Seu app Gazeta do Povo está desatualizado.

ATUALIZAR

Caro usuário, por favor clique aqui e refaça seu login para aproveitar uma navegação ainda melhor em nosso portal. FECHAR
PUBLICIDADE

fraude na receita estadual

Publicano tem última semana de audiências de instrução

Nova leva de depoimentos que segue até sexta-feira (15) antecede fase final do processo

  • LONDRINA
  • Fábio Silveira, especial para a Gazeta do Povo
Auditor fiscal Márcio de Albuquerque Lima será ouvido nesta segunda (11) | Roberto Custodio/Gazeta do Povo
Auditor fiscal Márcio de Albuquerque Lima será ouvido nesta segunda (11) Roberto Custodio/Gazeta do Povo
 
0 COMENTE! [0]
TOPO

A última semana de audiências de instrução da ação penal da primeira fase da Operação Publicano começa nessa segunda-feira (11), com os interrogatórios dos réus que não firmaram acordos de delação premiada. Para hoje, as “atrações” são o policial civil André Luís Santelli e o auditor fiscal Márcio de Albuquerque Lima. Na Operação Publicano, o Gaeco investiga a denúncia de que auditores fiscais, empresários e contadores teriam formado uma “organização criminosa” para facilitar a sonegação fiscal mediante o pagamento de propinas. As denúncias levaram a Receita Estadual a revisar fiscalizações feitas pelos acusados e até agora essa revisão resultou em mais de R$ 900 milhões de cobrança junto a empresas, somando imposto sonegado, multas e juros.

Santelli é policial civil e, segundo a denúncia apresentada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), teria tentado cooptar um policial do órgão para obter informações privilegiadas a respeito de investigações em curso relacionadas à Receita Estadual e a auditores. Lima é apontado pelo auditor fiscal Luiz Antônio de Souza, o principal delator, como um dos principais operadores das supostas irregularidades. Ele chegou ao cargo de Inspetor Geral de Fiscalização (IGF) durante o primeiro mandato do governador Beto Richa (PSDB), com quem participava de corridas de automobilismo. Até o momento, Lima se manteve em silêncio durante todos os depoimentos que prestou.

A reportagem não localizou o advogado que defende Santelli. Já Douglas Maranhão, que defende Lima, manteve a postura adotada desde o primeiro momento: só vai se manifestar publicamente quando o processo acabar.

Até a semana passada foram ouvidos réus que firmaram acordos de delação premiada com o Gaeco, no decorrer das investigações. Nesta semana serão interrogados os réus que não colaboraram com as investigações. Entre eles estão auditores fiscais, contadores e empresários acusados de envolvimento com as irregularidades. As audiências de instrução começaram em fevereiro, com as testemunhas de defesa e de acusação. Deram uma parada no começo de março, depois do interrogatório de Souza e foram retomadas na semana passada. As audiências de instrução vão até sexta-feira. Passada essa fase, o processo entra na reta final.

o que você achou?

deixe sua opinião

PUBLICIDADE

mais lidas de Vida Pública

PUBLICIDADE