Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

PUBLICIDADE
  1. Home
  2. Vida Pública
  3. Curitiba foi pioneira na campanha

Memória

Curitiba foi pioneira na campanha

Primeiro grande comício das Diretas foi realizado na capital paranaense em 12 de janeiro de 1984. Apesar da convocação “amadora”, população lotou a Boca Maldita

  • Caroline Olinda
Vista da Boca Maldita, no dia do comício: descrição do número de participantes varia de 10 mil a 60 mil, dependendo do relato |
Vista da Boca Maldita, no dia do comício: descrição do número de participantes varia de 10 mil a 60 mil, dependendo do relato
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

Curitiba foi pioneira na campanha

Curitiba foi palco, em 12 de janeiro de 1984, do primeiro grande comício em todo o país da campanha Diretas Já. “Foi um acontecimento marcante. Nós lotamos a Boca Maldita com uma convocação bastante amadora. Dissemos que íamos fazer, distribuímos alguns panfletos e só”, lembra o advogado e ex-deputado estadual e federal Nilson Sguarezi. “Mesmo assim, o povo compareceu. E vieram porque a causa era boa. Havia, no mínimo, 30 mil pessoas na Boca”, diz ele.

O líder da organização do comício em Curitiba foi o senador Alvaro Dias (PSDB-PR), que na época era presidente do PMDB estadual. “O dr. Ulysses Guimarães queria que alguém organizasse o primeiro grande comício pela eleição direta. Eu, como presidente do partido no Paraná, me dispus a organizar o evento em Curitiba”, afirma Alvaro. “Organizamos o comício em 12 dias e o resultado surpreendeu. Conseguimos reunir 60 mil pessoas na Boca Maldita.”

As lembranças do advogado Luiz Haj Mussi sobre o evento são de um número mais modesto que os de Dias e Sguarezi. “Acredito que conseguimos reunir entre 10 mil e 15 mil pessoas. Da Voluntários da Pátria até a Ébano Pereira, estava tudo lotado”, conta Mussi, que era secretário de Segurança do Paraná na época e foi o responsável por manter a ordem do evento. “Sabíamos que corríamos um risco muito grande. Além de sermos pioneiros, ainda havia um clima de medo e de angústia, sem saber o que podia acontecer. Mas correu tudo bem, tranquilamente.”

Dúvidas

Como Curitiba foi pioneira na campanha pelo voto direto para presidente, até mesmo políticos de oposição não acreditavam que o comício teria sucesso. O governador do Paraná na época, José Richa, membro do PMDB, partido que levantou a campanha das Diretas Já, era um dos descrentes, segundo relato de Alvaro Dias. “O Richa nos desaconselhou porque não havia uma tradição na cidade de grandes comícios e por ser um período de férias, em que muita gente estava na praia. Mesmo assim, eu assumi a responsabilidade”, diz o senador.

“Combinei com o Richa que ligaria a ele para dizer como estava o evento. Dependendo do número de pessoas, ele apareceria. Então eu liguei para o Richa do Hotel Del Rey (localizado na Boca Maldita) e disse: ‘A Polícia Militar conta que há 60 mil pessoas aqui’ e ele respondeu: ‘Você está brincando!’ Então, o Richa apareceu lá, subiu ao palanque e discursou. Nunca se viu tanta gente na Boca Maldita como naquele dia”, lembra Alvaro.

O senador conta ainda que o pioneirismo de Curitiba não ficou apenas na realização do primeiro grande comício das Diretas Já. Também foi a partir do evento de Curitiba que o locutor Osmar Santos passou a ser o apresentador oficial do movimento – o que ajudou a atrair artistas para a campanha. “Eu tive a ideia de chamar o Osmar Santos no dia que o vi narrando a corrida de São Silvestre. Sabia que o locutor dos comícios tinha de ser alguém que tivesse jogo de cintura como ele. Apostei nisso aqui em Curitiba e o Osmar acabou indo a todos os outros comícios.”

8 recomendações para você

deixe sua opinião

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE