Hábito comum nos cuidados com a pele é a porta de entrada para bactérias e infecções

Entenda como os pontos de inflamação surgem na pele e como evitá-los

Foto: Bigstock

Espremer espinhas pode até ser tentador, mas não é nada saudável para a pele. Principalmente se o objetivo é ter um rosto liso e reluzente. Mas por que não devemos nem tocar nos pontinhos avermelhados que surgem no rosto de vez em quando?

“Isso aumenta o risco de romper a barreira natural da pele, abrindo uma porta para a entrada de bactérias”, explica a dermatologista da Neoderme e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Luz Marina Hannah Grohs. Além das chances de infecção, o rosto pode ficar cheio de marcas e cicatrizes.

Veja, a seguir, algumas perguntas e respostas sobre o assunto:

1. Quais as principais causas do aparecimento de espinhas?

Elas são mais comuns durante a adolescência, por conta da produção dos hormônios sexuais. Mesmo assim, há outras causas possíveis. Uma delas é pelo uso de medicamentos (alguns quimioterápicos, antibióticos, corticoide oral, vitaminas do complexo B, entre outros).

As espinhas também podem aparecer devido ao uso de produtos comedogênicos, ou seja, que obstruem os folículos da pele. Neste caso, são chamadas de acne cosmética.

2. Como a espinha se forma?

A partir da obstrução dos folículos da pele, de inflamação local, ação bacteriana, aumento da oleosidade e inflamação da glândula sebácea.

Foto: Tanja Heffner / Unsplash

3. O que contém naquele pus branco da espinha?

O pus de uma espinha é o acúmulo de células inflamatórias da pele.

4. Estourar espinha pode causar alguma infecção?

Sim. A acne é composta de bactérias e células inflamatórias misturadas ao sebo. Ao fazer essa manipulação, aumentam as chances de graves infecções, cicatrizes, manchas, dor e desconforto.

5. Chocolate e alimentos gordurosos causam espinha?

Sim. Estudos recentes indicam que o alto consumo de carboidratos e alimentos gordurosos gera altas taxas de açúcar no sangue. Isso, por sua vez, aumenta os níveis de insulina que, através de mecanismos de receptores na pele, desencadeiam a acne.

Foto: Jennifer Pallian / Unsplash

6. O que posso fazer para evitar as espinhas?

Além de manter uma dieta equilibrada, a dica é fazer limpeza de pele ao menos uma vez por mês. Se realizada com a frequência recomendada, ela diminui a oleosidade consideravelmente.

7. Quais os principais tratamentos para espinhas?

Para controle das espinhas, é indicado o uso de sabonetes, filtros solares, hidratantes adequados para pele oleosa e retinoides tópicos. Estes medicamentos auxiliam na uniformização da pele e regularização da produção sebácea.

Terapia fotodinâmica, com peelings químicos e de cristal, também podem ser alternativas de tratamento.

LEIA TAMBÉM

8 recomendações para você

Deixe seu comentário