Patrocínio

Hospital Pilar X-Leme Diagnóstico Por Imagem Mantis Diagnósticos Avançados

Mulheres são a solução para os problemas mundiais, segundo Chieko Aoki

Fundadora e presidente do grupo Blue Tree Hotels esteve em Curitiba para uma palestra a mulheres empreendedoras e conversou com o Viver Bem sobre as mudanças na sociedade

A empresária esteve em Curitiba no início de julho para uma palestra com mulheres empreendedoras no evento do grupo Mulheres do Brasil Foto: Divulgação

Chieko Aoki é uma mulher de detalhes. Fundadora e presidente do grupo Blue Tree Hotels, a senhora de 68 anos não deixa escapar nenhuma imperfeição, especialmente nos mais de 20 hoteis sob seu comando, distribuídos por diferentes estados do país, inclusive em Curitiba.

“Outro dia estava em um hotel que estamos reformando e, logo que entrei, percebi que algo estava errado, mas não conseguia identificar o quê. Fui almoçar e, quando voltei, vi: o balcão da recepção estava alguns centímetros maior do que deveria. O pessoal falou que estava certo e eu sabia que não. Tirei uma foto ao lado do balcão, porque eu sou baixinha, e havia mesmo uma diferença”, relata a empreendedora, que esteve em Curitiba no início de julho para uma palestra a mulheres empreendedoras pelo grupo Mulheres do Brasil. Na ocasião, o Viver Bem conversou com a senhora Aoki, como é carinhosamente chamada.

O perfeccionismo, segundo Aoki, não é uma característica apenas dela, mas de todas as mulheres. E essa seria uma qualidade muito importante para o mundo que estamos vivendo, pois serão as mulheres as pessoas mais indicadas a buscar soluções aos problemas atuais.

“O Brasil e o mundo todo está passando por um processo de muitas litigâncias. Muitas pessoas não estão satisfeitas. As mulheres têm muito mais jeito para darem soluções e buscarem harmonia. Ouvi falar que 60% da população mundial tem algum nível de depressão, e isso é muito preocupante. Mas costumo brincar que os 40% restante são as mulheres”, diz.

Parte dessa solução é encontrar mais mulheres nos altos cargos executivos de empresas, fator que Chieko comemora por ser cada vez mais comum. Embora o número ainda seja insuficiente, na análise da empresária, trata-se de um processo e uma mudança repentina também não seria tão positivo. “Nada que seja uma grande ruptura eu acho bom. Não é meu estilo ver grandes mudanças. Acho que tudo tem que ser no momento certo, do jeito certo. Claro que poderia ser uma mudança um pouco mais rápida”, comenta.

“Eventos que reúnem mulheres empreendedoras ajudam muito nisso. Mulheres têm boas ideias e muita boa vontade, vontade de fazer negócios. Mas, muitas ainda ficam nos ‘Se’, principalmente se for a primeira vez que tentam algo novo. E se não der certo? E se eu não tiver sucesso? E se eu perder dinheiro? O importante é começar.”

E, se tiver dúvidas, não tenha medo de se apoiar nas amigas. “Ainda tem muitas pessoas que falam que as mulheres não se ajudam, mas é mentira. Elas se ajudam muito. É outra realidade hoje. Se gostam de fazer fofoca? Talvez até gostem, mas hoje no mundo dos negócios as mulheres se apoiam. Há, inclusive, associações onde os negócios são feitos apenas entre as mulheres”, cita a empresária. Um exemplo dessa iniciativa em Curitiba é o Clube da Alice, um clube secreto no Facebook onde as participantes divulgam serviços e contratam, apenas, entre mulheres.

“Mulheres têm muito potencial. Elas têm a cabeça mais aberta, ouvem mais e não dizem ‘não’ de primeira. Elas são muito mais abertas a ouvir e a fazer coisas novas”, reforça Aoki, que também lista algumas brasileiras empresárias que a inspiram na vida profissional: “Uma que me inspira demais é a Luiza Helena Trajano [proprietária das lojas Magazine Luiza]. Ela é ótima e faz um trabalho maravilhoso. Super generosa, compartilha tudo que aprende. Assim como a Sônia Hess [da marca de camisas Dudalina] e a Regina Arns [presidente do MEX Brasil]”, cita.

Futuro do turismo no Brasil: para onde olhar?

Curitiba é uma das melhores cidades brasileiras para se morar, segundo avaliação de Chieko Aoki, e essa é uma característica que não deveria sair da cabeça de quem quer estimular o turismo da cidade e região. “É um super atrativo! Em cima disso, o que as pessoas podem conhecer aqui? Hoje, quando cheguei, comprei uma esfiha que era uma delícia! A comida é uma atração muito importante hoje em dia”, conta a empresária.

Cabe à cidade divulgar as opções de gastronomia e de atrações culturais e ter sempre em mente a seguinte pergunta: “O que tem de diferente aqui? Por que alguém viajaria durante 30 horas da Ásia para conhecer essa cidade? Quais atrações valeriam a pena esse esforço do turista? Não é obrigação dos outros nos enxergar, mas de nós divulgarmos o que temos de diferente”, reforça.

A receita para um turismo de qualidade, de acordo com Aoki, perpassa preservar os pontos turísticos que já existem, não deixá-los deteriorar e valorizar produtos naturais. “Essa é uma responsabilidade de cada cidade”, diz.

LEIA TAMBÉM

>>> Para provar que exercícios ajudam a acelerar o parto, mães dançam Despacito

>>> Dona do Magazine Luiza lidera grupo de mulheres que quer transformar o Brasil

>>> “Está faltando etiqueta na vida online”, diz Claudia Matarazzo

8 recomendações para você

Deixe seu comentário