Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
 | Fabiane Ferreira
| Foto: Fabiane Ferreira

Mensagem atribuída a caminhoneiros que circula pela internet e em grupos de WhatsApp afirma que a categoria vai exigir a renúncia do presidente da República, Michel Temer, e dos presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Eunício Oliveira (MDB-CE), e defender eleições antecipadas caso as demandas dos grevistas não sejam atendidas.

O texto cita “reivindicações da categoria” que vão muito além da redução do preço do diesel – o pedido mais urgente dos caminhoneiros. Entre os pedidos a serem atendidos, a nota destaca redução no preço dos pedágios e renegociação das dívidas dos caminhoneiros.

Leia também: Governo cogita força policial para retirar caminhoneiros de rodovias

A mensagem fala ainda em radicalizar o movimento se o governo não atender ao pleito dos motoristas de carga, estabelecendo até a próxima segunda-feira (28) como prazo-limite para isso.

Isso tudo, porém, parece mais uma fake news plantada por interessados em acirrar os ânimos dos caminhoneiros. A autoria da mensagem não é reconhecida por entidades que lideram a paralisação e as negociações com o governo. A greve da categoria já dura quatro dia e causa uma grave crise de abastecimento no país.

A Associação Brasileira de Caminhoneiros (ABCAM), que convocou a greve nacional, nega qualquer participação na elaboração do texto. A entidade afirma representar cerca de 700 mil caminhoneiros, 600 sindicatos e sete federações.

Leia também: Isso é hora? Temer deixa Brasília em meio à crise com caminhoneiros

A Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA), outra entidade de classe que participa das negociações, também negou a autoria da nota. E destacou que a reunião em Brasília, na qual o governo tenta chegar a um acordo com os grevistas, nem sequer havia acabado às 19 horas desta quinta-feira (24) – o encontro já dura cinco horas.

Leia abaixo a íntegra da nota que está circulando:

Pauta dos caminhoneiros:

Para evitar as mentiras da imprensa, segue abaixo a pauta dos caminhoneiros:

A) Frete mínimo nacional.

B) Corte total do Imposto PIS/CONFINS sobre o diesel e Gasolina.

C) redução dos pedágios para caminhoneiros.

D) Fim da CIDE ( Parcialmente cumprido pelo governo)

E) Renegociação das dividas dos caminhoneiros.

F) Estradas em bom estado.

Essa é nossa pauta e o governo nada fez, apenas cortou a CIDE, porém não são 3 centavos que vai (sic) fazer o movimento parar.

O prazo para o governo atender nossas reivindicações é até segunda feira, dia 28, mas com caminhoneiros paralisando vias de acessos. A partir do dia 29 iremos radicalizar e paralisar ainda mais o governo. A partir de terça, caso todas as pautas não sejam atendidas iremos:

1) bloquear totalmente todas as estradas federais, deixando apenas veículos de polícias, ambulâncias e bombeiros passararem.

2) Paralisação total dos portos e aeroportos.

E nova pauta a ser incluída além das pautas de A a F, vamos incluir:

G) renúncia do presidente.

H) renúncia dos presidentes do senado e Câmara.

I) Eleições antecipadas.

Quem quebrou a economia do país foi o roubo de vocês políticos. Acabou a brincadeira. O prazo está dado e o relógio correndo. Vocês políticos quando querem desviar recursos, aprovam até leis, por que não agora, aprovam leis para benefício do povo?

Cadê o povo brasileiro pra apoiar os caminhoneiros, o gigante não havia acordado? Cadê os agricultores com suas máquinas na pista ou não usam óleo diesel? Cadê os professores, médicos, polícia, cadê o povo brasileiro pra se unir e lutar pelo Brasil ? Não é só o caminhão que pede socorro, mas sim a população brasileira! Acorda povo, vamos pra rua, tem que ser agora ou estaremos todos ferrados !!!

Faça a sua parte, ajude ao menos a compartilhar essa mensagem! Mostre a sua indignação!

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]