• 21/10/2020 11:48
Explicação do ministério

Vacina “chinesa”: governo admite possibilidade de compra, mas só de doses feitas no Brasil

  • 21/10/2020 11:48
  • PorGazeta do Povo
    Ministério da Saúde explica a compra da vacina chinesa
    Elcio Franco, secretário-executivo do Ministério da Saúde, durante pronunciamento em que explicou a compra da vacina chinesa.| Foto: Tv Brasil/Reprodução

    O secretário-executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, disse nesta quarta-feira (21) que o governo federal não vai comprar a vacina coronavac da China, mas que poderá vir a adquirir doses desse mesmo imunizante, de tecnologia chinesa, produzidas no Brasil pelo Instituto Butantan. "Não há intenção de compra de vacinas chinesas", disse Franco. Mas ele complementou que, se a coronavac produzida no Butantan se mostrar segura e eficaz, o governo poderá comprar essa "vacina brasileira" para imunizar a população. O instituto, ligado ao governo de São Paulo, tem uma parceria com a China para a produção da vacina.

    Franco também alfinetou o governador de São Paulo, João Doria, em seu pronunciamento: "Não houve qualquer compromisso com o governo do estado de São Paulo ou seu governador no sentido de aquisição de vacinas contra a Covid-19. Tratou-se de um protocolo de intenção entre o Ministério da Saúde e o Instituto Butantan, sem caráter vinculante [para a compra]".

    As declarações dele foram dadas após o presidente Jair Bolsonaro afirmar que o Brasil não comprará a vacina chinesa.

    Tudo sobre:

    Comentários [ 0 ]

    Máximo 700 caracteres [0]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.