i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
política externa

PT repudia decisão do governo Bolsonaro de não reconhecer mandato de Maduro

Na semana passada, os representantes do Grupo de Lima, incluindo o Brasil, assinaram uma declaração não reconhecendo a legitimidade do governo Maduro

  • PorDa Redação
  • 07/01/2019 14:03
 | NELSON ALMEIDA/AFP
| Foto: NELSON ALMEIDA/AFP

O Partido dos Trabalhadores (PT) emitiu uma nota repudiando a decisão do governo brasileiro de não reconhecer o novo mandato de Nicolás Maduro como presidente da Venezuela e de apoiar a agenda política do presidente americano Donald Trump em relação ao país sul-americano. Na semana passada, os representantes do Grupo de Lima, incluindo o Brasil, assinaram uma declaração não reconhecendo a legitimidade do novo mandato de Maduro, que começa oficialmente na próxima quinta-feira (10).

LEIA TAMBÉM: Juiz do Supremo venezuelano, que ajudou a retirar poderes da AN, foge para os EUA

“A decisão do novo governo brasileiro de apoiar a recente declaração do Grupo de Lima, que não reconhece o mandato do presidente Maduro e incita a realização de um golpe de Estado na Venezuela, contraria as mais altas tradições da diplomacia do Brasil, que, atendendo aos princípios constitucionais da não-intervenção e da solução pacífica das controvérsias, sempre apostou no diálogo e na negociação como únicas formas de resolver o conflito interno daquele país irmão”, diz a nota do PT.

SAIBA MAIS: Assembleia Nacional da Venezuela declara ilegitimidade de Maduro

Para o partido, o Brasil seguiu a uma agenda política defendida por Trump, que tenta “desestabilizar o governo eleito daquele país (Venezuela) e acirrar seu conflito interno”. Na nota, o PT diz que a decisão demonstra que o Brasil não tem política externa autônoma e adverte que a decisão deve “agravar o conflito interno da Venezuela, fragilizar a integração da América Latina, apequenar o Brasil e, muito provavelmente, ocasionar grave instabilidade em toda a nossa região”.

A nota é assinada por Gleisi Hoffmann, presidente do PT, e por Lindbergh Farias e Paulo Pimenta, respectivamente, líderes do partido no Senado e na Câmara.

O que decidiu o Grupo de Lima

Dos 13 integrantes do Grupo de Lima, somente o México não assinou o documento que não reconhece Nicolás Maduro como presidente da Venezuela. O Brasil, já representado pelo novo chanceler, Ernesto Araújo, assinou o documento.

LEIA TAMBÉM: Novo chanceler acumula duas vitórias e muitas dúvidas em início de gestão

O grupo afirma que o mandato de Maduro foi conseguido através de uma eleição ilegítima. “O processo eleitoral realizado na Venezuela em 20 de maio de 2018 carece de legitimidade por não haver contado com a participação de todos os atores políticos venezuelanos, nem com a presença de observadores internacionais independentes, nem com garantias e padrões necessários a um processo livre, justo e transparente”, diz o comunicado oficial do grupo.

No documento, o grupo pediu que o mandatário venezuelano não assuma o mandato e transfira o poder para a Assembleia Nacional até a realização de eleições livre. O grupo, porém, rejeitou a ideia de uma intervenção internacional.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.