRs 163, 153, 280, 373, 476 e 487. A ligação entre Guaíra e Barracão, passando por Cascavel, também está na lista feita pela Confederação Nacional dos Transportes (CNT), divulgada no final do ano passado – que apontou o trecho da BR-163 como um dos dez piores do Brasil. A rodovia está em obras há mais de dois anos – entre Cascavel e Marmelândia –, mas avança lentamente. A empreiteira responsável pela duplicação ameaçou interromper o serviço e chegou a demitir funcionários, em agosto, mas o governo pagou parte da dívida e o trabalho foi retomado. A previsão é de que a obra seja concluída em 2019, juntamente com a revitalização do trecho da mesma rodovia, entre Toledo e Marechal Cândido Rondon.

Onde estão previstas obras?

De acordo com a nota enviada pelo DNIT sobre as rodovias em condições péssimas ou ruins, estão previstas obras de recuperação do pavimento e deslizamentos de taludes na BR-476 do Km 0 ao 50, na região de Adrianópolis. Já estaria em andamento a restauração da BR-373, na região de Candói.

Depois de realizado o levantamento sobre as rodovias, teriam sido restaurados alguns quilômetros da BR-153, na região de Ibaiti, e da BR-487, na região de Porto Camargo. Outros pontos do Paraná estariam sendo atendidos por contratos de conservação da pista, mas “devido à restrição orçamentária não é possível executar soluções definitivas (de maior impacto)” em todos os trechos apontados no levantamento.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.