Crla Zambelli
Deputada federal Carla Zambelli| Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

As capturas de telas de WhatsApp das conversas de Sergio Moro com o presidente Jair Bolsonaro e com a deputada federal Carla Zambelli (PSL), divulgados pelo Jornal Nacional na noite de sexta-feira (24), viraram assunto na internet, com direito a chuva de memes, mas repercutiram pouco entre políticos e fontes oficiais que, embora estivessem comentando o caos político instalado a partir do rompimento Moro-Bolsonaro, optaram por não comentar sobre a publicação das trocas de mensagens.

Uma das poucas a se posicionar foi a própria Carla Zambelli, em vídeo no Facebook. Ela lamentou a divulgação da conversa, o que chamou de “extremamente maligno”, disse que estava magoada, que não esperava esse tipo de atitude vinda do ministro, o que considerou uma “trairagem”. A deputada federal ainda fez questão de explicar o contexto da conversa e, principalmente, o momento em que Moro responde que não está à venda. Segundo ela, a divulgação parcial da troca de mensagens fez parecer que ela estava tentando compra-lo – o que nega.

Em nota, o líder do PSDB na Câmara dos Deputados o deputado Carlos Sampaio afirmou: “Em seu pronunciamento, o presidente Jair Bolsonaro mais atacou Sérgio Moro do que prestou esclarecimentos sobre os fatos graves a ele imputados pelo ex-ministro da Justiça. A gravidade se eleva com a apresentação por Moro ao Jornal Nacional de mensagens em que o presidente cobra mudanças na Polícia Federal. Por essa razão e para que se tenha clareza sobre a ocorrência ou não de crimes de responsabilidade ou crimes comuns por parte do presidente da República, o PSDB já encaminhou ao protocolo do Congresso Nacional um requerimento para instalação de uma CPMI (Comissão Parlamentar de Inquérito Mista). Esse é o caminho mais adequado para que respostas rápidas e convincentes sejam dadas ao país, num momento de grave turbulência econômica e social.”

O deputado federal Alexandre Frota, que questionou a desafeta Carla Zambelli, divulgou prints mostrando mensagens idênticas de defesa ao presidente, como alegação de que robôs estão agindo para condicionar a internet, e retuitou uma mensagem do Movimento Brasil Livre (MBL), que mostra divulgação de conversas do ex-ministro Santa Cruz. Para Frota, o grupo de Bolsonaro está recebendo na mesma moeda.

O deputado estadual por São Paulo, Arthur do Val, conhecido como Mamãe Falei, comentou os prints divulgados por Moro, principalmente destacando a mensagem em que Jair Bolsonaro destaca que a abertura de investigação contra parlamentares aliados seria mais um motivo para trocar comandos da Polícia Federal.

Para o deputado federal Paulo Eduardo Martins, a questão está focada na desconfiança geral causada pela possibilidade de alguém divulgar uma conversa privada a qualquer momento.

O senador Alvaro Dias, ferrenho defensor de Moro, também usou o twitter para destacar que a divulgação dos prints prova os argumentos apresentados pelo ex-ministro.

Sobre os prints mostrados por Moro, passadas mais de 12 horas da divulgação, nem Bolsonaro nem os filhos dele divulgaram qualquer comentário nas redes sociais.

17 COMENTÁRIOSDeixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]