Conheça 5 aquários incríveis de moradores de Curitiba

Montar um belo aquário requer paciência, dedicação e investimento. Conheça histórias de quem é apaixonado pela atividade

Ter um belo aquário em casa é um trabalho árduo e que precisa de muita dedicação desses amantes da natureza e da beleza aquáticas. Da montagem até a compra dos peixes e plantas, com especial atenção para a limpeza e alimentação dos animais, este hobby requer paciência, dedicação e investimento. Conheça alguns aquários de Curitiba de quem se dedica à atividade, indicados para o Viver Bem pela Aquabetta e Nigrans Peixes e Aquarismo.

 Um amor que veio da infância

O biólogo Dimitri Wilberg é apaixonado por animais desde criança. Quando tinha 15 anos teve seu primeiro aquário. Naquela época ainda nem se falava em colocar plantas reais com os peixes para enriquecer o ambiente. Hoje, o biólogo possui um aquário de 473 litros.

Ele foi montado em fevereiro deste ano e é habitat para os peixes de água doce acará-disco, trichogaster-leeri, colisa-azul, kribensis, rasbora-arlequim, mato-grosso, foguinho, tetra-glowlight, rodóstomo, neon-negro, neon-cardinal, neon-innesi, peixe-limpa-vidros e cobrinha-kuhli.

Dimitri com seu aquário. Foto: André Rodrigues/Gazeta do Povo

Dimitri com seu aquário. Foto: André Rodrigues/Gazeta do Povo

Dimitri

Exclusividade para o acará-disco

O empresário Fábio Barbosa desde 2002 tem um aquário de água doce de 360 litros, onde vivem exemplares de acará-disco blue diamond, acará-disco golden sunrise e cascudo. Fábio teve seu primeiro aquário na adolescência, porém bem menor que este.

Ele também possui outro menor, de 156 litros, onde faz criação de acará-disco. Neste, o cuidado com limpeza é intensificado, pois costuma sujar com mais rapidez.

Fábio possui dois aquários. Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo

Fábio possui dois aquários. Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo

AQUÁRIO

Nunca é demais

Até sete anos atrás, o servidor público Fernando Guimarães tinha seis aquários marinhos interligados. Cada um representava uma região do mar, em uma recriação dos microssistemas marinhos. Mas, depois que a família aumentou, foi necessário reformar a casa e dar adeus ao seu grande projeto. Hoje, Fernando tem um aquário grande de água doce, com capacidade de 8,5 mil litros. Ele é externo e embelezado por uma cascata e diversas plantas. Os peixes criados são de origem amazônica e africana, entre eles estão raias, cascudos, lambaris e pintados. No total são 30 espécies, contando com peixes que auxiliam na limpeza do local, além de filtros e algas que também contribuem para esta tarefa.

O aquário marinho que ele tem atualmente possui capacidade de dois mil litros e abriga exemplares de peixe-palhaço, cirurgião-amarelo, cirurgião-zebra, camarão e mais onze espécies. O servidor já foi instrutor de mergulho e ensinou biologia marinha para os mergulhadores. Esse amor pela água nasceu na adolescência. Aos 15 anos foi para Miami e a maioria das fotos que tirou foi dos aquários de lá. São mais de duas décadas de dedicação ao tema.

Fernando Guimarães, juiz, tem vários aquários pela casa. Foto: Marcelo Andrade/Gazeta do Povo

Fernando Guimarães tem um aquário de dois mil litros, com diversos exemplares de peixes. Foto: Marcelo Andrade/Gazeta do Povo

 

Fernando tem vários aquários pela casa: um pequeno de água doce e um maior com água salgada.

Fernando tem vários aquários pela casa: um pequeno de água doce e um maior com água salgada.

Aquários / Fernando

Um hobby novo

O casal formado pelo bombeiro civil Hego Rode e a funcionária pública Carla Graciele começou a ser aquarista há dois anos e meio. Hoje têm quatro aquários e estão em vias de montar o quinto, de 250 litros. Um é focado em plantas naturais e possui somente um peixe, assim como outro denominado “aquário hospital”, onde fica apenas a mãe de 150 citrinellus.

Nos maiores estão os filhotes de peixe citrinellus, em um aquário de 130 litros, e outras espécies, num de 75 litros. O segundo tem exemplares de acará-bandeira, ramirezi blue, tetra, cascudo azul e limpa-fundo albino.

O interesse pelo hobby está relacionado a beleza destes animais. Há cerca de cinco anos, o irmão de Hego montou um aquário pequeno, o que despertou a sua atenção para o mundo dos pets aquáticos.

Hego e a esposa Carla cuidam de quatro aquários. Foto: André Rodrigues/Gazeta do Povo

Hego e a esposa Carla cuidam de quatro aquários. Foto: André Rodrigues/Gazeta do Povo

Hego aquários

É de família

Quando o administrador de empresas Daniel Küster era criança, seu pai tinha um pequeno aquário em casa. Na época, este hobby era ainda mais trabalhoso pois não havia tecnologia suficiente para garantir o bem-estar dos peixes. Daniel lembra que gostava de admirá-los, mas acabou se afastando do aquarismo e criando outros interesses enquanto crescia.

Foi quando se casou que a vontade de ter um aquário despertou. Em 2005, almejando ter mais da natureza dentro de casa e resgatar um hobby do pai, Daniel se tornou aquarista.

Hoje ele está projetando um aquário de 600 litros, enquanto mantém um menor, de 105 litros. Nele, existem alguns filhotes nadando com os pais, o que enche os olhos do administrador. Entre as espécies estão o neon negro, ramirezis electric blue, yellow panchax e coridoras.

Daniel resgatou um hobby do pai e se tornou aquarista. Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo

Daniel resgatou um hobby do pai e se tornou aquarista. Foto: Letícia Akemi/Gazeta do Povo

AQUÁRIO

Fontes: Dimitri Wilberg, Fábio Barbosa, Fernando Guimarães, Hego Rode, Daniel Küster, Adroaldo Santos, Aquabetta e Nigrans Peixes e Aquarismo.

 

LEIA TAMBÉM

>>> 5 lugares para passear a cavalo com crianças

>>> Quais raças de cachorro são boas para apartamento?

>>> Seu pet fica muito tempo sozinho? Leve ele para a creche!

8 recomendações para você

Deixe seu comentário