i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Central sindical

Mourão recebe a CUT e ouve críticas sobre reforma da Previdência

Para sindicato ligado ao PT, regime de capitalização será prejudicial para a classe trabalhadora. Vice-presidente sugeriu que o debate deve ser feito no Congresso Nacional

    • Brasília
    • Estadão Conteúdo
    • 07/02/2019 13:55
     | Romério Cunha/ VPR
    | Foto: Romério Cunha/ VPR

    Após ser recebido pelo vice-presidente da República, Hamilton Mourão, no Palácio do Planalto, o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vagner Freitas, afirmou que vai realizar uma assembleia nacional, no próximo dia 20, a fim de organizar os trabalhadores para a “resistência” da reforma da Previdência. Ele considera que o texto preliminar da proposta divulgado pela imprensa nesta semana retira direitos.

    Em novembro, durante ato a favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Freitas disse que o presidente Jair Bolsonaro foi eleito com menos de 30% dos votos do povo brasileiro e que a CUT não o reconhecia como presidente da República. Um mês depois, voltou atrás e disse que Bolsonaro foi eleito por 57 milhões de pessoas e que a CUT iria procurar o governo para negociar os interesses dos trabalhadores.

    LEIA TAMBÉM: Gleisi diz que nova condenação ocorre quando cresce chance de Lula ser Nobel da Paz

    Nesta quinta-feira (7), segundo o presidente da CUT, Mourão evitou entrar no mérito dos termos da reforma da Previdência e sugeriu que o debate deve ser feito no Congresso Nacional. A reunião foi solicitada pela CUT e pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC quando Mourão estava interinamente na Presidência da República, mas acabou adiada para esta semana.

    “Viemos perguntar qual é, de fato, a proposta do governo. Toda vez tem uma notícia diferente. Se a proposta é de capitalização, não temos concordância sobre isso. E, se é essa a proposta, tem que ser levada para ser discutida com a sociedade”, disse o presidente da CUT.

    LEIA TAMBÉM: Governo estuda reduzir INSS de quem ganha pouco e aumentar na renda maior

    Para Freitas, o regime de capitalização favorece o capital financeiro nacional e internacional e impede que o trabalhador receba aposentadoria e benefícios de assistência social. “Da forma que está sendo colocada (a reforma), retira direitos.”

    A capitalização é uma espécie de poupança que o trabalhador faz para garantir a aposentadoria no futuro, na qual o dinheiro é investido individualmente. O modelo atual é o de repartição, no qual quem contribui paga os benefícios de quem já está aposentado.

    Freitas também disse que não concorda com a ideia da carteira de trabalho verde e amarela, proposta pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. “Uma coisa é emprego, outra é bico, não vamos confundir”, criticou.

    Deixe sua opinião
    Use este espaço apenas para a comunicação de erros
    Máximo de 700 caracteres [0]

    Receba Nossas Notícias

    Receba nossas newsletters

    Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

    Receba nossas notícias no celular

    WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.