Patrocínio

Hospital Pilar X-Leme Diagnóstico Por Imagem Mantis Diagnósticos Avançados

Tem vestido de festa guardado em casa? Empresa ajuda a alugar e divide o lucro

Empresa curitibana cria modelo de negócio para fazer aluguel de vestidos usados e incentivar o consumo colaborativo

Loja em Curitiba atua como intermediadora na locação de vestidos de festa (Foto: Bigstock)

Na onda do consumo consciente, um novo tipo de brechó abriu as portas em Curitiba. Para quem não sabe mais o que fazer com aquele vestido de festa escondido no armário, o Cabide Fashion Clube pode ser a solução. A empresa é como uma “biblioteca” de vestidos usados, que são oferecidos para locação. Parte do lucro vai para o bolso da dona.

As criadoras do empreendimento foram as irmãs Lizzie Maldonado L. Bertazo, de 33 anos, e Thaíse Maldonado L. Guedes, de 35 anos. Thaíse conta que começou a pensar em consumo colaborativo e sustentável por conta do filho de 9 meses. “Percebi que ele perdia as coisas muito rápido e a maioria das roupas e objetos ficava de lado”, explica.

O acúmulo das roupas do bebê fez com que encontrasse grupos de aluguel de pertences para crianças e surgisse a ideia de adaptar para o universo feminino. “Eu e minha irmã tínhamos muitos vestidos de festa e parecia que, na hora de sair, nunca tínhamos roupa”, conta Thaíse.

Com menos de um mês de funcionamento, o negócio possui 50 peças para aluguel. Os valores de cada peça ainda estão sendo negociados.

As criadoras do empreendimento foram as irmãs Lizzie Maldonado L. Bertazo (lado esquerdo), de 33 anos, e Thaíse Maldonado L. Guedes (lado direito), de 35 anos. Foto: Arquivo Pessoal

As criadoras do empreendimento foram as irmãs Lizzie Maldonado L. Bertazo (lado esquerdo), de 33 anos, e Thaíse Maldonado L. Guedes (lado direito), de 35 anos. Foto: Arquivo Pessoal

A empresa não tem restrição, mas a interessada em colocar um vestido para ser locado precisa enviar uma foto que mostre o potencial da peça via Facebook, Instagram ou e-mail (veja as informações abaixo). As fotos são avaliadas e as irmãs decidem se pode ser disponibilizada ou não a partir do estado de conservação, modelo e procura.

Se aceito, o vestido deve ser levado até a sede do Cabide Fashion Clube e o valor é decidido entre a dona e a empresa.

“Nós consideramos a pessoa que traz o vestido como uma sócia do Clube, que forneceu o material e vai receber parte do aluguel”, explica Thaíse. A dona da peça recebe 30% do valor de cada aluguel em vestidos curtos e 35% em longos.

Foto: Arquivo Pessoal

Foto: Arquivo Pessoal

Para quem vai alugar a peça, o contato também deve ser feito por Facebook, Instagram ou e-mail. Caso a cliente tenha cores ou modelos em mente, as irmãs adiantam os vestidos disponíveis. Do contrário, a interessada deve marcar um horário para ir até o local.

Por enquanto, as formas de pagamento são através de boleto, transferência bancária ou dinheiro.

Serviço:

Para entrar em contato com a loja basta entrar no Facebook ou Instagram. Eles também estão disponíveis no e-mail: cabidefashionclube@gmail.com.

LEIA TAMBÉM:

8 recomendações para você

Deixe seu comentário