Patrocínio

Hospital Pilar X-Leme Diagnóstico Por Imagem Mantis Diagnósticos Avançados

Muitos quilowatts e decibéis na passarela

Técnicos de luz e som do PBC criam a atmosfera perfeita para o mundo fashion

Como toda grande festa, a magia de um evento de moda se deve, em parte, à sua música e iluminação. E o diretor de desfiles Clé Carrer sabe bem disso, pois também assina a trilha sonora de algumas das apresentações da 7.ª edição do Paraná Business Collection.

“O tema dos estilistas me dá subsídios suficientes para eu fazer a escolha das músicas e definir se ela será emocional ou não. No desfile do Gildo Kist, como o tema era Mulher em Festa, fui buscar inspiração nos bailes de antigamente e trouxe faixas de orquestras como Ray Coniff e Românticos de Cuba. Já no desfile da Cyntia Fontanella, que será nesta sexta-feira, a referência era o barroco, então eu optei por instrumentos como cello e cravo, partindo de composições de Bach e Vivaldi, mas transpondo tudo para um universo contemporâneo”, revelou.

Feitas as pesquisas e escolhidas as músicas, Carrer envia este material para o DJ Diogo Mazza fazer a mixagem. Mas quem comanda a entrada e saída das faixas na passarela é Santiago Aguiar, da Guime Telões, empresa especializa em eventos corporativos, que em 2012 realiza os trabalhos de som para o PBC. “O diretor do desfile entrega a mídia com a trilha montada e o meu trabalho é soltá-la nos momentos certos, além de acertar volume e equalizar o som. Mas às vezes surgem imprevistos e precisamos refazer o trabalho de mixagem na hora, como aconteceu no desfile da EcoCalema”, contou Aguiar.

Durante a semana do evento, ele chega diariamente às 10h30 para a passagem de som e fica até o final do último desfile, após as 22h. “A música é o que dá o clima de um evento de moda, por isso preciso estar muito atento, pois não posso errar. O espetáculo acontece só uma vez, não dá para repetir”, reflete.

Para embelezar ainda mais esta festa, a iluminação ficou a cargo do talentoso Beto Bruel, vencedor de dezenas de prêmios Gralha Azul e Shell na área. Para o PBC, ele enviou oito funcionários de sua empresa, a Tamanduá Produções, entre eles o técnico de iluminação Djeison Alves. “O Beto estava na estreia, mas como ele não pode estar presente em todos os desfiles, eu e restante da equipe ficamos para administrar tudo e aprimorar o que for necessário até o final do evento”, disse Alves. De acordo com ele, as grifes que farão desfiles possuem um produtor que escolhe a cenografia e os efeitos de iluminação.



Os antigos boleros e a luz especial criaram o clima perfeito para o desfile de Gildo Kist
Djeison é incumbido de seguir estas orientações em todos os espaços, da passarela ao lounge. Dentre os melhores momentos até agora, em termos de luz, ele destaca o desfile da Lafort. “Gostei muito do efeito e da imponência dos sete lustres centralizados na passarela. A ideia foi do Cléverson Carrer, diretor de desfile, e nós fizemos toda a estruturação. Cada lustre tinha 17 lâmpadas e pesava 15 kg. Deu trabalho, mas o resultado valeu”, opina.

8 recomendações para você

Deixe seu comentário