i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
SOCORRO

Como Bolsonaro vai estimular estados em crise a privatizar estatais

  • PorJéssica Sant'Ana
  • Brasília
  • 18/04/2019 11:55
Presidente Jair Bolsonaro assiste apresentação de cantata de Páscoa O presidente Jair Bolsonaro, acompanhado da primeira-dama Michelle Bolsonaro, assiste a uma apresentação de cantata de Páscoa, no Palácio do Planalto.
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr| Foto: Agência Brasil

Dentro das estratégias que estão sendo traçadas para ajudar na recuperação dos estados em crise financeira, o governo de Jair Bolsonaro vai estimulá-los estados a privatizar suas estatais.

A ideia é que os estados entreguem ao BNDES uma lista do que querem vender e que o banco público cuide de toda a estruturação e modelagem da venda. Em troca, os estados teriam parte dos recursos esperados com a privatização antecipados. A forma como essa antecipação será feita está em estudo, mas deve ser via o próprio BNDES ou através de captação no mercado financeiro, usando garantias da União.

O estímulo à privatização fará parte do Programa de Equilíbrio Fiscal (PEF), um plano B para salvar os estados em colapso financeiro, conforme noticiou a Gazeta do Povo em fevereiro. O programa será destinado aos estados considerados sem capacidade de pagamento e que, por isso, levam notas baixas (C e D) na avaliação do Tesouro. Hoje, esses estados não podem pegar empréstimos usando a União como garantia.

Os estados que quiserem aderir ao programa terão de apresentar um plano de ajuste fiscal. Esse plano terá de atender a uma série de requisitos, como a garantia de que não se dará reajuste salarial ao funcionalismo público. Se o plano for aprovado, os estados com notas C e D poderão contrair empréstimos em bancos públicos e privados usando garantias da União. Financiamentos com garantias da União têm taxas mais baixas de juros.

O Tesouro ainda está estudando se também concederá empréstimo diretamente aos estados. A princípio, a captação será somente via bancos.

O estímulo à privatização

A inclusão de uma lista de privatizações dentro do plano de ajuste fiscal do estado será opcional, segundo o secretário do Tesouro, Mansueto Almeida. Mas o estado que quiser vender seus ativos poderá pegar empréstimos maiores usando a União como garantia, em uma forma de antecipação do recurso da venda esperada.

“Os estados que quiserem privatizar empresas terão direitos a limites maiores de empréstimos. É um incentivo, não uma obrigação”, afirmou Mansueto em coletiva do Tesouro no fim de março.

Também está em estudo pelo governo que a antecipação de parte dos recursos esperados com a privatização seja financiada pelo próprio BNDES, já que, ao decidir privatizar alguma estatal, o estado daria uma outorga ao banco para que ele cuide de todo o processo de modelagem da venda. Isso inclui avaliação do ativo e edital de leilão. Esses ativos serviriam de garantia para que o BNDES possa emprestar dinheiro para os estados.

A ideia do governo é ajudar a enxugar a estrutura dos estados e, ao mesmo tempo, facilitar o acesso a dinheiro para que os governos estaduais em dificuldades financeiras possam reequilibrar seus caixas.

“Eles [governo federal] estão olhando os estados e estão vendo as dificuldades que alguns têm com relação ao caixa. O governo federal não quer simplesmente fazer ajuda financeira. Ele pensa o seguinte: se os estados têm ativos financeiros de alto valor, mas que não estão dando a devida rentabilidade, a ideia é que esses estados possam fazer a venda dessas estatais, desses ativos, com o BNDES fazendo a estruturação dessa venda”, explica o secretário do Planejamento do Paraná, Valdemar Bernardo Jorge.

Ele completa que o grande conceito em discussão pelo governo federal é “qual o tamanho do Estado?”. “Existe um entendimento de que existe excesso de governo e que será necessário ir administrando o tamanho do Estado, para que um Estado mais leve possa focar no atendimento à saúde, educação e segurança. E, às vezes, esses estados não conseguem investir em saúde, segurança e educação porque têm um peso carregado por estatais que poderiam ser eventualmente melhor tocadas pela iniciativa privada.”

O governo do Paraná ainda avalia se apresentará ativos para que o BNDES faça a venda. O estado tem nota B na avaliação do Tesouro, ou seja, tem capacidade de pagamento e não seria o foco do Programa de Equilíbrio Fiscal (PEF).

O PEF deve ser enviado pelo governo federal ao Congresso neste mês.

10 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 10 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.

  • M

    Moreira Filho

    ± 21 horas

    #privatizatudo

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • C

    claudio luiz da cunha

    ± 23 horas

    Não se envolvendo com milicianos que é a expertise dele.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • G

    GILDAMIR ESPINOSO WARDE

    ± 24 horas

    RENUNCIANDO!!!

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • N

    NIVEA

    ± 1 dias

    por favor presidente, para de fazer mais do mesmo, precisamos de progresso e desenvolvimento. não tá fácil não.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • L

    Leandro Guimarães Faria Corcete DUTRA

    ± 1 dias

    O melhor incentivo é o exemplo: Petrobrás, Caixa, Banco, Correios…

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • J

    J A Schmidt

    ± 1 dias

    Privatiza tudo O estado não tem capacidade de produzir, fornecer nada, tem de ficar na fiscalização e suprir, segurança, educação e saúde.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • F

    Freitas

    ± 1 dias

    É só dar exemplos. Privatizem os Correios, a Eletrobrás, não há necessidades de bancos comerciais estatais, revejam as concessões às margens das rodovias federais, vendam imóveis ociosos, etc. e tal. Mas, têm que dar o devido exemplo.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • A

    Ana D Rosa

    ± 1 dias

    Ótima a ideia! Resolve ou atenua diversos problemas de uma vez só: reduz o tamanho dos estados obesos, ajuda com os problemas financeiros, permite o foco nas questões relevantes, como segurança, saúde e educação. Torço para que dê certo - porque sempre que alguém tem uma boa ideia neste País, surge uma corja para colocar obstáculos.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • M

    Maria Red

    ± 1 dias

    O governo federal somente deve dar dinheiro depois de privatizado. Não dá pra confiar cegamente nos governadores, assembleias legislativas e Judiciário. A cultura de desinchar o Estado, não é arraigada nem nos políticos, nem nos burocratas togados.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]

  • R

    Ricardo Fanti

    ± 1 dias

    Simples: só mostrar que sustentar empresas não é tarefa do Estado. Privatizando, bem, não como fizeram com as rodovias do Paraná, só há vantagens: mais recursos, menos frentes de corrupção.

    Denunciar abuso

    A sua denúncia nos ajuda a melhorar a comunidade.

    Qual é o problema nesse comentário?

    Obrigado! Um moderador da comunidade foi avisado sobre a denúncia. Iremos avaliar se existe alguma violação aos Termos de Uso e tomar as medidas necessárias.

    Confira os Termos de Uso

    • Máximo 700 caracteres [0]