Ritmo circadiano, ou relógio interno, afeta o organismo e é influenciado pelo ambiente externo (Foto: Bigstock)
Ritmo circadiano, ou relógio interno, afeta o organismo e é influenciado pelo ambiente externo (Foto: Bigstock)| Foto:

Humanos, plantas e animais têm um relógio biológico interno, ou um ritmo circadiano, que se adapta e sincroniza com a rotação do planeta Terra. A forma como essa sincronia se dá e os efeitos no metabolismo do corpo são a principal descoberta de um trio de cientistas norte-americanos, vencedores do Prêmio Nobel de Fisiologia ou Medicina deste ano.

Jeffrey Hall, Michael Rosbash e Michael Young descobriram que esse relógio interno adapta a fisiologia do corpo, a partir de mecanismos moleculares, e muda (ou flutua) de acordo com o momento do dia, atuando em aspectos importantes como o sono, a temperatura do corpo, os níveis hormonais e até mesmo o comportamento. Quando esse relógio está desregulado, o corpo pode predispor a diferentes doenças.

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores usaram moscas de frutas e isolaram nelas um gene responsável por uma proteína. Ao longo do dia, eles perceberam que essa proteína se acumulava durante a noite, mas era degradada durante o dia. Descoberta essa e outras proteínas que atuam em cada célula, os premiados entenderam que os relógios biológicos de todos os seres multicelulares funcionam através dos mesmos princípios – todos têm um ritmo circadiano.

Em entrevista ao boletim do Howard Hughes Medical Institute, em 2014, Rosbash explica que o sistema circadiano está presente em quase todos os tecidos do corpo humano, além das plantas. “[o ritmo circadiano] parece estar relacionado a susceptibilidade à doenças, taxa de crescimento e até mesmo tamanho da fruta”, diz o pesquisador.

Obesidade, diabetes, doenças cardiovasculares, doenças no fígado, câncer e até mesmo a depressão são condições que foram relacionadas a uma má função do relógio interno. Isso acontece quando há um descompasso entre o ambiente externo e o interno, como uma mudança de fuso horário (o conhecido jet lag). Outras condições relacionadas ao ritmo circadiano são mal de Alzheimer e transtorno de Deficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH).

Como regular o relógio biológico?

Por o relógio biológico estar, dentre outras funções, relacionado ao sono, uma sugestão para mantê-lo no ritmo certo é mudar os hábitos antes de dormir. Além de fazer exercícios físicos com regularidade e se alimentar de forma saudável, é importante praticar uma limpeza do sono, começando pelo quarto.

A luz artificial, presente nas telas dos smartphones e televisores, atrapalha o ritmo circadiano e deveria ser excluída do ambiente do quarto, antes de dormir. Confira outras sugestões para uma limpeza do sono completa:

>> Deixe o ambiente do quarto escuro. Para isso, vale usar cortinas que bloqueiem qualquer fonte de luz que venha da rua.

>> O quarto também deve estar silencioso. Mantenha celulares, smartphones e qualquer outro eletrônico fora deste ambiente.

>> A temperatura do quarto não deve estar nem muito quente, nem muito fria. Ela pode ser adaptada com o uso de ar condicionado ou climatizadores.

LEIA TAMBÉM

Deixe sua opinião
Use este espaço apenas para a comunicação de erros
Máximo de 700 caracteres [0]