O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) pretende baixar, em no máximo 60 dias, novas regras para os concursos de juiz em todo o país. Encarregado de definir o planejamento do Judiciário, o CNJ aprovará uma resolução fixando critérios para os exames de acesso à carreira, que hoje é uma das mais bem remuneradas do serviço público. Um juiz federal, por exemplo, começa a trabalhar já recebendo um salário de cerca de R$ 19 mil.

"Consideramos que o sistema atual de recrutamento de juízes para ingresso em toda a magistratura é inadequado", afirmou o conselheiro do CNJ João Oreste Dalazen. "Hoje, os 66 tribunais brasileiros que realizam concurso para selecionar juízes têm distintos procedimentos e critérios", disse.

A partir de segunda-feira, o CNJ vai disponibilizar em sua página na Internet (www.cnj.jus. br) o texto com as mudanças propostas para os concursos. Sugestões serão recebidas até o dia 7 de abril. O conselho já definiu algumas das modificações.

O concurso será realizado em seis fases, que incluem avaliações escrita e oral, exames de sanidade física e mental e psicotécnico, sindicância sobre a vida social do candidato, análise dos títulos acumulados e frequência obrigatória em curso de preparação .

Uma das principais mudanças será cobrar do candidato, além da bagagem jurídica, formação humanística e conhecimentos em administração, pois o juiz terá de gerir a própria vara e, no futuro, poderá ser chamado para presidir um tribunal.

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]