Patrocínio

Hospital Pilar X-Leme Diagnóstico Por Imagem Mantis Diagnósticos Avançados

Os sons (e sonhos) de um índio andino no Largo da Ordem

Erwin Fernando Maquehue vive em Curitiba há mais de 10 anos e, para 2019, quer mais união entre brasileiros e vizinhos

Erwin Fernando: o chileno que encanta com a música os passeios no Largo da OrdemDe origem chilena, Erwin Fernando vende flautas e teares na feirinha do Largo da Ordem, todos os domingos pela manhã (Foto: Amanda Milléo / Gazeta do Povo)

Além das dezenas de barracas que compõem a feirinha do Largo da Ordem aos domingos pela manhã, é impossível não se deixar levar pelos barulhos do local. Cada comerciante faz o que pode para chamar a atenção dos potenciais compradores. Uns gritam as promoções, outros anunciam o que tem de novidade, e tem, ainda, quem prefira conquistar os visitantes pela música.

Próximo à praça do Relógio fica a barraca de produtos de artesanato de Erwin Fernando Maquehue. É lá que o comerciante divide seu tempo entre atender a seus clientes e tocar seus instrumentos musicais favoritos, entre eles a pilfica (um tipo de flauta) e a trutruca (semelhante a uma trombeta).

>> Como se organizam os apaixonados pelo Natal e inspiram as famílias no fim de ano

Os sons ressoam pelas ruelas e estandes da feirinha, e é impossível alguém não procurar com o olhar para saber de onde vem a música. Não raro, os curiosos se dirigem até sua barraca, que se destaca por ser decorada com tecidos coloridos feitos no tear. Quem o escuta, porém, não imagina que Fernando (como prefere ser chamado) só aprendeu a tocar os instrumentos depois de adulto, quando já morava no Brasil. Já na primeira conversa, o sotaque denuncia que o músico não é daqui.

“Eu tenho origem indígena, da tribo Mapuche, originária do sul do Chile e da Argentina. Vim para o Brasil quando eu tinha 22 anos porque meus irmãos moravam aqui e eu queria fugir da situação econômica do meu país”, lembra o chileno, hoje com 60 anos.

Erwin Fernando: o chileno que encanta com a música os passeios no Largo da Ordem

Fernando aprendeu a tocar os instrumentos andinos já morando no Brasil (Foto: Amanda Milléo / Gazeta do Povo)

Logo que chegou às terras brasileiras, Fernando morou no interior de Minas Gerais, onde passava os dias entre o cuidado com hortas, o trabalho com o tear, e os ensinamentos de ioga. “Morei 10 anos lá. Acordava todos os dias às 5h, fazia a prática da ioga kundalini [estilo de ioga], depois mexia com a horta, que era toda natural, e então trabalhava com o tear mapuche, que é bem rústico e demorado”, lembra.

Com os irmãos mudando para o Paraná, Fernando veio junto. Passou 16 anos em São José dos Pinhais e os últimos 11 anos em Curitiba. “Na feirinha do Largo estou desde 1990. Entre 1991 e 1993, dei aula de tear na Fundação Cultural. Hoje, divido meu tempo entre a ioga, o trabalho com o tear e a paixão pela música. Conheci os instrumentos lá no Chile, mas aprendi a tocar aqui, com meu cunhado que é peruano”, explica o chileno, apontando para os produtos dispostos (alguns à venda) na barraca.

“Essa é uma flauta da Bolívia, do Peru, da região norte do Chile. É que antigamente não tinham fronteiras, né? Era tudo misturado.” 

União dos povos

Como muitos imigrantes, Fernando relata que sentia que o país (e os brasileiros) eram mais fechados ao estrangeiro logo quando chegou. Felizmente, na sua visão, isso tem mudado e estamos caminhando para uma união dos povos.

“Eu vejo que as pessoas se interessam bastante pelos produtos que a gente traz para a feirinha, querem saber a origem. Agora, também tem cada vez mais estrangeiros vivendo aqui. Eu casei e tenho filhos que são chilenos e índios. Está todo mundo se misturando e o mundo está caminhando para uma unidade. É preciso eliminar preconceitos, acabar com tudo que divide as pessoas“, opina Fernando.

Erwin Fernando: o chileno que encanta com a música os passeios no Largo da Ordem

Sons da feirinha do Largo da Ordem encantam transeuntes enquanto comerciantes chamam atenção para produtos (Foto: Amanda Milléo / Gazeta do Povo)

LEIA TAMBÉM

8 recomendações para você

Deixe seu comentário