Como você se sentiu com essa matéria?

  • Carregando...
"Olhem a mamãe dos filhotes fofinhos que vocês compram", escreveu a ativista na postagem em sua rede social. A maioria dos animais resgatados era de raça. Foto: Reprodução Facebook / Luisa Mell
"Olhem a mamãe dos filhotes fofinhos que vocês compram", escreveu a ativista na postagem em sua rede social. A maioria dos animais resgatados era de raça. Foto: Reprodução Facebook / Luisa Mell| Foto:

Araras, papagaios e 113 cães de diferentes raças foram resgatados nesta quarta-feira (28) de um imóvel em Cangaíba, zona leste de São Paulo. Cachorros foram encontrados em caixas, gaiolas e até dentro de armário.

Os animais —muitos deles filhotes— viviam em condições precárias de saúde e higiene no local, usado como criadouro clandestino, segundo a Secretaria do Meio Ambiente do Estado.

A operação ocorreu após denúncia envolvendo animais silvestres e mobilizou a Polícia Ambiental, o Departamento de Fauna e o Instituto Luisa Mell, que acolheu e encaminhou os cãezinhos para exames e tratamento.

“Estou fazendo resgate em outro canil dos infernos. Nunca vi nada igual (…) Deus me dê forças”, escreveu a ativista em rede social.

O instituto, agora, buscará na Justiça a posse definitiva dos animais. Os trâmites podem levar semanas, e só depois os bichinhos poderão ser colocados para adoção. Enquanto isso, passarão por avaliação médica, vacinação e castração.

A equipe de Luisa Mell informou que, horas após o resgate, já recebia grande volume de emails de interessados em adotar um desses cães de raça. Aproveitou para lembrar que o instituto tem cerca de 150 cães vira-latas prontos para adoção, “esperando a chance de serem amados”.

Em outubro do ano passado, quando promoveu uma feira de adoção em São Paulo, a ativista compartilhou sua indignação com o público. Quando foram informados que os cães não eram de raça, muitos dos interessados foram embora. Clique aqui para conferir a história completa.

>>> Público faz fila por duas horas para adotar e desiste ao ver que eram vira-latas

>>> Conheça Emílio, o cachorro que tem 30 mil donos em Curitiba

As aves apreendidas no imóvel devem ser encaminhavas a um santuário e, se possível, reintegradas à natureza.

O responsável pelo canil foi encaminhado para depoimento e será multado – o valor deverá ser correspondente ao número de animais apreendidos.

Adoção consciente

Em outubro do ano passado, a ativista resgatou 135 cães de raça em um canil de Osasco, em São Paulo, e causar comoção nas redes sociais. O Instituto Luisa Mell promoveu uma feira de adoção, na zona sul da capital, que não teve o resultado esperado.

Adotar um animal de estimação não é apenas uma questão de vontade. Com a decisão de ter um pet em casa surge uma série de responsabilidades. Por isso, instituições de defesa dos animais lutam pela adoção consciente, para que os novos tutores garantam o bem-estar do pet.

Cães, gatos e quaisquer outros animais de estimação precisam de atenção e cuidados dos adotantes. Foto: Unsplash.
Cães, gatos e quaisquer outros animais de estimação precisam de atenção e cuidados dos adotantes. Foto: Unsplash.

No Brasil, não há legislação que determine como as pessoas devam adotar animais de estimação. Contudo, a Lei n° 9.605, de 12 de fevereiro de 1998, estabelece, em seu artigo 32, que práticas de “abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos” implicam em detenção de três meses a um ano e multa.

O valor da multa é determinado pelos municípios, que são os responsáveis pela fiscalização. Leia mais na reportagem completa.

>>> Há milhares de animais esperando por um lar em Curitiba. Saiba como adotar!

LEIA TAMBÉM

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]