Tudo o que você perde quando não dorme direito, incluindo antioxidantes

Além do descanso, estudo feito com moscas de frutas provou que o sono também é responsável por inibir a oxidação das células

Os mecanismos fisiológicos para a manutenção da temperatura do corpo (mais as cobertas e roupas quentes) favorecem o sono. Foto: Bigstock.

Todos os animais – de todas as espécies – dormem, mas as funções do sono não eram tão conhecidas nem pelo público, nem pelos especialistas até agora. Um estudo divulgado na revista científica PLOS Biology, e desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos, provou que o sono traz um benefício antioxidante importante para o organismo.

>> A DST pouco conhecida, resistente a antibióticos, que está se alastrando pelo mundo

A pesquisa, publicada este mês, analisa os hábitos de sono de uma variedade mutante das moscas Drosófilas, as conhecidas”mosca de fruta”. Esses insetos possuem um defeito fisiológico comum – tem um fenótipo mais sensível ao estresse oxidativo agudo. O defeito diminui o tempo de sobrevivência da variedade em relação às demais moscas quando expostas a esse estresse.

Ao perceberem que quanto mais as moscas dormiram (induzidas geneticamente ou farmacologicamente), maior era a taxa de sobrevivência, os pesquisadores concluíram o papel até então desconhecido do sono: “defesa contra o estresse oxidativo”, ressalta os pesquisadores no estudo.

Esse estresse está relacionado ao surgimento de diferentes doenças, como enfartes e doenças degenerativas – por isso que o estudo tem sido propagado pelos pesquisadores como fundamental para entender um pouco mais das causas e, possivelmente, a cura de doenças neurodegenerativas, como Alzheimer ou Parkinson.

Falta de sono: consequências importantes

As consequências de uma noite mal dormida são bem conhecidas da população, que vão desde mau humor ao desequilíbrio do organismo. Mas, o que nem sempre todo mundo lembra, é que a falta de sono também enfraquece o sistema imunológico, aumenta as chances de ganho de peso, além de elevar o risco de diabetes, depressão, entre outras doenças.

>> Fome em excesso, mau humor e memória ruim: você precisa de mais tempo de sono 

Isso acontece porque, além do desequilíbrio nos hormônios, há um prejuízo na “faxina” que o cérebro comanda todas as noites, e não há recarga das energias nas células da forma com deveria ser feita. Se a pessoa continuar nessa vida insone, o prejuízo aos sistemas, especialmente o imunológico, tende a crescer e outras doenças surgem. Confira algumas:

  • Lesão do sistema cardiovascular, exigindo mais do coração e das artérias;
  • Aumento no risco de doenças coronarianas e Acidentes Vasculares Cerebrais (AVC’s);
  • Sobrepeso;
  • Depressão;
  • Ansiedade;
  • Desregulação dos hormônios, como a produção da testosterona, por exemplo;
  • Prejuízo da memória;
  • Problemas cognitivos e emocionais;
  • Problemas de atenção;

LEIA TAMBÉM

8 recomendações para você

Deixe seu comentário