(Foto: Bigstock)
(Foto: Bigstock)| Foto:

Pesquisadores escoceses descobriram uma relação entre o uso do anti-inflamatório ibuprofeno durante a gestação e o prejuízo no desenvolvimento do ovário do bebê em formação. Com esse efeito, o consumo do medicamento durante o primeiro trimestre de gestação afetaria a fertilidade das futuras gerações.

>> Por que a pipoca de panela é mais saudável que a pipoca de micro-ondas?

O estudo, divulgado pela revista científica Human Reproduction no início do ano, analisou culturas organotópicas de ovários humanos, de sete a 12 semanas de desenvolvimento, expostas à substância ibuprofeno durante dois, quatro ou sete dias.

Os pesquisadores tiveram o cuidado de aplicar a substância apenas na concentração que o ovário do bebê receberia caso estivesse no organismo materno. No total, foram analisados 185 amostras.

Como resultado, os ovários humanos expostos ao medicamento tiveram uma redução no número de células, independentemente da idade gestacional do feto. Efeitos ainda mais significativos foram observados depois de sete dias de exposição ao ibuprofeno.

“Não é só o ibuprofeno, mas a maioria dos anti-inflamatórios não hormonais é contra indicado na gestação, porque há uma série de efeitos que podem surgir. Em casos extremos, no final da gestação, eventualmente é possível, mas nas primeiras 24 semanas de gestação é importante evitar ao máximo”, explica Francisco Furtado Filho, médico ginecologista especialista em reprodução humana e diretor da clínica Fertway.

Dos efeitos negativos já listados na literatura médica, esses medicamentos podem fazer uma vasoconstrição do duto arterioso fetal, causando eventualmente uma hipertensão arterial pulmonar e até inibir a agregação plaquetária, o que afeta o processo de coagulação do bebê.

Quais medicamentos podem ser usados na gestação?

Embora usado frequentemente no combate de dores, febre e inflamações, o anti-inflamatório ibuprofeno é um dos medicamentos contraindicados durante o período de gestação.

Confira abaixo os anti-inflamatórios e analgésicos que podem ser usados pelas gestantes, desde que com orientação médica, de acordo com informações da Biblioteca Virtual de Saúde da Atenção Primária à Saúde:

  • Paracetamol;
  • Dipirona sódica (caso do paracetamol não seja possível);
  • Os anti-inflamatórios não-esteroidais (como é o caso do ibuprofeno, ao lado do ácido acetilsalicílico, diclofenaco, entre outros) tem o uso contra-indicado às gestantes. Mas, se for absolutamente necessário, o ácido acetilsalicílico, em pequenas doses, é o medicamento mais seguro ? antes do terceiro trimestre de gestação.

Antes de se medicar, é essencial que as gestantes procurem seus médicos para a liberação, visto que cada substância pode causar efeitos deletérios importantes.

“Se a gestante reclama de dor de cabeça no início da gestação, essa dor pode estar relacionada aos efeitos hormonais próprios do momento, a uma baixa de pressão, que também é fisiológica, ou eventualmente a uma hipoglicemia pela dificuldade de se alimentar, devido às náuseas e vômitos, e não a uma enxaqueca mesmo”, reforça Francisco Furtado Filho, médico ginecologista.

Se for o caso, a orientação dos especialistas é para se hidratar ao máximo com água, isotônicos, como a água de coco. “Procure também descansar mais, para se recuperar bem e evite ao máximo o uso de medicações analgésicas sem a orientação médica”, alerta.

LEIA TAMBÉM

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]