i

O Sua Leitura indica o quanto você está informado sobre um determinado assunto de acordo com a profundidade e contextualização dos conteúdos que você lê. Nosso time de editores credita 20, 40, 60, 80 ou 100 pontos a cada conteúdo – aqueles que mais ajudam na compreensão do momento do país recebem mais pontos. Ao longo do tempo, essa pontuação vai sendo reduzida, já que conteúdos mais novos tendem a ser também mais relevantes na compreensão do noticiário. Assim, a sua pontuação nesse sistema é dinâmica: aumenta quando você lê e diminui quando você deixa de se informar. Neste momento a pontuação está sendo feita somente em conteúdos relacionados ao governo federal.

Fechar
A matéria que você está lendo agora+0
Informação faz parte do exercício da cidadania. Aqui você vê quanto está bem informado sobre o que acontece no governo federal.
Que tal saber mais sobre esse assunto?
Comportamento

Por que essa geração de adolescentes não dá valor a nada? Piangers responde

A leitora Joana escreveu ao colunista em desabafo e quer saber como agir com a filha

  • Por Adriano Justino
  • 25/09/2018 09:00
O fácil aceso aos bens materiais é um dos motivos para a insatisfação, acredita Piangers. Foto: Bruno Gomiero/Unsplash.
O fácil aceso aos bens materiais é um dos motivos para a insatisfação, acredita Piangers. Foto: Bruno Gomiero/Unsplash. | Foto:

Muito acesso a bens materiais e pouco não: essa é a receita ideal para criar crianças mimadas e que não conseguem valorizar o que tem; esse é o tema de debate deste “Pergunte ao Piangers”.

A leitura Joana escreveu ao especialista Marcos Piangers com um desabafo: fez uma super festa para a filha, em um local caro, com muita comida boa e direito a passeio de limusine e melhor vestido. “Ela só chorou e reclamou a festa toda”, disse. “Por que essa geração de filhos está sempre insatisfeita?”

>> Como viajar com adolescentes sem se aborrecer com eles

Segundo Piangers, autor de livros “O Papai é Pop” e “O Poder do Eu te Amo”, esse comportamento tem algumas explicações: uma delas é a escassez pela qual as gerações anteriores passaram. “A gente não ganhava iogurte todo dia, nem podia ver tevê quando queria. Presente, só no aniversário. Tudo era muito caro. Hoje, com a economia mais desenvolvida e maior acesso, costumamos incorrer em um erro comum: dar tudo para o filho achando que é amor ou felicidade”.

Dizer não

Pianger acredita que o melhor caminho é não proporcionar aos filhos tudo o que querem. “Está se tornando comum ganhar muita coisa, se mal acostumou. Não tem como seu filho ser feliz se ele não der valor às coisas”.

Outra opção é incentivar trabalhos voluntários, para que o adolescente vivencie e conheça novas realidades.  “Filhos que ouvem só sim se dão muito mal na vida e nos relacionamentos. Se tornam mimados, impacientes. Não desejo isso para a sua filha”, salienta Piangers.

Tem alguma outra questão sobre família e paternidade? Escreva para: pergunteaopiangers@gazetadopovo.com.br.

Assista ao vídeo completo:

LEIA TAMBÉM: 

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]

Receba Nossas Notícias

Receba nossas newsletters

Ao se cadastrar em nossas newsletters, você concorda com os nossos Termos de Uso.

Receba nossas notícias no celular

WhatsApp: As regras de privacidade dos grupos são definidas pelo WhatsApp. Ao entrar, seu número pode ser visto por outros integrantes do grupo.

Comentários [ 0 ]

Máximo 700 caracteres [0]

O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Termos de Uso.