Não pode “nem um pedacinho”: comidas do fim de ano prejudicam a saúde dos pets

Avise os parentes que vão chegar para as festas de fim de ano: alimentar os animais com “restos” da ceia é altamente prejudicial

Ossos são alguns dos petiscos que podem causar doenças aos animais. Foto: Pixabay.

Não adianta insistir, “só um pedacinho” das comidas de fim de ano pode, sim, fazer mal para o pet. Em alguns casos, a ingestão desses alimentos leva a doenças graves. Por isso, segundo a professora de Medicina Veterinária da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Carolina Zaghi Cavalcante, é importante manter a alimentação deles da forma como eles estão acostumados e não mudar a rotina por conta das festas.

“Se o animal recebe ração diariamente, ou come alimento natural, é necessário manter o alimento que é preparado. Qualquer variação na dieta pode causar diarreia neles”, explica a professora.

É recomendável que não haja mudanças bruscas na dieta dos animais. Foto: Pixabay.

É recomendável que não haja mudanças bruscas na dieta dos animais. Foto: Pixabay.

Como é comum que os tutores dos animais comam muitos alimentos gordurosos e doces nas festas de Natal e Ano Novo, os animais estão sempre à espera de algo que “sobre” para eles. Por isso, é importante que as pessoas fiquem atentas a sobras de alimentos que caem no chão e lixeiras (que devem ficar fora do alcance dos bichos).

Além disso, as visitas precisam ser alertadas sobre o assunto. “Toda mudança brusca de alimentação pode fazer mal aos animais. Mesmo em caso de alimentos indicados terapeuticamente, a troca [do que o animal come por algo novo] é progressiva, para não ocorrer diarreia e outras doenças”, exemplifica a professora.

Evite dar ossos aos animais

Comidas ricas em gordura, bem como ossos ou restos de ossos podem causar danos ao sistema digestivo do animal. Esses tipos de alimentos podem levar a quadros de gastroenterocolite, que envolve diarreia, vômitos, dor abdominal, ou até mesmo consequências mais graves, como pancreatite aguda (inflamação no pâncreas) e perfurações intestinais.

Alimentos embutidos e muito temperados também devem ser evitados, conforme explica a professora. Isso porque os animais não estão acostumados a alimentos industrializados, que também podem causar doenças gastrointestinais graves nos pets.

Chocolates são altamente tóxicos aos animais. Foto: Pixabay

Chocolates são altamente tóxicos aos animais. Foto: Pixabay

Nada de chocolates

As sobremesas das pessoas nas ceias e almoços de fim de ano são regadas de saborosos alimentos doces, dentre eles chocolates. Porém, os animais de estimação não podem comer esse tipo de guloseima, por ser tóxico ao organismo. Segundo a professora, caso o animal venha a ingerir chocolate, pode apresentar algum sinal como diarreia, vômito ou alteração na frequência cardíaca.

Doces também devem ser evitados, inclusive os chocotones e panetones. Isso porque esse, que é um dos pães mais apreciados dessa época do ano, contém uva passa e fruta cristalizada, que são altamente tóxicas para cães e gatos. “Dependendo da quantidade [que o animal comer] pode causar insuficiência renal aguda”, explica a professora.

Expectativa de vida pode diminuir

Com tantos problemas que esses alimentos podem causar aos animais, os tutores precisam tomar cuidado para que eles não desenvolvam doenças crônicas, como é o caso da pancreatite, insuficiência renal e obesidade, conforme explica a professora. Isso diminui a expectativa de vida do animal, e ele terá que ter um acompanhamento mais de perto quanto à saúde.

“Além disso, a obesidade pode gerar várias outras consequências, como colesterol, diabetes, aumento da pressão arterial e altas taxas de triglicerídeos”, comenta. O aumento no nível de triglicerídeos pode levar a doenças cardíacas.

 

LEIA TAMBÉM

8 recomendações para você

Deixe seu comentário