Patrocínio

Hospital Pilar X-Leme Diagnóstico Por Imagem Mantis Diagnósticos Avançados

Bronquite pode ser contagiosa?

É preciso saber a diferença entre bronquite crônica e aguda para entender seu potencial de contágio

Uma das patologias respiratórias mais comuns, a bronquite se apresenta de forma aguda ou crônica. A condição crônica da doença geralmente está associada ao fumo e à exposição recorrente a produtos químicos e poluentes e, por isso, não é contagiosa. Muitas vezes também chamada de asma, a bronquite que se manifesta nos primeiros anos de vida e ameniza na adolescência, também não passa de um indivíduo a outro. Estima-se que 12% da população sofra com essa forma da doença, que costuma piorar em estações como inverno e primavera, dada sua relação com as condições climáticas.

Já a versão aguda da doença, causada por infecções de vírus ou bactérias, é sim contagiosa. Nesse caso, é transmitida por uma pessoa doente através do ar ou saliva no período em que os sintomas são observados no paciente – geralmente tosse, expectoração de secreção, respiração com chiado, fadiga, febre e dor opressora no peito.

Uma vez diagnosticada a doença em sua forma contagiosa, o tratamento é feito levando-se em conta o tipo de agente causador. Se a infecção for bacteriana, o médico receitará antibióticos; se viral, o tratamento é sintomático. Geralmente são associados medicamentos mucolíticos, que ajudam na eliminação do muco ou catarro, broncodilatadores e analgésicos para tratar a dor.

Prevalência

A bronquite aguda acomete pessoas em qualquer faixa etária, mas é mais observada no público infantil. A prevenção inclui medidas simples, como manter os ambientes arejados, bons hábitos de higiene e evitar o contato com pessoas com suspeita da doença. A bronquite é autolimitada e, seguindo corretamente o tratamento e as recomendações de repouso, deve passar em poucos dias.

 

Fontes: Paulo Roberto de Miranda Sandoval, pneumologista do Hospital Marcelino Champagnat e professor da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e João Daniel França, especialista em clínica geral e pneumologia, e pneumologista do Hospital Santa Cruz.

 

LEIA TAMBÉM

>>> Como cuidar da “queimadura” de água-viva?

>>> Por que minhas mãos estão sempre geladas?

>>> Como lidar com uma pessoa com câncer? Veja 9 coisas que você nunca deve falar

 

8 recomendações para você

Deixe seu comentário