i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
futuro governo

Bolsonaro defende reforma trabalhista mais ampla e idade mínima para se aposentar

Presidente eleito, contudo, não detalhou as mudanças que pretende promover na legislação do trabalho e na Previdência

    • Curitiba e Brasília
    • Da Redação, com Estadão Conteúdo
    • 04/12/2018 18:48
    Bolsonaro: “Ninguém mais quer ser patrão no Brasil, é horrível ser patrão no Brasil com essa legislação que está aí”. | Evaristo Sá/AFP
    Bolsonaro: “Ninguém mais quer ser patrão no Brasil, é horrível ser patrão no Brasil com essa legislação que está aí”.| Foto: Evaristo Sá/AFP

    Em encontro com as bancadas do MDB e do PRB na Câmara nesta terça-feira (4), o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) defendeu a necessidade de promover mudanças mais amplas na legislação do trabalho além das que foram aprovadas pelo governo Temer. Mais tarde, Bolsonaro também falou em instituir uma idade mínima para se aposentar no Brasil.

    “A reforma trabalhista, devemos aprofundar isso aí. Ninguém mais quer ser patrão no Brasil, é horrível ser patrão no Brasil com essa legislação que está aí”, disse Bolsonaro no encontro com os deputados. Bolsonaro não detalhou que medidas pretende propor para ampliar a reforma trabalhista. Mas fez um apelo às bancadas do MDB e do PRB para “jogarem” juntos com o novo governo na votação dessa proposta e também na reforma da Previdência.

    Fique por dentro: Tudo o que você precisa saber sobre a reforma trabalhista de Temer

    Durante a reunião com os parlamentares, o presidente eleito também não detalhou as mudanças que pretende propor ao sistema de aposentadorias. Mas, posteriormente, em entrevista coletiva à imprensa falou que pode “fatiar” essa reforma, enviando ao Congresso apenas alterações parciais.

    “É bastante forte a tendência de começar pela idade [mínima para se aposentar]. É menos difícil”, disse Bolsonaro. “A minha proposta é aumentar dois anos para todo mundo.” Por meio dessa proposta, seria mantida a diferença de idade para aposentadoria de homens e mulheres.

    Leia mais: Time de Bolsonaro estuda proibir aposentadoria integral de servidor antes dos 65 anos

    Bolsonaro, contudo, não explicou mais sobre sua proposta. Hoje, tecnicamente não há uma idade mínima de aposentadoria – o que vem sendo proposto pelo governo Temer (seriam 62 anos para mulheres e 65 anos para homens). O que existe atualmente é a fórmula 85/95, segundo a qual a trabalhadora mulher pode se aposentar quando a soma de sua idade com do tempo de contribuição ao INSS somar 85; e o trabalhador homem, quando somar 95. Hoje, o tempo mínimo de contribuição é de 35 anos para homens e 30 para mulheres.

    Bolsonaro reclama das licenças ambientais e pede que deputados “joguem junto” com ele

    Na conversa com os deputados, Bolsonaro voltou a reclamar da demora nas licenças ambientais de obras de infraestrutura. O presidente eleito informou que o ministro do Meio Ambiente, “por coincidência ou não”, será o último a ser escolhido entre os 22 de seu ministério. “Temos de começar a trabalhar”, disse. “Quando se fala da questão ambiental, é muita coisa em jogo no Brasil: clima, demarcação de terras indígenas, questão dos quilombolas”, ressaltou. “No Brasil há demora em conceder uma licença, seja obra de infra, de porto, de aeroporto, linha férrea”, completou. “Atrasa demais a nossa vida e nós não temos mais tempo a perder.”

    Leia também: MDB sinaliza que vai apoiar o governo Bolsonaro

    Bolsonaro sugeriu que, se o Legislativo atuar em parceria com o governo, os parlamentares poderão usufruir da mesma popularidade que ele. “A única coisa que posso garantir é que somos diferentes dos demais, e isso fez a diferença [nas eleições]. Foi dado o recado e gostaria que todos fossem tratados como eu sou quando saio nas ruas”, ressaltou.

    O presidente eleito também chegou a fazer um apelo para evitar a “tristeza” de uma possível volta do PT ao poder. “Se tudo der errado, os senhores sabem quem voltará depois de mim, vai ser muito triste para o Brasil, apesar dos pesares”, afirmou. “É um apelo, uma palavra de amizade: vamos jogar juntos.” Em seguida, Bolsonaro voltou a pedir apoio da bancada do MDB em especial para votações de mudanças na legislação do trabalho.

    Bolsonaro prometeu que “todos” os ministros irão conversar com os parlamentares. “Não vai existir um só pleito de parlamentar que não seja possível ser atendido, que não será atendido. Todos serão atendidos”, disse. “Nós temos a obrigação, entendo dessa forma, de mudar o destino do Brasil.”

    Saiba mais: Saiba por que Bolsonaro decidiu conversar com os partidos

    Na tentativa de aparar arestas e se aproximar do MDB, Bolsonaro propôs um “entendimento”. “Não vai ser uma pessoa que vai mudar o destino da nossa nação, é um grupo de pessoas e grande parte deste grupo está presente aqui”, afirmou.

    Bolsonaro defende parceria com os EUA

    O presidente eleito destacou ainda que busca estreitar as relações comerciais com os Estados Unidos. “Vamos aprofundar o relacionamento”, disse. “Podemos ter uma grande parceria pela frente”, completou. “Havia uma certa tradição de não termos simpatia com os americanos”, afirmou, numa crítica a governos passados.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.